sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Atos - universidades

de 28/10/2018 a 3/11/2018

"Na referida decisão, que suspendeu decisões da Justiça Eleitoral em universidades, a ministra Cármen Lúcia ressaltou a importância da 'liberdade de expressão' e do 'pluralismo de ideias' em uma democracia (Migalhas quentes - 27/10/18 - clique aqui). Ocorre que a ministra foi omissa - intencionalmente ou não - na referida decisão, ao silenciar sobre o significado de 'pluralismo de ideias' e que a decisão se aplica a todas as correntes de pensamento, obrigando a todos (inclusive alunos e professores) o cumprimento de sua decisão. Até as pedras dos rios sabem que as universidades transformaram-se num - com a devida licença da frase - antro de esquerdopatas, radicais que apelam para a histeria e violência quando são contrariados em suas ideias. É exatamente o que ocorreu na UnB - Universidade de Brasília, nesta segunda, 29, quando manifestantes favoráveis ao presidente eleito foram expulsos pelos 'democráticos alunos universitários esquerdistas' da UnB. Essa é mais uma daquelas decisões omissas do Judiciário, momento em que se questiona a parcialidade desse Poder em determinadas questões - como essa. Lamentável."

Milton Córdova Junior - 30/10/2018

"É muita pena que só quando lhes interessam pensam assim (Migalhas 4.474 – 1/11/18 – "Pluralidade de ideias" – clique aqui). Por que rasgaram a Constituição quando Lewandowski e Renan não cassaram os direitos da Dilma? Lamentável nosso STF."

José Carlos Thomaz - 31/10/2018

"Desculpem, mas convém colocar os pingos nos is: o que a decisão do STF reafirmou e legitimou foi o direito à exclusividade da esquerda de programar suas teorias e ideologias (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Falar que os debates nas Universidades são livres e plurais é, na melhor das hipóteses, alienação total quanto ao que ocorre na prática. E, na pior das hipóteses, fraude intelectual."

Shirlei Cruz - 1/11/2018

"Pluralismo de ideias e liberdade de cátedra, sim; uso ilegal do campus para propaganda politico-partidária em período eleitoral, não (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui)! Sejamos justos e realistas."

Sidnei Pepinelli - 1/11/2018

"Ótimo o STF garantir a liberdade de expressão e repudiar a censura (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). A propósito já foi resolvido o imbróglio Fernando Sarney x Estadão?"

Luiz Carlos Tozzato - 1/11/2018

"Livre manifestação de ideias é o permitido e concordo (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Imposição de ideias, com argumentos falsos e mentiras como fazem os professores esquerdistas se aproveitando de jovens universitários que ainda estão descobrindo o mundo, não é livre manifestação de ideias, é atentado também à Constituição."

Luiz Guilherme Winther de Castro - 1/11/2018

"O STF tem que garantir também o direito do estudante usar a 'camisa verde amarela', ao invés de somente 'camisa vermelha' (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). É preciso punir com rigor as intimidações e agressões sofridas por aqueles que ousam vestir o 'verde e amarelo'. São muitos casos nas universidades e escolas públicas!"

Helvio Tarcísio - 1/11/2018

"Nesse episódio das ações da polícia e dos juízes eleitorais nas universidades, há um equívoco monumental na decisão do STF, por unanimidade (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Os agentes policiais e os juízes eleitorais, obviamente, perceberam desde logo nas denúncias que os 'universitários' estavam, na verdade, fazendo campanha eleitoral no recinto das faculdades, em benefício de um dos candidatos que participaram (no dia seguinte!) da eleição presidencial. Basta ler o banner colocado na fachada de uma das faculdades ('Contra o Fascismo') para saber a quem beneficiavam! Para ter essa percepção, basta ter um mínimo de conhecimento político. ou melhor, um certo 'faro de cachorro policial' que os ministros parece não ter. Ninguém é contra os caudalosos argumentos utilizados na votação para realçar a importância e a supremacia da liberdade de expressão, do direito à cátreda, esbanjados a não mais poder pelos ínclitos ministros. Mas 'esqueceram-se' ou 'não atentaram' para a hipocrisia de camuflar os atos como se fossem 'discussão doutrinária de temas ligados à liberdade de expressão'. Foi, na verdade, um 'passa moleque' que os esquerdopatas que infestam nossas universidades passaram nos 11 ministros aparentamente ingênuos que estão na Suprema Corte. Ou não foi?"

José Fernandes da Silva - 1/11/2018

"Desde quando fumar maconha, depredar patrimônio público e não estudar é liberdade de expressão (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui)? E a liberdade daqueles que querem estudar, isto é, ter aulas, ao invés de de serem obrigados a assistir propaganda político-partidária, não é um direito constitucional?"

Renan de Barros Alves - 1/11/2018

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram