domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Polêmica - declaração da ministra Matilde Ribeiro

de 25/3/2007 a 31/3/2007

"Racismo, aqui não! A afirmação da ministra Matilde Ribeiro ao considerar 'natural' que haja racismo de negros contra brancos, além de ser uma fala infeliz, demonstrou o despreparo para exercer o cargo (Migalhas 1.623 – 28/3/07 – "Polêmica"). Esta mentalidade tacanha somente incita a uma segregação social. É passada a hora de pararmos com comparações entre raças quando todos são seres humanos com seus próprios valores, e que devem ser avaliados igualmente pela educação, pelas atitudes e pelos resultados que cada um oferece à comunidade em que vive. Somente assim poderemos melhorar a situação desta sociedade que tanto necessita do esforço de todos independentemente de sua raça. Também, é preciso acabar com as comparações aos EUA que são uma sociedade completamente diferente da nossa. Se queremos ser 'melhor' que eles, o primeiro caminho é deixarmos de copiar o que eles têm de pior. Com o comportamento de separação entre as raças somente podemos piorar ainda mais o país. É preciso cuidado para que estes comportamentos vis não obtenham força, principalmente, se surgem de quem deveria ter outra atitude em relação ao tema. Na verdade, não há o que estranhar os trapalhões escolhidos por Lula são mestres e divulgadores de ações alopradas, tal como o próprio."

Maria Elisa Silva - 29/3/2007

"Acabo de ler uma notícia no UOL, descrita abaixo, sobre a interpretação da Constituição da Exma. Sra. Ministra Matilde Ribeiro, titular da Secretaria Especial de Política da Promoção da Igualdade Racial (Seppir), onde afirma ser natural a discriminação dos negros contra os brancos. Mas o racismo é ignóbil e ilegal sob qualquer das vestes, seja de quem for a quem quer que seja dirigido. Creio que a Sra. Ministra deve explicações sobre seus conceitos, que aparentemente foram racistas em relação aos brancos, já que eu em meus 42 anos de vida jamais açoitei um negro, muito ao contrário, mantendo amizades de longa data das quais muito me orgulho. Esqueceu a Sra. Ministra que somos todos brasileiros, independente de sexo, raça, cor ou religião. Entristeceu-me profundamente ver uma Ministra separar o meu país em Negros e Brancos, como fundamento da necessidade da promoção da igualdade. Somos muito mais que um País de negros e brancos, somos um País de mulatos, índios e amarelos, mestiços de todas as cores. Um Brasil multicolorido e profundamente desigual, mas feito principalmente de pobres e ricos, independente da cor. Atenciosamente,"

Reynaldo Puggi – SINDIRECEITA – Sindicato Nacional dos Analistas-Tributários da Receita Federal - 29/3/2007

"Deu no Migalhas (1.623 – 28/3/07 – "Polêmica"): 'Causou desconforto no governo uma declaração da ministra Matilde Ribeiro, da Secretaria Especial de Política da Promoção da Igualdade Racial, para quem é natural a discriminação de negros contra brancos.' - Li a entrevista e não acreditei que uma pessoa tão despreparada (mais uma!) chegasse a ministra. Já não chegou o fiasco da Benedita da Silva, que despontou para o ostracismo sem ter prestado contas da famosa viagem a Buenos Aires? A ser como diz a tal despreparada ministra (?), as mulheres têm o direito de discriminar os homens, pois sempre foram por eles discriminados; e por aí vai. Será que não está na hora de o governo federal descobrir que em todas as funções, principalmente as funções públicas, não basta ter este ou aquele gênero, esta ou aquela cor, ser deste ou daquele partido para poder desempenhá-la a contento? É difícil imaginar que alguém que chegou aonde chegou sem ter tido uma educação formal entenda a importância disso. 'Se eu si fiz por si mesmo qualquer um pode!' talvez seja a expressão de sua impensável modéstia. Na prática isso não é bem assim. Essa 'igualdade' demagógica, que leva ao desestímulo alguns honestos indecisos e ao enriquecimento muitos incultos espertalhões deve ter um fim. Quando será que  este país vai ter um partido que tenha a coragem de ser oposição?"

A. Cerviño - SP - 29/3/2007

"Disse a Ministra (!?) Matilde Ribeiro que não é racismo quando um negro se insurge contra um branco (Migalhas 1.623 – 28/3/07 – "Polêmica"). Isso porque, entende ela, essa repulsa bem como não conviver com branco, são coisas naturais. Com a devida vênia, a Ministra deveria fazer uma revisão de seus conhecimentos básicos para poder manifestar-se sobre essa ou qualquer outra questão social. Na antiguidade AC, prisioneiro de guerra, branco, tornava-se escravo. Na África, os próprios negros vendiam outros negros que aprisionava para os brancos traficarem. E parece que isso ainda hoje ocorre. Se não é uma manifestação racista, negro odiar o branco o que é então? A nota explicativa da manifestação da Ministra (!?) não esclarece esse ponto, o qual deve ser esclarecido para, no mínimo, poder-se compreender melhor seu pensamento mediante um esclarecimento dela própria, e não de terceiro interpretes de suas falas (a nota posterior nada esclareceu). Aliás, falar e depois ter de esclarecer, não é, decididamente, uma forma politicamente correta de dirigir-se aos cidadãos brasileiros. Diante disso tudo, D. Matilde Ribeiro, apesar de mestre em psicologia social, não tem condições de ser Ministra de Estado, razão pela qual sugiro que peça exoneração imediatamente para dar lugar e espaço a quem queira reduzir as desigualdades sociais e não incitar discórdias e confrontos."

Pedro Luís de Campos Vergueiro - 30/3/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram