domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Falecimento - Ernani Graeff

de 1/4/2007 a 7/4/2007

"Nota de falecimento: Faleceu na última sexta-feira, na cidade de Porto Alegre/RS, o Dr. Ernani Graeff. Advogado dos advogados, por mais de 40 anos, foi Juiz do extinto Tribunal de Alçada Gaúcho, em cujas honrosas funções obteve o seu 'ocium cun dignitatis'. Grande companheiro de tênis, esporte que praticava e incentivava em nossa querida Carazinho. Um corredor passado, rendia a promessa de uma grade de pepsi. Excursões no seu Galaxie branco, para disputas dos torneios inter-clubes pelo interior gaúcho e até na capital, também, são gratas lembranças. Grande estudioso e conhecedor do processo, recordo-me, de uma feita, quando fui 'pedir água' com um intrincado caso. E ele, respondeu: não dá mais, ... (risos) perdeste o prazo para agravar, ... ao que, minha companheira Janice, retorquir, ... mas o que é um prazinho para você Dr. Ernani? ... os risos foram gerais, e o prazo foi reaberto, alegando-se um defeito formal no ato da publicação da intimação. De todas as lições e foram muitas, tanto no plano das relações humanas, como, no das ciências jurídicas e portanto mais do que humanas, ficou a marca do bom-humor, da simplicidade, da capacidade, competência e coragem. O registro, o exemplo das assertivas, vêm de uma madrugada varada, há alguns invernos passados, debruçados sobre uma contestação, cujo prazo vencia no dia posterior, e ainda, deveria subir a ‘serra da guavirova’, para ser apresentada no Fórum de Carazinho, ocasião na qual o nosso querido homenageado, após as despedidas de estilo, foi atendido em plantão médico, com diagnóstico de febre alta provocada por pneumonia. Por essas e outras, ... quando Presidia do Tribunal de Alçada em Porto Alegre, ... fui fazer-lhe uma visita, ... e na ante-sala, ... a quem devo anunciar? Diga que é dono do maior saque da região do Planalto, em pessoa, que está aqui!, ... e ele, ... na cadeira de Juiz, mas com ouvido de advogado, ... gritou através da porta entreaberta, ... passa Pé-grande! Em outra ocasião, encontrava-me largado da raquete, com preparo físico debilitado e alegando 'falta de tempo' para continuar jogando tênis. Ao que ele presenciando o meu lastimável estado, aconselhou: ... olha Cleanto, eu também passei por isso, mas fiz um exame de consciência e avaliei, ... do que eu gosto mais, jogar tênis ou trabalhar, ... e a resposta veio fácil, ... então, eu paro de trabalhar, mas não de jogar tênis. E com esse toque, eu voltei. Meus respeitos, minha gratidão, minha eterna saudade, do grande companheiro e professor, com sinceros sentimentos de condolências à família enlutada. Cleanto Farina Weidlich e família (Janice, Bruno, Cláudio, Jana e Fernando), (também pelos amigos da confraria de Chácara Hartmann/Carazinho/RS, local onde com a sua - sempre vibrante e alegre companhia - parceria muitos nos divertimos ao embate das partidas de tênis, que relutava em perder, pois, guardava a estilo e a marca dos vencedores)."

Cleanto Farina Weidlich – migalheiro, Carazinho/RS - 2/4/2007

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram