Socialismo

26/11/2007
Armando Silva do Prado

"Hoje, a discussão sobre o socialismo passa pelo entendimento e resolução de três fundamentos: o Estado, o Capital e o trabalho assalariado. E mais: não adianta resolver apenas um ou dois deles, é preciso conjugar os três juntos, pois ao contrário do século XX, onde a dicotomia era entre socialismo e barbárie, hoje, mais do que nunca, a opção é entre socialismo, ou simplesmente a extinção, como ensina o filósofo marxista István Mészáros. Muito diferentemente do que dizem os neoliberais fundamentalistas, a queda do Muro de Berlim não deu a vitória ao capitalismo, mas numa espécie de vingança histórica agravou sua existência, pois de longe o que havia na URSS era o capitalismo de Estado, pois lá não se havia resolvido o problema do Estado, um dos três vetores essenciais na destruição do Capital. Felizmente, nessa luta por uma esquerda dialética, quando a Europa fracassa na busca de novos encaminhamentos socialistas, a América Latina renova as lutas de esquerda na Venezuela, na Bolívia, no Equador e no Brasil, principalmente, via movimentos camponeses de um novo tipo. O antigo colonizado, o índio, o mestiço, o negro, dão o 'xeque-mate' no antigo colonizador, o que de certa forma explica o ódio que desperta na elite branca predadora e 'européia' na sua ideologia de resistência (sic)."

Envie sua Migalha