terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Profissão advogado

de 13/7/2008 a 19/7/2008

"Vejam a vergonha a que os advogados de São Paulo estão sendo submetidos. Sou advogada há 15 anos. Destes há aproximadamente 12 anos inscrita no Convênio OAB e PGE, atuando nos casos para os quais fui nomeada.Contudo, de alguns anos para cá, os advogados de SP foram obrigados a abrir conta na Nossa Caixa para receber os honorários, sem a qual não mais receberiam seus honorários. Contudo, diverso do que foi dito a todos nós, de que a conta não seria tarifada, como conta normal, e que poderíamos mantê-la com apenas R$10 mensais, somos tarifados normalmente, e por mais que façamos todos os trabalhos nomeados, sempre o dinheiro fica para o banco, pois nunca o que recebemos num ano cobre as tarifas cobradas. Detalhe, faz dois anos que não retiro um centavo sequer da conta, somente recebo, e ainda assim devo ao Banco mais do que recebi, só de tarifas bancárias, e nem talão de cheques essa conta possui! Pergunto: é isso que a OAB/SP deseja aos advogados que prestam os serviços para a PAJ? Cadê a força da OAB nessa hora?"

Silvia Bellandi Paes de Figueiredo - 14/7/2008

"Não sou espectador assíduo de novelas, mas ontem deitado ao sofá enquanto relaxava o estômago após um delicioso e farto (graças a Deus!) jantar, resolvi perder 10 minutos com a novela da Rede Globo 'A Favorita', do horário das 21h. Sou estudante do 6° ciclo de Direito aqui em Santos, e como futuro operador do Direito, vos digo que me senti ofendido com uma cena que tive o desprazer de assistir. Foi mais ou menos assim: ‘Dois policiais civis, trajando apenas um colete xexelento da polícia, adentravam o escritório de um advogado, onde o mesmo estava atendendo uma cliente, acusada de ter esfaqueado um homem no bar. Os policiais, sem pedirem permissão, sem se identificarem, e sem apresentar mandado de prisão, simplesmente invadiram a sala do advogado, dizendo que aquela mulher estava presa. Após a algemarem, olharam para o advogado, que estava paralisado com uma cara de perdido, e um deles ainda disse: 'É doutor...o senhor vai ter um belo caso pela frente!' Um absurdo. Isso é ridicularizar a imagem do advogado, o mostrando como despreparado e impotente, perante uma polícia truculenta, sarcástica, despreparada e invasora de escritórios. Simplesmente ridículo."

Tayan Rocha Malantrucco - 16/7/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram