terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Isabella

de 25/5/2008 a 31/5/2008

"Sobre a nota 'Haja !' (Migalhas 1.903 - 26/5/08), fiquei aliviado em saber que Migalhas não seguirá a manada. Ainda bem, pois haja mesmo."

Armando Silva do Prado - 26/5/2008

"É de Chacrinha, o 'velho Guerreiro' o bordão 'eu não vim para explicar, eu vim para confundir'. E é essa, parece, a missão de Sanguinetti, o perito importado das Alagoas, para 'explicar' o caso Isabella. O homem veio, chegou e disse. Não viu o corpo, deu uma olhada nos papéis e... Abracadabra... está tudo resolvido, ou melhor, muito melhor, mais complicado do que nunca. Com aquele jeitão de um dos irmãos Marx, não se sabe bem qual deles já qualificou todos os laudos produzidos pelo Instituto de Criminalística de São Paulo como 'medíocres, nulos e sem valor'. Disse até que, com base em informações contidas no laudo complementar ao laudo necroscópico, a menina pode ter 'sofrido tentativa de estupro ou sido molestada antes de ter sido jogada do sexto andar'. Afirmou que o ferimento na testa da pequena Isabella pode ter sido produzido 'por um dedo, um pedaço de pau ou um pênis'. Será uma nova vertente da defesa, ou apenas mais uma caso que somente Freud explica? O do perito, é claro."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 28/5/2008

"(Migalhas 1.905 - 28/5/08 - "Nardoni" - clique aqui) Com o máximo respeito e acatamento, o texto da migalha está equivocado, haja vista que o STJ não negou o HC, mas, simplesmente, não conheceu do WRIT, em face do disposto na Súmula 691 do STF. da forma como está, leva à presunção que aquele Sodalício entendeu que a prisão é necessária e justa, ou seja, que teria analisado o mérito e denegado a ordem, o que não ocorreu, na verdade."

Roberto Paula Leão - 28/5/2008

"(Migalhas 1.905 - 28/5/08 - "Nardoni" - clique aquiA respeito do famigerado caso 'Isabella', deixo aqui minhas singelas migalhas que representam minha repulsa no que atina à maximização da celeridade imposta aos feitos conexos ao dito caso. É cediço e inconcusso que um dos maiores problemas do Poder Judiciário é a morosidade. Vagar este presente na maioria dos casos, sejam cíveis, criminais, trabalhistas, etc. Pasmem, caros migalheiros. No caso 'Isabella' a quotidiana a costumeira morosidade (que desgasta nossos umbigos freqüentemente firmados nos vetustos balcões dos cartórios e secretarias) foi arquivada. Qual será o motivo? Porventura há elo entre a impressionante celeridade e a pressão midiática? Não almejo obstaculizar o andamento do feito, e muito menos vislumbro com estas palavras hostilizar o brilhante e transparente trabalho desenvolvido pelos profissionais do Direito ligados ao caso. Ao cabo e destarte, indago: Não estamos diante de nítido e cristalino ultraje ao princípio da igualdade previsto na Carta Magna? Quisera que tal celeridade fosse impressa em todos os feitos que apertadamente se acomodam nos escaninhos, notadamente naqueles em que não há participação da mídia."

Carlos Eduardo de Andrade Maia - 28/5/2008

"Caro editor, tenho alguns habeas corpus pendentes de apreciação no STJ, muitos envolvendo réus presos. Alguns deles aguardando o julgamento do writ por mais de um ano, enquanto o do Nardoni e da Jatobá foram decididos em tempo recorde (Migalhas 1.905 - 28/5/08 - "Nardoni" - clique aqui). Acho que o Poder Judiciário tem que achar um meio termo. Se Themis quando anda devagar demais fica com teias de aranha na balança que carrega, quando corre desequilibra os pratos. Saudações migalheiras."

Dirceu Augusto da Câmara Valle - OAB/SP 175.619 - 29/5/2008

"Uma nova vertente se desenha na defesa dos acusados de assassinar a pequena Isabella. Nos depoimentos de ontem à justiça, tanto o pai como a madrasta já acusaram a polícia de abusos consistentes em qualificá-los, de cara, de assassinos, e de procurar jogar um contra o outro, buscando que um incriminasse o outro nos depoimentos preliminares. Agora, Alexandre Nardoni lança uma nova tese: 'O governo fez isso para esconder os problemas que estão acontecendo no país'. Pode ser. O 'timming' foi perfeito. Enquanto o povo se ocupa com o interrogatório dos acusados na justiça, nem percebe a aprovação na nova CPMF, o CSS, no Congresso Nacional. Será alguém da ABIN a tal terceira pessoa? Um agente secreto saberia sair do apartamento sem ser visto. E mais, poderia, sem muita dificuldade, controlar a polícia local. Se for isso, os advogados de defesa terão um trabalhão para defender os acusados. Será que Lula sabia desses planos maquiavélicos? Não devemos nos esquecer que enquanto todo mundo ficou colado na televisão só acompanhando o caso Isabella, deram um jeito na CPI dos cartões corporativos, tiraram a Marina Silva e ninguém percebeu que a inflação mais que dobrou."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 29/5/2008

"Só para quem não se lembra, o perito contratado pela família Nardoni para 'embananar', de vez, o caso Isabella, é o mesmo que já 'deu um jeito' no caso PC Farias, sem solução há mais de 20 anos (não clique aqui). Trata-se de um especialista em 'terceira pessoa', ou seja, não sei quem foi, mas não foram os acusados. Foi 'alguém' que ninguém sabe, ninguém viu. Com o tempo, a dúvida, que não existe, vai passar de meramente razoável para inexistente, até chegar a uma certeza absoluta de que não aconteceu nada. Tudo não passou de um grande equívoco, o casal foi injustamente acusado e, até mesmo, merece reparação por danos morais sofridos. A menina? Que menina? Essa imprensa faz de tudo para obter audiência e vender jornais. Como é que está mesmo essa história da nova CPMF? Porque haja paciência. Não vamos nos portar como manada. Há novos assuntos que estão a requerer nossa preciosa atenção. Além do mais, crimes são o cotidiano em nossa cidade e em nosso país."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 29/5/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram