sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Uber – Vínculo empregatício

de 19/8/2018 a 25/8/2018

"Data venia, nada menos exato (Migalhas 4.427 - 24/8/18 - "Uber – Vínculo empregatício" - clique aqui). A verdade real vai de encontro à pretensa subordinação. Anacronismo e protecionismo nocivos às relações de trabalho."

José Adson Parente Martins e Rocha - 24/8/2018

"São decisões como esta que me fazem pensar porque somos tão atrasados economicamente (Migalhas 4.427 - 24/8/18 - "Uber – Vínculo empregatício" - clique aqui). Tomara que saiam do Brasil e voltemos a contar unicamente com nossos táxis, com um milhão de regulamentações e custo três vezes maior."

Jorge Coelho - 24/8/2018

"Mais um absurdo de quem pensa com isso estar promovendo Justiça (Migalhas 4.427 - 24/8/18 - "Uber – Vínculo empregatício" - clique aqui). As regras da Uber são claras e trabalha com eles quem quer e por que lhes convém. Isso chama livre mercado. O Brasil anda na contra mão do desenvolvimento."

Geraldo Otto - 24/8/2018

"Infelizmente o brasileiro sempre quer ganhar mais do que lhe é devido e se aproveitar de algum modo (Migalhas 4.427 - 24/8/18 - "Uber – Vínculo empregatício" - clique aqui). E o Judiciário com leis confusas e decisões baseadas em entender pessoal de cada membro ajuda no jeitinho brasileiro. Lamentável."

Joelson Carvalho dos Santos - 24/8/2018

"É óbvio que existe vínculo empregatício (Migalhas 4.427 - 24/8/18 - "Uber – Vínculo empregatício" - clique aqui). Não existe pareceria com empresa Uber, e sim empregado e empregador. Ela chega em nosso país com a proposta de uma nova plataforma de trabalho e a chama de parceria, mas na verdade ela tenta de todas as formas violar as nossas leis trabalhistas. Aqui Brasil! Nós temos o melhor ordenamento jurídico, uma Justiça inviolável dos direitos garantidos pela nossa Constituição. Parabéns aos operadores da lei que faz jus a ser advogados e operantes da lei."

Márcio Corrêa - 25/8/2018

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram