quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Ministério da Justiça

de 11/3/2007 a 17/3/2007

"Para o queridíssimo amigo e irmão Fernando B. Pinheiro, alucinei de vez, porque substituí o 'Basta de Bastos!' pelo 'Fique Bastos!' face à hipótese de se ter, à consolação, o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal no Ministério da Justiça (Migalhas 1.610 – 9/3/07 – "Migalhas dos leitores"). Nas palavras do migalheiro Pinheiro, haverá de existir ao menos um advogado de ilibada reputação para ocupar o cargo que não genros, jobins ou bastos. Lembrei-me do jogo-jogado voltarete. Enfim, tenho que indagar ao léu: alguém aí aceitaria participar desse governico (s.m. mistura de governo e bispote)? Pensem bem, ainda mais agora com esse tal de PAC, Programa de Aceleração da Corrupção?! A frase não é minha, e não me lembro quem a disse, mas alguém já ensinou que ministérios são compostos de dois grupos de pessoas: um formado por incapazes e outro por gente capaz de tudo ..."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier e Advogados - 12/3/2007

"Senhores: Reporto-me à migalha abaixo transcrita e indago curioso: Mas... não há quarentena?  

'(Migalhas 1.614 – 15/3/07) Advogado está ministro, até amanhã

Bastos deixa, amanhã, o ministério da Justiça. Após um brevíssimo descanso, assume seu posto na banca Chiaparini e Bastos Advogados, que no início do mês inaugurou as modernas instalações na avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.015, 14º andar. Com os festejados Marcos Chiaparini e José Diogo Bastos Neto, Márcio Thomaz Bastos volta à advocacia.'

Abraços."

Fernando Paulo da Silva Filho - advogado em SP - 16/3/2007

"A respeito da 'MJ' (Migalhas 1.615 – 16/3/07). Não sei se o Brasil é grato, acho que o Dr. Marcio acobertou muitas falcatruas do governo."

Hamleto Manzieri Filho - 16/3/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram