Sigilos

10/8/2004
Adauto Suannes

"Eis o busilis. Quando o projeto de quebra de sigilos pessoais foi apresentado no Congresso, o IBCCrim, composto de pessoas que conhecem o espírito do brasileiro, advertiu para o risco de os dados "sigilosos" virem a ser divulgados com leviandade, a dano da honra de meros suspeitos, inocentes por presunção constitucional. Não deu outra. Pior do que noticiar é a imprensa divulgar fac-símiles e gravações, obtidos, evidentemente, por conduta dolosa, ou, na melhor das hipóteses, culposa das pessoas encarregadas de zelar por tais dados. Quem se habilitará a ocupar um cargo público com o risco de ser envolvido em acusações levianas? Veja-se o número enorme de denúncias que são divulgadas pela imprensa envolvendo políticos e o número ínfimo de condenações relativas a elas. Que diz a isso nosso Ministério Público? Parafraseando o sábio francês, não concordo com nada do que dizem que fazes, mas defenderei até a morte o teu direito de ter a honra respeitada."

Envie sua Migalha