Big Brother Brasil

7/1/2008
Fredy Correa - radiojornalista na capital de São Paulo

"Se pudesse intitular essa modestíssima migalha, chamá-la-ia 'O verdadeiro Big Brother do planeta'. Refiro-me à manchete de sábado, 5, do jornal britânico 'The Guardian' dando conta das 'Cinqüenta Pessoas Que Podem Ajudar a Salvar o Planeta'. Aquele periódico identificou, com a ajuda de um painel de especialistas, os 50 homens e mulheres com poder de nos salvar de nós mesmos. 'Todo mundo concorda que uma ação urgente é necessária para evitar uma mudança climática catastrófica, mas quem realmente tem a influência e as idéias para fazer isso acontecer?' pergunta o The Guardian. Dentre os que compõem a lista do que eu chamaria de 'Reality Show: Save The World', estão o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore, a primeira-ministra alemã Angela Merkel, o geneticista americano Craig Venter, o prefeito de Londrews, Ken Livinsgstone, o ator norte-americano Leonardo DiCaprio e a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Marina Silva. Quanto à brasileira, aliás a única latino-americana da lista, cuja foto ilustra a chamada de capa ao lado de DiCaprio e Wangari Maathal, ex-ministra-assistente do Meio ambiente do Quênia e Nobel da Paz de 2004, o jornal esclarece que Marina 'é filha de seringueiro brasileiro, passando sua infância coletando látex da floresta amazônica e protestando contra a destruição provocada pelos madeireiros ilegais'. E conclui, certeiro, 'sob sua gestão no ministério, o desmatamento da Amazônia caiu 75% e vastas áreas de floresta foram destinadas a comunidades indígenas'. Seria de se sugerir que os grandes veículos de imprensa do mundo ficassem 'de olho' nas atividades das tais personalidades que podem salvar o planeta e outras e que podem acelerar a sua destruição. Seria mais produtivo e interessante do que ficarmos todos, idiotizados, diante das câmeras globais, 'de olho' no que fazem sob os edredons os membros do estúpido reality show em fase de estréia da oitava edição. Veja que foi dito que 'estúpido' é o programa e não seus participantes, embora, na verdade, às vezes, ambos disputem tal condição. E fica a pergunta: por que não criarmos um grande movimento tipo 'Grandes Irmãos, Salvemos o Mundo'? Este seria o verdadeiro Big Brother com alguma finalidade conseqüente que não fosse apenas matar o tempo enquanto ele nos mata. Afinal, nossos ancestrais, aqueles primitivos e 'involuídos', por aqui passaram, viveram, escreveram sua história, procriaram e deixaram o planeta intacto. Nós, os evoluídos, estamos acabando com o planeta a passos largos. Seriam eles, de fato, os 'primitivos'?"

Envie sua Migalha