33.000 Advogados na Rua da Amargura

27/12/2007
Maria Filomena Santos de Azeredo Passos

"Sobre a Carta-Denúncia escrita por Roberto Ferreira (Migalhas 1.806 – 26/12/07 – "Carta-denúncia" - clique aqui), advogado como eu, devo dizer que ele foi capaz de expressar tudo aquilo que pensei, mas não me atrevi a dizer. Faço parte dos '33.000 advogados na rua da amargura' porque acreditei, efetivamente, na segurança dessa Carteira de Previdência; afinal fora criada por lei e administrada por um órgão do Estado de São Paulo. Blefe, percebo agora. Mas não podemos entregar os pontos. Afinal, somos ou não somos agentes da Justiça ? Eu, particularmente, não quero ser indenizada (quando ? como ?). Quero o benefício a partir do momento em que eu estiver apta a obtê-lo, conforme as normas legais que vigoravam no momento em que aderi à Carteira. Nada mais, nada menos. Não tenho idade nem tempo para aderir à Previdência Privada. Acredito que muitos estejam em condições idênticas. Quero agradecer ao Dr. Roberto Ferreira, porque ele foi a voz de muitos que estão quietos."

Envie sua Migalha