domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Advogado preso

de 18/7/2004 a 24/7/2004

"Com relação à prisão do advogado em Cuiabá, MT (Migalhas 965), cumpre informar que a mesma se deu em razão do profissional ser suspeito da prática de crime comum - assalto à uma joalheria - e não em razão do exercício profissional. Apesar de requerermos ao Tribunal de Ética a sua suspensão provisória, nomeamos um advogado do Tribunal de Prerrogativas para acompanhar o inquérito."

Francisco Faiad - Presidente OAB/MT - 19/7/2004

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram