terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Reforma política

de 6/8/2006 a 12/8/2006

"A proposta de uma Constituinte exclusiva para reforma política (Migalhas 1.469 – 4/8/06 – "Migalheiros de peso") está em nossa proposta em nosso site (clique aqui) a bastante tempo, proposta esta que foi enviada a OAB da qual não obtivemos resposta, mas vale ser usada mesmo sem determinar a autoria, entendemos que o Congresso por si só não consegue fazer uma reforma eficaz com todas as mudanças necessárias. Uma Constituinte seria eleita para elaborar a Reforma que seria submetida a um Referendo para dar-lhe a aprovação popular, lógico que deveria além dos notáveis ter representação da sociedade organizada através de seus interlocutores. Pena a proposta ter sido apresentada pelo Presidente Lula que está em campanha para a reeleição e assim foi atacada pelos adversários que vêem nela mais uma proposta eleitoreira. Deve ser pensada com seriedade ou não sai esta Reforma."

Luciano Santos - advogado eleitoral e um dos coordenadores do Movimento Pela Reforma Política com Participação Popular - 7/8/2006

"Com todo o respeito e todas as datas venias devidas e merecidas ao Dr. Ovídio Rocha Barros Sandoval e às suas explicações sobre o affaire que originou mais uma (mais uma, Meu Deus) atoarda coaxada pelo primário sapo do Planalto, fico com a versão da Dora Kramer, arguta colunista política do Estadão: 'Senão vejamos em que ambiente estamos vivendo: um grupo de advogados vai numa quarta-feira à tarde ao gabinete do presidente da República entregar a ele uma proposta para restringir os poderes das comissões parlamentares de inquérito e, (o grifo é meu) já que estavam ali mesmo naquele bate papo a respeito de tolher as investigações e interferir no Legislativo, causídicos e presidente têm uma idéia: instituir um poder paralelo, não previsto na Constituição, para fazer a reforma política'.'Por cima 'do Congresso, ignorando o Parlamento, reinventando o sistema representativo, construindo uma institucionalidade peculiar, privatizando  corporativamente prerrogativas do Estado. Assim mesmo, no molde de Hugo Chávez estilizado, por mais ameno nos modos e nos métodos'. Pois é. Como dizia a Tia Georgina, 'uma coisa pensa o baio, outra quem o encilha'. A quem estiver interessado. A coluna foi publicada na sexta-feira, 4 de agosto de 2006. No mesmo dia em que o Migalhas publicava, democraticamente, o texto do ilustre Dr. Ovídio (1.469 – 4/8/06 – "Migalheiros de peso")."

Alexandre de Macedo Marques - 7/8/2006

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram