segunda-feira, 26 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Migalheiros

de 3/2/2008 a 9/2/2008

"Meus queridos Mano Meira, Adauto, e agora a nossa vestibulanda e já 'migalheira em peso' Juliana Meira, meus cuturnos são pesados e não consigo alçar esses 'vôos', que me atribui - por generosidade e alma de irmão - o preclaro poeta e jurista Mano Meira. Só posso dizer, que em termos de gente/passarinho, não me sai do bestunto o dito pelo imortal Quintana, ... esses que andam por aí, atravancando o meu caminho, eles passarão, eu passarinho, ... O Mano Meira, queria por certo, que eu fosse remexer o baú dos ossos, auscultar paredes e consultar fantasmas, procurar os ecos das revoluções, encontrar o Julio de Castilhos, Assis Brasil, e outros caudilhos que deixaram seus nomes - por seus atos, muitos deles criminosos - para o julgamento do história. Prefiro, o passarar, os gorjeios, o bater de asas, ... sempre em direção ao Sul, onde há tanta vida, tanta água, tanta gente querida, ... inspiração, ... para tanta imaginação, ... quem sabe poesia, ... vou prás bandas do Alegrete, num vôo rápido, averiguar que tipo de pasto, que sombra de cinamomo, que água bendita, fez a biologia etérea e bela, do autor dos meus, ... nossos, de todo o mundo, ... Quintanares. Cordiais saudações!"

Cleanto Farina Weidlich - Carazinho/RS - 6/2/2008

"Sr. Diretor, Vejo na TV do Tribunal que a Ministra Ellen Gracie disse que 26.000 processos (recursos vários) foram impedidos de subir, obviamente pelos órgãos que os examinam antes do STF. A final, quem entra com um recurso, pretende que ele seja impugnado por órgãos criados para impugná-lo, por senões que não de mérito; ou que seja examinado no mérito? Desculpe-me a Ministra; pois não sei qual a intenção do pronunciamento dela; mas, para nós, advogados que, às vezes passamos horas e até dias para elaborar os recursos, tais decisões são lamentáveis, e ainda mais para aqueles clientes que os advogados representam. Vi ,outrora, um outro Ministro, hoje aposentado, que disse de erros grosseiros para impugná-los, obviamente, erros formais, não maliciosos, como pretendem ser erros grosseiros, no Código de Processo; e até perguntei: não seriam erros mais grosseiros ainda deixar de examinar os recursos no mérito? Certo que a grande falha é existirem somente 11 Ministros no STF, para questões constitucionais, que é preciso corrigir urgentemente, se quisermos Justiça na acepção da palavra. 'Juris praecepta sunt haec honeste vivere, alterurm non laedere suum cuique tribuere' (Os preceitos do direito são viver honestamente, não lesar terceiros ; e dar a cada um o que é seu).  E a última frase, principalmente bem cabe ao Judiciário segui-la. Impedindo a subida, obviamente não está seguindo o preceito constitucional 'data venia'. Atenciosamente,"

Olavo Príncipe Credidio – advogado, OAB 56.299/SP - 7/2/2008

"Qual é a tradução deste texto em latim: 'Lorem ipsum vim ut utroque mandamus intellegebat, ut eam omittam ancillae sadipscing, per et eius soluta veritus'."

Sidval Alves de Oliveira Junior – advogado, Campinas - 7/2/2008

"(Migalhas 1.831 - 1/2/08) Caros senhores, Sem a certeza da autoria, no que me diz respeito trata-se de Manuel Bandeira, a quadra é muito inteligente para não ser citada: 'Contar segredos a um amigo não contêm Porque ele outros amigos tem.' Entendo que o problema em si vai além da privacidade, pois, se o rendimento é de origem lícita, não há prejuízo (prático talvez) ao cidadão. O prejuízo no caso é a sujeição desse 'segredo' às vaidades humanas, materializada naquelas pessoas que tomam o conhecimento privado de outro, assenhorando-se de sua liberdade, como bem afirma a introdução."

José Márcio M. Borges - 7/2/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram