Eleições 2006

27/10/2006
Ricardo Froes

"Será autocrítica? Não bastassem os assaltos aos cofres públicos, assassinatos, esmolas demagógicas, aparelhamento do Estado e uma economia que nos levou à fantástica penúltima posição em crescimento na América Latina, à frente apenas do Haiti, esse bando no Poder ainda nos quer enfiar goela abaixo um discurso populista de combate às elites, o bode expiatório da vez. Só que, como observou Gabeira, segundo eles, as elites e oligarquias só são nocivas quando são contra Lula, que se gaba de ter derrotado o poder de ACM na Bahia emplacando Jaques Wagner, e se baba de amores por José Sarney, hoje um dos homens fortes do presidente, cujo clã controla o Maranhão há décadas, apesar de ter levado o Estado a um dos piores índices de pobreza do país. O interessante é que o PT estadual lá do Maranhão tenta ser coerente e apóia Jackson Lago, do PDT, adversário de Roseana, apoiada por Lula. Vá se entender... Apenas como exemplo curioso, o município de Presidente Sarney, lá no feudo da família de mesmo nome, ostentou em 2002 um PIB per capita anual de R$ 33,36. Isso mesmo, incríveis pouco mais de trinta e três reais por ano por infeliz que mora lá! E só para se ter mais uma idéia da miséria cultivada com orgulho pelo clã que Lula apóia, nada menos de 184 dos 217 municípios do Maranhão têm um PIB per capita anual abaixo de um salário mínimo. Eu disse anual! Essa política (?) de tomar as bênçãos dos oligarcas é fartamente disseminada por Lula, principalmente no Nordeste, onde os coronéis se reproduzem, agora até vestidos de bons-moços, como é o caso de Ciro e Cid Gomes, no Ceará, uma nova oligarquia disfarçada pela juventude e aparente modernismo desses dois. Lá pertinho tem também o Barbalho, assíduo freqüentador de páginas policiais como grande colecionador de processos contra si, figura outrora abominada pelo PT e hoje merecedor de beijos presidenciais nas suas mãos. Em Minas tem o Newton Cardoso, no Rio era o Crivela e agora é Sergio Cabral, enfim oligarca é bom sim, mas só se estiver com Lula... A mixórdia fica ainda pior se nos lembrarmos da carreira de Lula - que foi feita à custa do dinheiro público através dos impostos sindicais - hoje membro da elite sindical junto com outros companheiros que de operários não têm mais nada, a não ser uma vaga lembrança das suas origens. Hoje, muitos ocupam altos cargos em estatais e são contemplados com altos salários, resultado do aparelhamento do Estado. Mas que elite é essa que, segundo o próprio Procurador da República, tem a maioria dos seus membros qualificados como pertencentes a uma 'sofisticada organização criminosa'? Tem até churrasqueiro-comprador-de-dossiê que é diretor do Banco do Estado de Santa Catarina e personal-trainer que recebe R$ 396 mil de Naji Nahas!... Que me desculpe o Procurador, mas será que isto é sofisticação ou está mais para avacalhação mesmo? E nas barbas do povo! No frigir dos ovos, é aconselhável prestar atenção em tudo que Lula e seus sequazes falam sobre as elites, afinal, eles estão falando sobre si mesmos. Será uma autocrítica consciente?"

Envie sua Migalha