sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Indústria do dano moral

de 25/11/2018 a 1/12/2018

"Com todo o respeito, penso que o magistrado abusou (Migalhas 4.490 – 28/11/18 – "Indústria do dano moral" – clique aqui). Qual a fraude em ter várias ações por dano moral em várias comarcas? O magistrado afirmou na sentença que 'certamente as petições são idênticas' nos demais processos, o que denota que ele afirmou sem analisar processo por processo para chegar a essa conclusão. Isso não passa de suposição de magistrado birrento com inveja do advogado ter centenas de processo. Me ajudem colegas, qual foi a fraude do colega advogado, não consegui perceber ainda. Ter vários processos da mesma natureza agora é fraude?"

Ely de Souza Junior - 28/11/2018

"Observei que aconteceu um milagre neste caso, juiz ler atentamente um processo (Migalhas 4.490 – 28/11/18 – "Indústria do dano moral" – clique aqui). Aleluia!"

Islândia Xavier dos Santos - 28/11/2018

"O advogado deu azar (Migalhas 4.490 – 28/11/18 – "Indústria do dano moral" – clique aqui). O juiz não foi imperativo em sua fundamentação. Fosse na Justiça comum com certeza em recurso a sentença seria totalmente reformada."

Henrique Passos - 28/11/2018

"Gostaria de saber se ele fosse cobrado indevidamente e tivesse seu nome incluido no cadastro de proteção ao crédito, pensaria assim (Migalhas 4.490 – 28/11/18 – "Indústria do dano moral" – clique aqui). O fato de uma empresa demonstrar o pagamento de faturas antigas por parte da autora só demonstra que ela pagava seus débitos e não que há uma dívida pendente."

Paulo M. Nogueira Reis - 29/11/2018

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram