quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Nelson Jobim / Tarso Genro

de 4/3/2007 a 10/3/2007

"Insiste o Senhor Nelson Jobim em vir a ser presidente do PMDB (Migalhas 1.606 – 5/3/07). Para o quê? Afinal, se momentos de glória pretende, lembre-se já os teve quando postou-se na cátedra do Supremo Tribunal Federal onde por suas posições jurídico/constitucionais esteve presente na mídia. Aposentou-se. Então que permaneça no ostracismo de sua banca de advocacia. Afinal, quem um dia confessou, sem pudor e escrúpulos, que na Assembléia Constituinte de 1988, então deputado federal, valendo-se de sua posição de sub-relator da Comissão de Sistematização (redação final) introduziu no texto sob seu exame um dispositivo que não fora nem votado nem aprovado pela Constituinte, não tem idoneidade moral de sequer disputar o cargo de síndico do prédio em que vive. Ademais, até para postular a presidência do PMDB, segundo está sendo noticiado, é repetente em matéria de fraude pois a lista das assinaturas de sua candidatura não é uma lista fiel aos ditames das normas partidárias e de lisura de intenções. Resta dizer que se espera dos convencionais peemedebistas o bom senso de descartá-lo como manda o bom figurino da reputação ilibada."

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 6/3/2007

"Com essa do Dr. Jobim de renunciar à disputa da presidência do PMDB, nós mortais corremos o risco dele acabar por se acomodar no Ministério da Justiça. Oxe, Migalheiros, entre genros e jobins, FIQUE BASTOS !"

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier e Advogados - 7/3/2007

"Magnífico Editor, O Dr. Alexandre Thiollier deve estar doente. Será que não temos, no Brasil todo, 1 (um) só Advogado de ilibada reputação para ser Ministro da Justiça (Migalhas 1.608 – 7/3/07 – "Migalhas dos leitores - Alfa e Ômega")? Alguém que realmente possa ser Ministro da Justiça, e não advogado do Presidente ou do PT? Creio que a OAB (sic) deveria reclamar! Cordiais saudações do seu admirador, e também do Dr. Thiollier,"

Fernando B. Pinheiro – escritório Fernando Pinheiro – Advogados - 8/3/2007

"Troca-troca: O Brasil na era Collor teve um Ministro da Justiça, com o nome ANTAlógico de Renan Calheiros, será que vamos ter na era Lula, um de nome TORÇO Genro (Migalhas 1.609 – 9/3/07 – "Troca-troca")?"

Hamleto Manzieri Filho - 9/3/2007

"O comentário do Doutor Fernando Pinheiro nos faz refletir sobre o passado (Migalhas 1.610 – 9/3/07 – "Migalhas dos leitores"). Se Jarbas Passarinho (coronel) foi ministro da Justiça, somos conduzidos a pensar que haverá poucos advogados com o perfil para aceitar o honroso cargo. A propósito, a verba destinada ao Ministério da Justiça não é relevante e se trata de um ministério 'bem encolhido'."

Jayme Vita Roso – escritório Jayme Vita Roso Advogados e Consultores Jurídicos - 9/3/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram