Judiciário

22/4/2008
Olavo Príncipe Credidio – advogado, OAB 56.299/SP

"Sr. diretor, leio no Estadão: Os Sem-terra, desprezando a ordem judicial, param ferrovia da Vale do Rio Doce. O fato em si é lamentável, porque é uma desobediência a uma ordem judicial. Mas quem seria o culpado? 'Data venia' pode ser o próprio Judiciário. Sabe-se que há anos há lá uma ação contra a privatização da Vale do Rio Doce, sem ser julgada definitivamente. Por que? Aquela privatização foi escandalosa, digna até de ação de improbidade de lesa-pátria. Aliás, toda ação que vise desestatizar minérios é suspeita: é ação de trustes. Há quanto tempo visam a Petrobrás? Desde Getúlio; mas conseguiram parte dela ser privatizada, por ação do governo, para mim desgoverno FHC. A inércia do governo Lula em reprivatizá-las levou ao rompimento, tenho certeza, de Heloísa Helena e sua clã. Com essa atitude do povo, de não respeitarem decisões judiciais, é preciso uma reconfiguração do Judiciário, suas ações e até do próprio Executivo, haver um sério estudo sobre o que está acontecendo, antes do caos, porque não levar a sério decisões judiciais leva ao caos. Não se esqueçam: 'vox populi, vox Dei', já diziam os latinos. Atenciosamente,"

Envie sua Migalha