domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Defensoria Pública

de 21/1/2007 a 27/1/2007

"A Defensoria Pública Estadual de MG, que não consegue atender a demanda, busca impedir o funcionamento das Defensorias Públicas Municipais, à alegação de que são inconstitucionais. Por conveniência corporativista, interpretam como inconstitucional algo que a CF não proíbe e que se apresenta como dever do município em razão da demanda crescente e da insuficiência da DPE. Inconstitucional é deixar o povo sem advogado, apenas para que os concursados sejam chamados ou, pior ainda, para que o povo não veja o descaso do Estado. Note-se que o Estado de São Paulo somente agora estrutura sua DP e o de Santa Catarina ainda não cogita, fortalecendo as Defensorias Municipais. Busco opiniões e artigos que possam nos ajudar a fortalecer a Defensoria Pública Municipal de Betim, cujos trabalhos foram suspensos por pressão dos Defensores Estaduais, esses atendendo hoje 3 (três) pessoas por dia, enquanto na municipal, quando paralisada, atendia-se uma média de 100 (cem) pessoas/dia. Abraços aos migalheiros."

José Eduardo d´Alcântara Oliveira - 25/1/2007

"A Defensoria está mais preocupada em aparecer do que com os pobres, pois está atendendo pessoas que ganham acima de cinco salários mínimos e a ordem é onde está a mídia. Uma série de desmandos em que o pobre nem manda nada, apenas virou expectador em uma Instituição que alega protegê-lo, mas na verdade acaba é usando o pobre. O pobre tem que comandar a Instituição no campo administrativo."

Daniel Magalhães - bacharel em Direito, São Paulo/SP - 26/1/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram