terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Curral eleitoral

de 27/7/2008 a 2/8/2008

"E foi então que li nos jornais a notícia que no Rio de Janeiro há quem esteja pretendendo fazer 'currais eleitorais'. Coisa incrível mesmo, até controlar o voto de moradores de comunidades inteiras! Gente que não apenas pressiona e ameaça os leitores por todos os meios, para que votem em seus candidatos, 'mas transformam seus redutos em currais eleitorais onde só aqueles podem fazer campanha'. Ora, onde já se viu tamanha desfaçatez? É inacreditável! Ainda outro dia a polícia apreendeu, na casa de um cabo eleitoral, de um manda-chuva na favela da Rocinha, uma ata de reunião, que transcreve a ordem: 'Ninguém trabalhando para candidato de fora, não agendar visita, não convidar para eventos'. Foi por isso, exatamente por isso, que nosso atento Ministro da Justiça, após ponderar, pontificou que: 'Quando o crime se encontra com a política a situação fica mais complexa e mais difícil de resolver'. Brilhante a conclusão do ministro. E exposta com clareza ímpar. Demonstra uma percepção verdadeiramente extraordinária da política brasileira, e da criminalidade, é claro. Entendeu o Ministro que, nos dias de hoje, já não são necessárias as cédulas de dinheiro cortadas ao meio, ou os pares de sapatos separados, para motivar os eleitores. Basta a simples pressão e ameaça. São tempos novos para os velhos 'currais eleitorais', tão conhecidos dos velhos mais sempre presentes políticos que inflam a base aliada que mantém o governo de que é ministro no poder. Ou o Ministro da Justiça é tão jovem que nunca ouviu falar dos 'currais eleitorais' que sempre, desde tempos idos, controlam a política na maior parte do país? A expressão 'curral eleitoral' faz parte, até, de alguns dicionários, em especial do 'Dicionário da Corrupção'. E, Ministro, o crime já encontrou a política, e a política já encontrou o crime, há muito tempo em nosso país. É desse encontro, qual o do Rio Negro com o Solimões, da água negra com a barrenta, é que nasceu o crime verdadeiramente organizado, uma situação bem mais complexa e difícil de organizar."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 29/7/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram