sexta-feira, 23 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Gramatigalhas

de 10/9/2006 a 16/9/2006

"Prezados Senhores: Em artigo localizado através desse conceituado veículo de informação jurídica deparei com a palavra 'latrocida' contida no texto. Por desconhecer o vocábulo pesquisei no dicionário e não encontrei a palavra. Solicito, portanto, o auxílio dos responsáveis pelas 'Gramatigalhas' para, mais uma vez, sanar minhas dúvidas. Atenciosamente,"

Tricya Kerlly Justo - 11/9/2006

"Alguém pergunta se há LATROCIDA, que não encontra dicionarizado. É que a língua é algo vivo, que cria e recria segundo os princípios que adota ao longo da vida. O sufixo –CIDA justifica, a meu ver, o LATROCIDA, cognato de HOMICIDA, por exemplo, entre muitos outros substantivos legitimamente portugueses. É por certo algo impróprio, porque HOMICIDA é quem MATA HOMEM; LATROCIDA não é quem mata ladrão, mas quem comete latrocínio... Vejamos, para ilustrar, o que diz o HOUAISS. -CIDA é... 'pospositivo, do lat. -cída 'que mata, que corta, que deita abaixo' (como em homicída adj.s.2g., de homo,ìnis 'homem' + -cída), der. do rad. de caedo,is,cecídi,caesum,caedère 'cortar, deitar abaixo, imolar', com apofonia, ver ces- ; em comp. cultos do sXIV em diante, como: angüicida, animicida, apicida, bactericida, bernicida, calicida, carrapaticida, deicida, ervicida, feticida, filicida, formicida, fradicida, fratricida, fungicida, gaticida, germicida, herbicida, homicida, infanticida, inseticida, liberticida, loculicida ('que rompe, destrói os lóculos', em botânica), lumbricida, mariticida, matricida, microbicida, parasiticida, parricida, poricida, raticida, regicida, republicida, septicida, suicida, tauricida, tiranicida, uxoricida, vermicida; a partir de 1945, com a consagração da pal. genocida/genocídio, a série, até então fiel à vogal -i- lat. de ligação, passou a admitir também a gr. -o-: etnocida/etnocídio, ecocida/ecocídio, fitocida/fitocídio, geocida/geocídio, glotocida/glotocídio, zoocida/zoocídio; a emergência do fr. suicidaire (1901) ensejou pouco tempo depois o adj. suicidário, parcialmente sinônimo (como adj.) de suicida; suicidário passou assim a ser padrão potencial para com todos os casos aqui relacionados'."

Antônio Carlos de Martins Mello - 12/9/2006

"Dr. José Maria, é de fato irrepreensível o acréscimo do morfema preso 'in' à palavra dedutível, criando a já tão comum expressão 'indedutível'? Cordiais saudações."

Gustavo Guimarães Barros - 13/9/2006

"Caro Professor José Maria da Costa, o verbo razoar deve ser utilizado como transitivo direto ou indireto na linguagem forense. Assim deve-se contra-razoar o Recurso Ordinário ou contra-razoar ao Recurso Ordinário? Atenciosamente,"

Rodrigo Rodrigues - 14/9/2006

"Boa tarde. Gostaria que o ilustre profissional e mestre de Gramatigalhas comentasse e publicasse para os leitores sobre o assunto a seguir mencionado:

'MUÇARELA vira polêmica em concurso

Pelo menos 50 candidatos entram com recurso para questionar a prova; grafia com 'ss' é a mais usada, mas está errada

Felipe Ferraz/Agência BOM DIA

Uma questão no concurso público da Prefeitura de Jundiaí para o cargo de educador social levantou uma polêmica gramatical na cidade: o correto é "mussarela" ou "muçarela"? A pergunta pedia para o candidato assinalar a frase que estava correta. A resposta certa era a que "o atacante Ronaldo, 1,83 metro, 94,7 quilos é incapaz de resistir a uma pizza de muçarela". Segundo o teste, a grafia correta do tipo de queijo é com "ç", o que causou estranheza e revolta em alguns candidatos. Pelo menos 50 participantes entraram com recurso na prefeitura para reclamar dessa e de outras questões da prova. Esse material deverá ser enviado à Vunesp (Vestibular da Universidade Estadual Paulista), responsável pelo exame realizado dia 3. Mas, as queixas provavelmente serão em vão. Segundo o Volp (Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa), o oficial da língua, a palavra só pode ser escrita como "muçarela", "mozarela" ou "muzarela". Autor do livro “Gramática do Português Culto Falado no Brasil" e professor de língua portuguesa da USP (Universidade de São Paulo), Ataliba Castilho estranhou a grafia da palavra com "ç". "Eu mesmo achei que fosse com 'ss'. Sempre escrevi e li desse jeito. Estou surpreso", disse. O professor fez questão de consultar o dicionário "Houaiss" para constatar que sua antiga "mussarela" estava errada. Para ele, a confusão é comum devido a origem da palavra. "Em italiano, ela é escrita mozzarella, com 'zz', por isso as pessoas costumam traduzir do jeito mais próximo ao cotidiano, mas a palavra já foi aportuguesada", disse. Castilho deu exemplo da palavra pizza, que, diferente do queijo, ainda segue sendo escrita da forma original em italiano. Poucos entendem tanto de queijo quanto Severino do Ramo Santos Soares, 33 anos. Há 15 anos ele trabalha como pizzaiolo e manuseia cerca de 40 quilos de muçarela por dia. "Nunca tinha ouvido falar que é com 'ç'. Nos cardápios dos lugares em que trabalhei sempre estava com 'ss' e, graças à Deus, nunca ninguém reclamou. Nem da gramática, nem do gosto da minha muçarela", brincou. O gerente do restaurante Vesúvio Rogério Antônio Fuziger, 34, também estranhou a forma correta. Em sua pizzaria, o cardápio informa "mussarela", do jeito considerado errado. "Ninguém nunca falou nada. Até poderia mudar e colocar com 'ç', mas acho que aí sim o pessoal iria reclamar", disse'."

Marisa Galvão Klemm – Franchi Consultores - 14/9/2006

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram