Pesquisas

5/12/2007
Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL

"Érico de Castro, pesquisador português, acaba de trazer a público uma pesquisa que aponta que 80% dos portugueses não confiam em políticos sorridentes. Melhor explicando, 80% dos portugueses entrevistados consideram que os políticos forçam o sorriso. O estudo foi realizado com 2.610 portugueses entre 18 e 70 anos e mostrou haver uma desconfiança comum, entre todos os grupos, por políticos que sorriem constantemente. Já no Brasil, uma pesquisa do IBOPE, de 2005, que ouviu 2.002 pessoas, em 143 municípios, em todo o país, entre os dias 18 e 22 de Agosto, apontou que 90% dos brasileiros não confiam nos políticos, quer eles sorriam, quer não, já que o estudo não entrou nesse detalhe. Imagina-se que, de 2005 para cá, a classe política deve ter perdido mais alguns pontos na apreciação do público. Uma outra pesquisa, feita pela UNB, em Brasília, forneceu um resultado um pouco melhor, ainda que sem considerar o sorriso: 86% dos brasilienses não confiam nos políticos. Nesse caso, por certo o resultado deve ter sido melhor porque os próprios políticos, e seus familiares, devem ter participado da pesquisa, desvirtuando o resultado. Mas, voltando a Portugal, a seleção do Reader’s Digest, de Portugal, também publicou uma pesquisa, informando que 97% dos entrevistados não confiam nos políticos portugueses, o que dá uma informação mais completa do que a primeira, aquela dos políticos sorridentes, até porque, como se sabe, os portugueses são muito literais. Essa mesma pesquisa informa que 93% dos portugueses não confiam nos vendedores de automóveis, o que os coloca, de qualquer forma, à frente dos políticos, o que significa, talvez, que se um político se dedicar à venda de carros poderá obter alguma melhora na sua imagem. No Brasil, ninguém compraria um carro usado de um político. A não ser que fosse para pagar com laranjas, é claro. Mas, se ele sorrir, nada feito."

Envie sua Migalha