domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Big Brother Brasil

de 6/1/2008 a 12/1/2008

"Se um de cada mil fãs do Big Brother Brasil Global souber responder quem foi George Orwell, eu me penitencio por achar que esse programa é próprio para pessoas de baixíssimo nível cultural (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil")."

Eldo Dias de Meira – Carazinho/RS - 7/1/2008

"Senhores: Foi com grande alegria que não vi e não gostei do BB (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil"), e continuo incólume... Devíamos instalar um primeiro de janeiro, para concorrer com o primeiro de abril, pois gargalhar faz bem, e saber que mantemos o nível intelectual quando a esmagadora maioria é fã desse lixo faz melhor ainda à alma."

Silvia Dias - 7/1/2008

"É surpreendente como as pessoas são hipócritas e descaradas ao mal dizer de forma escancarada o programa mais assistido atualmente pela população brasileira. Gente, isso é Brasil. Somos nós!"

Anzelino Silva - 7/1/2008

"A única alegria que o BBB me dá é quando ele acaba (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil")! Tenho dó das pessoas vazias e que não têm nada mais de produtivo a fazer, a não ser ver aquela porcaria cheia de falsidades, fofocas, intrigas, inimizades, choros falsos, 'emoçõeszinhas', etc., e o que é pior, tudo por dinheiro! Há um claro descontrole, tanto nos que participam, como nos que vêem. O vazio se caracteriza por uma pessoa ficar vendo a vida dos outros, denotando que algo mais profundo falta na sua. Bom, já falei muito sobre esta porcaria, que não merece maiores considerações."

Sérgio Aranha da Silva Filho - 7/1/2008

"Vai começar mais um Big Bosta Brasil (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil")!"

Marcos Abreu - 7/1/2008

"Li e não me assustei, apenas estranhei, e no final a não publicação da lista também não me causou nenhum espanto. Concordo com os migalheiros Antônio Donizeti Navarro e Joacir de Medeiros (Migalhas 1.811 – 4/1/08 – "Migalhas dos leitores - Big Brother Brasil" – clique aqui). Feliz 2008."

Marcos Cesar Vieira - 7/1/2008

"Se pudesse intitular essa modestíssima migalha, chamá-la-ia 'O verdadeiro Big Brother do planeta'. Refiro-me à manchete de sábado, 5, do jornal britânico 'The Guardian' dando conta das 'Cinqüenta Pessoas Que Podem Ajudar a Salvar o Planeta'. Aquele periódico identificou, com a ajuda de um painel de especialistas, os 50 homens e mulheres com poder de nos salvar de nós mesmos. 'Todo mundo concorda que uma ação urgente é necessária para evitar uma mudança climática catastrófica, mas quem realmente tem a influência e as idéias para fazer isso acontecer?' pergunta o The Guardian. Dentre os que compõem a lista do que eu chamaria de 'Reality Show: Save The World', estão o ex-vice-presidente norte-americano Al Gore, a primeira-ministra alemã Angela Merkel, o geneticista americano Craig Venter, o prefeito de Londrews, Ken Livinsgstone, o ator norte-americano Leonardo DiCaprio e a ministra do Meio Ambiente do Brasil, Marina Silva. Quanto à brasileira, aliás a única latino-americana da lista, cuja foto ilustra a chamada de capa ao lado de DiCaprio e Wangari Maathal, ex-ministra-assistente do Meio ambiente do Quênia e Nobel da Paz de 2004, o jornal esclarece que Marina 'é filha de seringueiro brasileiro, passando sua infância coletando látex da floresta amazônica e protestando contra a destruição provocada pelos madeireiros ilegais'. E conclui, certeiro, 'sob sua gestão no ministério, o desmatamento da Amazônia caiu 75% e vastas áreas de floresta foram destinadas a comunidades indígenas'. Seria de se sugerir que os grandes veículos de imprensa do mundo ficassem 'de olho' nas atividades das tais personalidades que podem salvar o planeta e outras e que podem acelerar a sua destruição. Seria mais produtivo e interessante do que ficarmos todos, idiotizados, diante das câmeras globais, 'de olho' no que fazem sob os edredons os membros do estúpido reality show em fase de estréia da oitava edição. Veja que foi dito que 'estúpido' é o programa e não seus participantes, embora, na verdade, às vezes, ambos disputem tal condição. E fica a pergunta: por que não criarmos um grande movimento tipo 'Grandes Irmãos, Salvemos o Mundo'? Este seria o verdadeiro Big Brother com alguma finalidade conseqüente que não fosse apenas matar o tempo enquanto ele nos mata. Afinal, nossos ancestrais, aqueles primitivos e 'involuídos', por aqui passaram, viveram, escreveram sua história, procriaram e deixaram o planeta intacto. Nós, os evoluídos, estamos acabando com o planeta a passos largos. Seriam eles, de fato, os 'primitivos'?"

Fredy Correa - radiojornalista na capital de São Paulo - 7/1/2008

"Ao me deparar com aquela chamada (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil") de uma possível lista do BBB no final do Migalhas, levei um baita de um susto. Não acreditava, será que o Migalhas tinha se envolvido em coisa tão desnecessária? Mas segui o caminho das pedras, li artigos, comentários, participei de promoções, etc., etc. Quando cheguei ao final do Migalhas nem me lembrava mais que possivelmente existisse ali a tal lista. O alívio foi grande, quando pude encerrar minha leitura, sem ter que me deparar com a relação de nomes de pessoas que se prontificaram a tamanha asneira e por saber que o Migalhas não apóia tamanho desiderato. Como se diz por aqui, não há mal que sempre dure, a partir de terça-feira estaremos em contagem regressiva para o término disso tudo. Saudações."

José Maria T. M. Silva - 7/1/2008

"Nobres Redatores, Como me senti Feliz e Aliviado ao verificar, neste irretocável informativo, ao ver que são muitas as pessoas que manifestam-se contra o Malfadado Big Brother, Gota D'água da Cultura Inútil que é pregada em nosso país (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil"). Sendo assim e, embora ainda hajam muitos adeptos desta banalidade, pergunto: Por que suportarmos isso? Por que não fazer um abaixo-assinado? Graças a Deus, tenho ao menos a honra de poder dizer que nunca assisti à nenhuma das versões destas Pílulas (ou melhor, Overdose) da Desinformação!"

Carlos Alberto Barbosa de Mattos - OAB/SP 220.501 - 7/1/2008

"Amigos Migalheiros. Sou editor chefe do jornal Tribuna de Cianorte (clique aqui), no Noroeste do Paraná. Iniciei, desde a semana passada, uma campanha em favor da inteligência e da libertação de mentes corrompidas pela influência maléfica da Casa dos Idiotas, comandada pelo pseudo-escritor Pedro Bial (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil"). Todos os dias escrevemos uma nota sobre os perigos de se assistir a esse programa, com a sincera esperança de que arrebanhemos pelo menos um leitor por dia. Temos de nos movimentar contra esse Big Brother e sua horda de acéfalos. Temos de lutar. Grandes abraços"

Antonio Castanha Filho – Cianorte/PR - 8/1/2008

"Colegas Migalheiros, Ainda que o tal 'BBB' seja considerado pela maioria de nós um programa que acaba por  degradar a sociedade brasileira, não entendo o porquê da revolta de alguns colegas diante desse programa (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil"). Afinal, todos temos o incrível poder do controle remoto para mudarmos de canal, ou ainda, simplesmente desligar o aparelho de TV. Para todos que criticam (me incluo nesse rol!) sugiro que apertemos o botão 'off'. Abraços,"

Paulo Santos - advogado - 8/1/2008

"Eu sou fã de Big Brother. E digo logo: George Orwell não existiu. Esse era apenas um pseudônimo de Eric Blair. Mas talvez eu tenha mesmo baixo nível cultural. Vai ver Deus quis assim. Eu gostaria de ter estudado para poder impor aos outros o que é bom ou ruim. Queria poder dizer a eles que o Big Brother é uma coisa imbecil e que eu, inteligente, só assisto à TV Justiça o dia inteiro, vendo pessoas falando 'Excelência' o tempo todo. Ver teses esdrúxulas parecerem inteligentes por estarem cobertas com um português rebuscado. Exigir programas de televisão de alto nível cultural que nunca assistirei porque são muito chatos. Exigir alta cultura para poder dizer que Sócrates foi um jogador da seleção. Assistir programas de tubarões comendo focas e de leões atacando gazelas e me sentir mais culto. Rir dos outros por falar 'pobrema' enquanto continuo separando o sujeito do predicado com vírgula. Reclamar de incultos que assistem ao Big Brother ao invés de ler, como eu, livros clássicos da literatura mundial, como Paulo Coelho, Jô Soares e Chico Buarque. Dizer aos outros que deveriam ler Darcy Ribeiro e Elio Gaspari enquanto ignoro a existência de escritores como Eric Voegelin e Jan Huizinga. Enaltecer os livros no Brasil, ignorando o imenso déficit de livros e que no Brasil não tem praticamente nada de Russell Kirk, Ludwig von Mises, Leo Strauss, Eugen Rosenstock-Huessy, David Horowitz, Irving Kristol e Thomas Sowell. Afirmar, ante esse mercado literário do Brasil (livros, jornais e revistas), que não ler é analfabetismo e não questão de higiene mental. Assistir um desconhecido na TV e dizer que quem deveria estar no lugar dele é um ex-quase-presidente de outro país que espalha medo e terror pelo mundo através de mentiras em um documentário, reconhecidas até por uma decisão judicial na Inglaterra. Generalizar o meu gosto (ou da maioria) para toda a população de um país (um grande nós), sendo incapaz de enxergar a individualidade de uma escolha. Dizer a todos que o Big Brother é imposto sobre o Brasil ao mesmo tempo em que me nego a reconhecer que, estando somente na televisão, eu posso mudar de canal ou simplesmente desligá-la. Decretar que os outros devem assistir ao que eu digo, enquanto eu assisto ao que eu quero. Bater no peito para dizer que nunca assisti a um programa, mas que o condeno com todas as forças do meu ser porque nele só tem burrice. Mas infelizmente eu não sou culto. Sou burro. Abandonado em divagações sobre o Ser, a Verdade e o Certo. Lutando para compreender Pitágoras, Platão e Aristóteles, tão acima da minha burrice. Sou um mero inculto que assisto ao Big Brother como um programa de entretenimento ao invés de assisti-lo como um programa de cultura."

Daniel Silva - 9/1/2008

"O BBB para mim 'não fede nem cheira', mas é no mínimo engraçado encontrar pessoas, que ao mesmo tempo condenam uma simples menção indicativa de faixa etária a que se adéquam novelas e programas de TV, sob a alegação de censura, quando nelas há evidente 'glamourização' da prostituição, da falta de caráter e da criminalidade, e que depois repudiem esse programa que, como os outros, é igualmente uma apologia à imbecilidade (Migalhas 1.810 – 3/1/08 – "Big Brother Brasil"). Aliás, outro dia assistia a um dos poucos programas que consegue fugir dessa linha, o 'Esporte Espetacular', quando em um bloco inteiro criticou-se a atitude de um jogador, salvo engano do São Paulo, que ao comemorar um gol simulava disparar uma arma, obviamente num momento de alegria, que não podia ser entendido de outra forma que não fosse 'o Matador', no sentido de ser ele o goleador, o artilheiro. A emissora pratica a velha história do macaco que enrola o rabo e senta em cima... Quantas 'Bebéis' não se produziram após a prostituta da novela, apesar de tudo, terminar tão bem ao final das contas? O controle remoto está nas mãos do telespectador. Que ele seja o senhor da sua inteligência!"

Luis Torres - 9/1/2008

"Meus parabéns, prezado Daniel Silva pelo seu comentário inteligente. Uma 'pegadinha' tola da equipe do Migalhas, mas que rendeu inexplicavelmente uma saraivada de comentários que, na sua maioria, estão cheios de hipocrisia! Ainda ontem vi aquele 'monte' de gente de bela estética! Serviu ao menos para limpar a minha vista já cansada pelo tempo. Abraços"

Abílio Neto - 9/1/2008

"BBB - Li o texto do sr. Antonio Castanha Filho de Cianorte (Migalhas 1.813 – 8/1/08 – "Migalhas dos leitores – BBB"), sobre o programa global BBB 8 e, os demais comentários que sacrificaram, não conseguiram matá-lo, mas querem sepultá-lo. Acho que criticar o que não se gosta é muito fácil, mas achar uma solução para que pessoas que não têm outro programa ou ocupação para o horário do BBB, ninguém consegue. Sugiro que o Sr. Castanha que mora numa cidade pequena (com um potencial têxtil grande), comece uma campanha no sentido de organizar palestras sobre controle de natalidade para as senhoras e senhoritas que adoram o BBB, jogos estilo Master nos ginásios ou escolas da cidade para jovens, curso profissionalizante para os pais dos jovens e maridos das senhoras que estarão numa palestra sobre inúmeros assuntos que por desconhecerem, acham melhor ficar vendo o tal BBB. Sei o quanto é difícil começar uma campanha, com itens citados acima, sem que as pessoas notem que estão adquirindo cultura e não copiando o vocabulário, moda, gestos, estilo musical que os participantes tentam nos ensinar com muita propriedade. Mas tenho certeza que se alguém começar, muitos irão aderir a idéia, e lentamente o tão criticado programa poderá perder 'Ibope', e quem sabe veremos seu sepultamento."

Ana Rosa Ressetti Pinheiro Marques Vianna - 10/1/2008

"Saudações aos srs. Daniel Silva e Luis Torres pela defesa da liberdade de escolha, ao comentarem as verrinas derramadas por vários migalheiros sobre o BBB. Censura, ainda que bem intencionada, no mais das vezes acaba mal. Aos críticos do programa recomendo lerem Tartufo, de Molière. Atenciosamente"

Ednardo Souza Melo - 10/1/2008

"Simplesmente inacreditável que exista gente que 'acredita' nesse programa."

Conrado de Paulo - 11/1/2008

"Daniel Silva. Confesso que errei. Errar é humano, persistir no erro é que é burrice. Na verdade, gosto não se discute, como bem disse o imortal tribuno gaúcho, Gaspar da Silveira Martins: 'Idéias não são metais que se fundem'. Vejo que o Big Brother demonstrou que está aí pra ficar, pois já faz parte do lazer da maioria do nosso povo. Embora com poucas luzes, vejo que no meio dos cascalhos, encontramos alguma pepita de ouro. Tu como fã do Big e culto como demonstrou, decerto podes perdoar a este migalheiro descrente, do interior do garrão da pátria, que ainda não leu meio catecismo, não acredita em bruxas, mas sabe que 'las hay, las hay', não morre de amores pelo programa Big Brother, principalmente por não ter alcance de vislumbrar graça nas graças dele, mas tem fé no Colorado, time de seu coração. Abraços."

Eldo Dias de Meira – Carazinho/RS - 11/1/2008

"O enlatado 'bobal' com certeza amarga uma das piores audiências da história. Isso se deve a quase uma década de programa de péssima qualidade e que de nada ajuda no desenvolvimento das nossas crianças. Veja-se, um menino ou menina que tinha seus 7 anos no primeiro programa, hoje já possui 15... Estou na torcida para que no ano próximo, não haja mais essa 'besteirola' televisiva!"

Rogério Ronaldo Almeida Lima - Belém/PA - 11/1/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram