Greve na Justiça paulista

15/9/2004
Ieda Liria dos Reis Mattos

"Conforme se vê nas opiniões exaradas neste informativo bem como em outros meios de comunicação, essa greve já esgotou a paciência e a compreensão até daqueles mais passivos. Desnecessário até tecer comentários quanto aos prejuízos e desgastes. O Estado dispõe de um bom instrumento para coibir esses excessos, advindos de alguns funcionários que manipulam toda uma categoria e que deveriam, ao meu ver, procurar outro emprego, há dentre os grevistas aqueles que por pressão aderiram à paralisação, para os mentores e articulistas desse movimento vai ao instrumento estatal: instaura-se o processo administrativo, afasta-se o funcionário e após o devido processo legal demiti-lo a bem do serviço público. A Falta de mão-de-obra não será o problema considerando que há muitos que realmente querem trabalhar. Aqui não se prega o radicalismo, mas não se admite que uma classe prejudique de forma tão nefasta milhões de pessoas que estão aguardando o fim desse impasse. E que venham as críticas."

Envie sua Migalha