domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Rio de Janeiro

de 20/1/2008 a 26/1/2008

"Rio de Janeiro (Migalhas 1.821 – 18/1/08). Caros amigos do Migalhas e Ilustríssimo Diretor. Ao ler o texto onde se especula, baseado em apontamentos, a real data de nascimento da Cidade Maravilhosa, sendo 20 de Janeiro ou primeiro de março, não posso me furtar a contar um 'causo' sobre o controvertido tema. Já de início deixo claro a falta de comprovação histórica do causo, mas a fonte é confiável. Quando de minha juventude, inquiri meu amigo e professor de 'estória' e religião, falecido D. Sebastião (coincidência) do meu querido Colégio de São Bento do RJ, sobre esta controvérsia, alegando que pelo fato do santo padroeiro da cidade ser seu xará e ele deveria ter bons contatos. Os monges do São Bento sabem de tudo, não contam fácil, mas sabem. D. Sebastião, com aquele riso de canto de boca, respondeu-me o seguinte: 'Os portugueses chegaram aqui na verdade no dia 20 de Janeiro, entraram na baía de Guanabara e não tiveram lugar para desembarcar com segurança até 1º. de Março. Em 20 de Janeiro, ao se deparar com a imensidão daquela baía, o capitão supôs tratar-se da foz de um rio, daí consultou na folhinha o santo do dia 20 e era São Sebastião, daí pimba! veio um coice de criatividade e inspiração: São Sebastião (santo do dia) do Rio (era a baía da Guanabara) de Janeiro (o mês, óbvio). Essa é a verdade'. Veja agora, faz sentido. Por que raios alguém daria o nome de um Rio e de um mês para uma cidade? Se fosse março, seria S. Sebastião do Rio de Março! Então, acredito mais na estória, do monge, que na história, de longe. Abraços e espero que tenham gostado do 'causo'. D. Sebastião, que está no céu, ore pelo Rio."

Glauco Michelotti - 21/1/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram