segunda-feira, 26 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Crimes hediondos

de 5/9/2004 a 11/9/2004

"Muito tem se falado em prisão progressiva para criminosos hediondos, mas não vi, nem uma vez sequer, ninguém falar em pena de morte. A título de ilustração, cito o caso do motoboy serialkiller do Parque do Estado, que teve, pelo menos, onze assassinatos bárbaros comprovados nas suas costas. Nem a mulher com quem se casou, depois de preso, tem permissão para chegar perto dele, sem que seja com a grade entre eles. Se ele fosse agraciado com a progressiva, e saísse, digamos, em trinta anos, a pergunta que se faz é: o que ele voltaria a fazer? Claro que matar selvagemente. Injeção letal seria uma ótima solução para ele, e para muitos outros casos de criminosos hediondos, contumazes recidivos. "Por onde o homem passa, não nasce grama". (Clique aqui)."

Conrado de Paulo - OAB/SP 227442 - 9/9/2004

"Eu não sei porque razão sempre aparece alguém para apresentar mil e um argumentos em favor de pessoas que cometem crimes que nos chocam, nos arrepiam. É muito fácil falar de progressão de regime de crime hediondo, sentado em um gabinete, sem nenhum parente vítima. Difícil é quando você passa pela dor insuportável da perda (da vida, da liberdade...). No Brasil, há um "permissionismo" em tudo. Deveria haver era prisão perpétua para crimes hediondos e ponto final."

Gianny Vieira - 9/9/2004

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram