Artigo - Em nome da defesa da democracia ?

9/3/2007
Armando R. Silva do Prado

"Migalhas está de parabéns por nos propiciar nova reflexão do professor Souto Maior (Migalhas 1.609 – 8/3/07 – "Debate" – clique aqui). Sem dúvida, a democracia, como outrora a liberdade, serve como tergiversação para aqueles que pretendem prestar loas ao deus mercado. Para esses, voto é importante, desde que não seja em gente do povo sem títulos de doutor; liberdade é fundamental, desde que seja para desfilar pela Oscar Freire com badulaques de ouro; segurança é primordial, desde que seja para rodar com carros importados sem ser molestado; ensino público é dever do Estado, desde que seja a USP, UNICAMP, ITA, etc., para os bem nascidos; e assim (des)caminha a humanidade (?). Aqui em Pindorama, as quatro 'famílias' (Civita, Mesquita, Frias e Marinho) constroem a 'verdade' e estabelecem o grau de justiça necessária para os vassalos. Até quando? Resta razão ao Dr. Souto Maior, pois a Terra de Vera Cruz está esgotada e seu povo 'olhando de lado', desanimado, perigosamente, descrente de tudo. Os direitos sociais, citados pelo professor Souto Maior, foram implementados para combater o perigo do comunismo representado pela antiga URSS. Finda esta, iniciou-se a súbita necessidade de 'racionalizar' as relações trabalhistas, máscara usada para o 'salve-se quem puder'. Mas é bom que atentemos que 'os subempregados e desempregados são vítimas da educação ruim e de políticas econômicas equivocadas', não a causa de dificuldades econômicas de empresas e do país. Portanto, ou atentamos para o que está acontecendo com seriedade, ou brevemente a barbárie será regra e não exceção."

Envie sua Migalha