sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Visita - Bush no Brasil

de 11/3/2007 a 17/3/2007

"ÁLCOOL E BUSH

Lula e o tal do Diabo Bush

se incrontaro no segredo

e pruque tivero medo

parou tudo em pleno rush.

Rapadura e puxe-puxe

se acabaro no Nordeste,

porque vão fazer o teste

se a tiborna agora passa

pros carros beber cachaça

não se importam quem proteste.

Pros bebum já nada izeste

num sei mais o que nós faça."

Ontõe Gago - Ipu/CE - 12/3/2007

"Um dos mais importantes arquitetos do mundo, o comunista histórico Oscar Niemeyer, ao ser homenageado pela Academia Brasileira de Letras (ABL) por seus 100 anos de idade, fez questão de registrar seu protesto contra Bush, dizendo entre outras coisas: 'Sou contra o império assassino de Bush e contra quem, em nosso país, tenta combater o governo Lula'. É caro Niemeyer, boa parte dos que atacam Lula, aguardam ansiosamente o dia em que a Terra de Vera Cruz será aceita como o 52º Estado do império. Aguardem sentados."

Armando R. Silva do Prado - 13/3/2007

"Do caipira ao caubói. Chega a ser incompreensível a aversão que se observou nas ruas de São Paulo ao presidente Bush. Afinal, com quem nos identificamos mais? Com americanos ou com árabes? Existe no mundo um interesse energético. Os países árabes com seu petróleo, nós querendo despontar com nossa energia alternativa. De um lado o árabe com seu fanatismo religioso, com suas escaramuças guerreiras internas e externas, onde há derramamento de sangue para todos os gostos. Se não brigam com os estranhos, brigam com os primos, se não com estes, vão contra os irmãos. E de permeio, surgem os nossos queridos e folclóricos bugres americanos, ambos em países de povos paupérrimos, um com petróleo e outro com gás natural, e nesse baile estamos nós, com nosso potencial ou talismã verde. No sul, o gaúcho, cruza de todas as raças, com seu passado atávico, orgulho de povo que foi guerreiro, mas que agora nem tanto, no norte a terra do caboclo, no nordeste o vaqueiro. No centro, tendo São Paulo, por base, espalha-se por todos os demais Estados e recantos, o nosso tradicional caipira metamorfoseado em caubói americano (música, costumes e traje). Se não usamos chapéus de caubói, estamos com gorros de jogador de 'basebol'. Então se os imitando na moda, porque tanta aversão a sua aproximação na economia? Ora bolas. Tem razão o migalheiro Armando L. Silva do Prado, logo a terra de Vera Cruz será o 52º Estado do poderoso império."

Eldo Dias de Meira – Carazinho/RS - 13/3/2007

"As manifestações contra Bush só podem ser palhaçada. Vaiam, sacaneiam, satirizam e tentam humilhar o presidente americano. Só que depois aparecem chorando e berrando na TV que o Sr. Bush se recusa a tirar barreiras e (provavelmente... no futuro...) não compra o álcool do Brasil. E com cara de coitadinhos dizem que ele não pensa nos outros. Esses lindos e maravilhosos 'outros' que fazem questão de linchá-lo em todo lugar que aparece. Vai entender essa mentalidade... Atacam quem traz comida e depois choram porque ele não volta mais..."

Daniel Silva - 13/3/2007

"Quando vejo essas refregas,

lembro Monteiro Lobato:

'Por que dos dois maiores países da América, descobertos no mesmo ciclo, povoados como os mesmos elementos (europeu, índio e negro), libertados politicamente quase na mesma época, com territórios equivalentes, um se tornou o mais rico e poderoso do mundo e o outro permanece atrofiado? Resposta: No dia em que o Brasil se convencer de que a sua fraqueza decorre da falta de eficiência do homem que o habita, e ponderar que o crescimento dessa eficiência só pode vir com a produção do ferro (matéria-prima da máquina) e do petróleo (a fonte de energia que move a máquina), o primeiro passo para a sua definitiva restauração econômica e financeira estará dado'. Em carta escrita em 9 de dezembro de 1930, ... A América é o que é graças ao ferro. Hoje com a questão ambiental, quem sabe o Lobato, diria: ... vamos nos desfazer de todo o Petróleo (vendendo para os gringos) e consumir o nosso álcool, como fonte alternativa de energia. Cordiais saudações."

Cleanto Farina Weidlich - migalheiro, Carazinho/RS - 14/3/2007

"BRASIL AO BRAZIL (Do Jeca-Tatu ao Caubói)

A idéia do Monteiro

não teve aceitação,

ele foi do sítio para a prisão

como se fosse bagunceiro,

mas esse grande brasileiro

pregava uma confederação,

sistema melhor pra nação,

como adotado pelo Tio San,

mas nossa grei pagã

optou por centralização!

É, eles estão no primeiro mundo com seu sistema confederado enquanto nós...

Bem lembrado amigo Cleanto. O imortal Monteiro Lobato, não só dizia que o petróleo é nosso, mas o autor dos famosos contos infantis, também pregava que eles (os americanos do norte), estavam certos usando o sistema confederado, enquanto nós (americanos do sul) estávamos errados por adotarmos o sistema federativo (com todo esse centralismo emperrado). Mas o curioso disso tudo é que, em vez de seguirem a idéia de Monteiro, mudando o sistema político e administrativo, nossos dirigentes trocaram o nome da nossa Pátria amada gentil (sem plebiscito), isso, certamente, para atrelar o nome ao sistema (Acho que foi no governo militar). Após veio a atual Constituição que sacramentou isso tudo. O contrário, segundo a idéia de Monteiro Lobato, Estados Unidos do Brasil, indica que os Estados é que detém a soberania, enquanto a União apenas os representa perante às outras nações, assim há a necessária descentralização. Talvez essa fosse intenção nunca divulgada dos nossos líderes FARROPILHAS, mas isso é outra estória, hoje nos basta sair do Jeca-Tatu e chegar ao Caubói."

Mano Meira – Carazinho/RS - 14/3/2007

"Leio no Migalhas: 'As manifestações contra Bush só podem ser palhaçada. Vaiam, sacaneiam, satirizam e tentam humilhar o presidente americano'. Os compatriotas do senhor Bush nos impingem tantos conceitos discutíveis, que nós vamos engolindo sem mastigar, que acaba dando no que se vê acima. Eles denominam a si mesmos 'americanos', talvez pensando a longo prazo. Não houve lá quem dissesse ‘A América para os Americanos’? Como americano é quem nasce no continente chamado América, que compreende a América do Norte, a América Central e a América do Sul, por que somente eles teriam o direito a tal título? Eu, por exemplo, que nasci no Brasil, sou também americano. Alguns de nós, mais cultos, especificam: os tais compatriotas do Bush são norte-americanos. Ocorre que o Canadá e o México (confira no mapa que o México não pertence à América Central) se situam na América do Norte. Logo, canadenses e mexicanos também são, por mais que isso incomode a algumas pessoas, norte-americanos. Na verdade, Bush e seus compatriotas deveriam ser indicados pela palavra estadunidense, já dicionarizada. Entretanto, esse poderio cultural é tamanho que o conceituado Houaiss registra norte-americano como sinônimo de estadunidense. Mais adiante, depois de dizer que norte-americano é aquilo que provém da América do Norte, 'e em particular dos Estados Unidos da América', ele se sai com esta: 'Adj. e s.m. Habitante ou natural desse país.' O Cambridge Dictionary diz a mesma coisa a respeito de american: 'of or relating to the US'. Dá para entender?"

A. Cerviño - SP - 14/3/2007

"Show-de-bola Mano Meira:

Coca-cola,

calça Lee,

chicle-de-bola

e Big-Mac pros Tupí.

Em Pindorama,

dos Big Brother do Norte,

enfeite pra mulher dama,

ecoou Lobato até a morte.

Então, vamos assim nessa esteira,

copiando só o que não presta,

tem razão o Mano Meira,

a contra-cultura é uma festa."

Cleanto Farina Weidlich - migalheiro, Carazinho/RS - 14/3/2007

"E que viva Carazinho, aquela do velho e saudoso Brizola!"

Armando R. Silva do Prado - 15/3/2007

"Desculpem a aula porca de História, mas os Americanos se chamam americanos porque esse é o 'nome' do país deles. Nenhum país das Américas jamais se chamou América ou teve américa em seu nome. Já em sua Declaração de Independência, consta que eles são os 'Treze Estados Unidos da América' o que não deixa de ser verdade, pois até onde sei nenhum Estado na América havia se unido até esse período. Acabou que de 13 viraram 50. Como a tendência é você facilitar e não dificultar a comunicação, o mais simples parece ser o nome 'American' do que 'UnitedStadian'. Depois, Brasileiro não é americano no mesmo sentido que os Americanos. Esse país teve uma cacetada de nomes. Inclusive Estados Unidos do Brasil. E nunca vi ninguém querendo ser chamado de estadounidense (uma verdadeira aberração que só se explica pela inveja). Então eles têm direito sim de se chamarem americanos, não porque eles são mais ou menos americanos do que qualquer outro, mas porque o país deles nunca teve um 'nome' oficial. Eles sempre foram uma União de Estados da América. Sendo assim, cabe a eles escolherem a sua identificação, que provavelmente ocorreu por pura simplificação comunicativa e não por causa dessas teses bestas de que querem dominar a 'América'. Se acham que Americanos devem ser chamados de estadounidenses (argh) então que a gente passe a se chamar de republicafederativinos, porque nós somos a República Federativa do Brasil e não Brasil somente. Se esse nome é ridículo é porque está no mesmo nível do estadounidense que tentam impor (por inveja e infantilidade inexplicáveis) aos americanos. Eles ganharam o direito de serem chamados de Americanos da mesma forma como nós ganhamos o nosso de sermos Brasileiros. Então chega dessa porcaria de teoria da conspiração que deveria ser motivo de vergonha para quem a professa."

Daniel Silva - 16/3/2007

"Bom... eu entendi. Estados Unidos da América = Americanos. República Federativa do Brasil = Brasileiros. No dia que algum Brasileiro aceitar ser chamado de RepublicaFederativino eu chamo os Americanos de EstadoUnidenses. Senão, nada feito."

Daniel Silva - 16/3/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram