quarta-feira, 21 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Crise financeira

de 26/10/2008 a 1/11/2008

"Inegavelmente, quem manda no país são os banqueiros. Prova inconteste é que a Justiça não define limite de juros a serem cobrados dos clientes nos contratos de financiamento ou de empréstimo, além das taxas, que são livres. Por isso os bancos deitam e rolam na carniça. O STJ decidiu que as instituições financeiras ficam liberadas a cobrar a taxa que quiserem de seus correntistas, ainda que possam ser consideradas abusivas. Pode? Onde reinam os banqueiros, claro que pode!"

Conrado de Paulo - 27/10/2008

"Por falar em banqueiros - como lembrou-nos nosso amigo migalheiro -, nesta semana será noticiado o balanço do Bradesco; na próxima semana, o do Banco Itaú. Será um bom termômetro para aquilatarmos o quanto, de fato, a crise afetou-nos. Caso reste constatado não ter havido ruptura drástica no equilíbrio financeiro nas duas maiores instituições bancárias privadas do país, será uma informação alvissareira que poderá contribuir para acalmar o mercado financeiro brasileiro. Quem viver, verá!"

Armando Bergo Neto – advogado, OAB/SP 132.034 - 27/10/2008

"Lendo os delírios opinosos-agressivos de exemplares migalheiros portadores de exótica plumagem da 'izquierda de nuestra latrinoamérica' fico indeciso. Não sei se são fanáticos de esotéricas seitas - tipo da do dr. Moon ou dos bispos que expulsam demônios - ou boleiros de baixo estrato querendo briga com torcida adversária. Dá para perceber que são mirrados papagaios repetindo as velhas e decrépitas charlas do ensebado PCBão da década de 50, garibadas por um intelectualismo fajuto nos 60. E atualmente em cartaz pelos performáticos e perfeitos idiotas sul-americanos, Chavez, Morales e Correia. O Lula da Silva não é incluído na trupe por completa falta de competência. Até para coadjuvante do trio o Lula é inepto.Mas voltando aos 'angús' e chicletes-com-banana, torpemente misturados à moda da casa e servidas frias pelos distintos nos seus chutes-opinião delirantes, são intragáveis. Especialmente quando condimentam a gororoba parvo-ideológica com a bilis que lhes é peculiar; fruto da mistura no bestunto de interesses pessoais na exploração da viúva com comichões de mediocridade intelectual. Afinal o Migalhas não é poleiro nem mesa de botequim. Enfim, cabe exclamar 'sapateiro não passes dos sapatos'. Depois disso, silêncio!"

Alexandre de Macedo Marques - 27/10/2008

"O príncipe de todos os sortilégios do saber, Imperador Lula da Silva, no exercício pleno da sua incomensurável ignorância-jactante arrotou, diante da chegado da crise financeira ao país: 'Não vou fazer pacotes...' Este migalheiro atento ao besteirol presidencial profetizou que a Excelência 'não faria pacotes' mas 'montes'. Dito e feito. Á sorrelfa, no melhor estilo pessoal, o Lula 'obrou' a MP 443! É ou não é um 'monte de b...' à moda do Chefe e da casa? O incrível é que a grande imprensa continua achando que ele toma alguma decisão pessoalmente ou entende o que sai da cozinha do Planalto! O Estadão até lhe dá o benefício da dúvida aventando a hipótese que a ignara criatura não leu com atenção... não se deu conta. É de arrepiar que não se perceba que o único talento do Lula é para a sacanagem política. Arte aprendida na sobrevivência no mundo da bandidagem sindical e no jogo da porrinha em boteco."

Alexandre de Macedo Marques - 27/10/2008

"Complemento as duas migalhas acima com um trecho do editorial de domingo do Estadão sob o título 'Risco maior é a incompetência': 'A maior ameaça ao Brasil, hoje, não é a crise internacional, apesar de sua gravidade, mas a crescente influência das pessoas mais ineptas, mais irresponsáveis ou mais ideologicamente engajadas da administração federal. Essas pessoas convenceram o presidente a aproveitar o momento para aumentar o poder e a gama de negócios do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, em vez de concentrar esforços nos desafios imediatos, como a estabilização do sistema financeiro, o socorro aos exportadores e o suprimento de crédito à agricultura e à construção civil.' E complemento eu, dar um recado ao Brasil que nenhum banco quebrará, na linha da estratégia da Comunidade Européia.E até a Rússia. A situação é séria demais para que néscios aprendizes de feiticeiros, aproveitarem para abrir brechas para ideologias falidas."

Alexandre de Macedo Marques - 27/10/2008

"Os banqueiros não respeitam nem Lula. O presidente pediu a eles para aumentarem as linhas de crédito, e a resposta foi um sonoro não! Eles preferem investir na compra de títulos públicos, que rendem mais, apesar de não produzir nada, e nem criar novos empregos. São todos raposas velhas, que só visam lucrar mais. Até parece novidade! E há quem ache que não são mandatários..."

Conrado de Paulo - 29/10/2008

"Presidente Lula na Europa: 'O sistema financeiro tem obrigação de ganhar o seu dinheiro em coisas que gerarão empregos, produtos, riqueza. Não podemos permitir que o sistema financeiro mundial brinque com a sociedade. Não podemos admitir que alguém fique rico apenas trocando papéis e poucas vezes se gerou um paletó, uma bota e um alfinete'."

Armando Silva do Prado - 29/10/2008

"Quanto à crise financeira, resta razão ao 'reacionário' Nelson Rodrigues que assim definiu trabalho: 'Sua muito o sujeito que ganha pouco. E soa pouco o sujeito que ganha muito... Há uma relação nítida e taxativa entre a transpiração e o ordenado'. Pois é, assim foi e assim é."

Armando Silva do Prado - 30/10/2008

"O melhor que temos, nós advogados, a fazer, com relação à crise financeira mundial, é ler quem entende do assunto. Por isso, quem quiser entender a crise financeira e o que fazer a respeito, é bom ler o artigo de Stephen Kanitz a respeito, que transcrevo abaixo:

O que Fazer Nesta Crise?

Toda crise tem sete fases.

Fase 1. Não há problema na economia, diz a autoridade econômica, é tudo boato.

Fase 2. Sim, temos um problema mas tudo está sob controle.

Fase 3. O problema é grave mas medidas corretivas já foram tomadas.

Fase 4. O problema é muito grave mas as medidas emergenciais surtirão efeito.

Fase 5. Pânico geral e salve-se quem puder.

Fase 6. Comissões de inquérito e caça aos culpados.

Fase 7. Identificação e prisão dos inocentes.

Os Estados Unidos e a Europa estão na fase 5.

Brasil, China e Índia estão na Fase 3. Precisamos nos proteger contra a possibilidade de chegarmos na Fase

5, quando basta um entrevistado na televisão afirmar 'que esta crise é igual ou pior que a de 1929', como vários já falaram, ou escrever no jornal 'as conseqüências da crise chegaram definitivamente no Brasil', como já foi publicado, e gerar pânico por aqui.

Não, a crise ainda não chegou no Brasil, ainda estamos na Fase 3 e mesmo se crescermos 0% este ano, o que ninguém prevê, toda empresa irá vender a mesma coisa no ano que vem. Sua promoção pode estar em risco mas não o seu emprego.

Ademais esta crise nada tem a ver, nem terá, com a severidade da crise de 1929, quando 25% dos trabalhadores perderam seus empregos e que durou até 1940 com 14%. Na pior das hipóteses, o desemprego nos Estados Unidos aumentará 3%, mesmo assim só por 24 meses.

Se tivessem líderes administrativos socialmente responsáveis, eles já teriam ido a público garantir que manteriam o nível de emprego de suas empresas nos próximos 12 meses. Hoje custa mais para se treinar um novo funcionário do que para mantê-lo fazendo algo por 12 meses.

Depois que Alan Greenspan e Nouriel Roubini saíram dizendo que a crise era igual à de 1929, todos os americanos pararam de gastar, aumentando sua poupança e prevendo o pior. Ninguém sabe quem serão os 25% de desempregados. Quando 100% dos consumidores param de gastar por um único mês, cria-se uma espiral recessiva imprevisível. Outra alternativa seria alertar os 3% que talvez sejam demitidos para economizar, para que os 97% possam manter normalmente suas compras evitando a espiral recessiva.

Na crise de 1929, 4.000 bancos quebraram, e a mera referência a 1929 como fizeram Greenspan e Roubini, leva pessoas leigas a correr para os bancos, o que aconteceu agora na Europa.

A imprensa perdeu a capacidade de filtrar e processar informação premida pelo tempo exíguo para colocar tudo na internet. Publicam o que vier, especialmente se for notícia ruim.

Nenhum banco comercial irá quebrar, nenhum ainda quebrou nos EEUU, e mesmo se forem um ou dois, nada se compara com 4.000. Bancos sempre quebram mas ninguém percebe. Mesmo se quebrarem, o seu dinheiro, ao contrário de 1929, está no fundo DI e não no Banco. O Fundo DI está no SEU NOME e dos demais cotistas, e se um banco brasileiro quebrar, o que não vai acontecer, seu dinheiro está salvo. No máximo você terá de esperar uma semana para a troca de administrador do seu fundo. O dinheiro está aplicado em títulos do tesouro em SEU NOME, não do Banco.

Deixar o dinheiro onde está é o mais seguro. Se você resgatar o seu fundo DI, o dinheiro cai na sua conta, e se o banco quebrar justo neste dia, você vira um credor do banco. Nossos bancos estão recebendo depósitos dos apavorados estrangeiros. Muita gente em pânico está saldando suas cotas em fundos de ações e o seu gestor é OBRIGADO a vender uma ação mesmo com ela caindo 20% no dia, algo que você jamais faria.

Acionistas majoritários não estão em pânico, nem podem nem querem vender suas ações. Só os minoritários se sentem uns idiotas porque não venderam na 'alta'.

Não temos bancos de investimento no Brasil. De fato, Roberto Campos implantou neste país este mesmo modelo americano que está ruindo, mas felizmente foi uma lei que 'não pegou'. Problema a menos.

Só temos bancos comerciais, e estes são muito bem controlados pelo Banco Central. Além do mais, nossos bancos têm dono, e por isto estão pouco alavancados, 4 a 5 vezes, contra 20 a 25 vezes dos bancos de investimentos americanos.

O Brasil não está alavancado. Nossos créditos diretos ao consumidor não passam de 36% do PIB, e devem crescer para 40% no ano que vem. Os Estados Unidos estão alavancados em 160% do PIB e é esta desalavancagem súbita que está causando problemas.

Nosso Banco Central, adotou o que venho alertando há anos a países e famílias - a política de ter reservas para os dias de crise e hoje temos US$200 bilhões. Pela primeira vez o Brasil tem reservas para sustentar uma crise duradoura, sem ter que se endividar para cobrir furos de caixa.

Temos um sistema financeiro dos mais modernos e rápidos do mundo implantado devido à inflação galopante dos anos 90. Nos Estados Unidos demora-se duas semanas para se descontar um cheque entre bancos, por isto o sistema travou.

Nenhum banco confia em outro banco numa crise destas.

Esta é a hora para disseminar a nossa força, as nossas reservas, a competência de Henrique Meirelles, primeiro administrador financeiro (Coppead) a comandar o nosso Banco Central, e já se nota a diferença. Está na hora de mostrarmos ao mundo que como a China e Índia, nós vamos crescer via mercado interno, com produtos populares, tese que há anos venho defendendo.

Esta é a hora de mostrar o que DÁ CERTO no Brasil em vez de conseguir fama no rádio e na televisão mostrando o que poderia dar errado.

Lembre-se que os verdadeiros culpados já estão se movimentando para culpar os inocentes, e assim saírem incólumes e mais poderosos.

Stephen Kanitz.'"

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 30/10/2008

"Vetusto leitor deste informativo, questiono o paradeiro do andadeiro migalheiro Alexandre Thiollier, e seus impagáveis comentários. Será, alta Direção, que o amigueiro foi pego pela crise ? Creio que não. Imagino que foi o calor que chegou aos trópicos, levando-o direto para a temporada parisiense. Estou certo ? O fato é que como ninguém nunka ssabe quando ele vai aparecer, seria bom que esta Redação, enfim, contratasse definitivamente o migalheiro como colunista. Aliás, como bem me lembro, sugestão já feita outrora pelo leitor Marcos Fontes (Migalhas 832 - 19/12/03). Sabidamente será uma contratação a peso de ouro, por isso já sugiro que Migalhas emita títulos que, por suas características (blue chip), serão rapidamente adquiridos pelo mercado migalheiro. Ou, ainda, que use as linhas de crédito oferecidos pela amanteigada Viúva." Ramalho Ortigão

Nota da Redação - Nestes dias em que nosso amado Diretor acompanha, e ajuda na solução para a crise financeira internacional, podemos ser francos : a intolerância de nosso líder, sua intransigência severa não permite jamais que os contratados deste poderoso rotativo exponham suas opiniões ("quem quer ter idéias próprias, que compre um jornal!", repete ele diariamente, à Chateaubriand). Nossos leitores nunca se conformariam em perder, do eminente Alexandre Thiollier, a verve de seus comentários, livres como livre era o vôo de canoros pássaros por entre as velhas árvores da Vila Fortunata, a senhorial mansão plantada nos altos da avenida Paulista. Ademais, nosso amado Diretor não é homem de emitir títulos (aqui manda o fio do bigode), e muito menos aceita dinheiro público. Aqui, não.

Ramalho Ortigão - 30/10/2008

"Caro dr. Wilson, em verdade em verdade vos digo que estais desperdiçando precioso tempo.Não conheço em psiquiatria terapias ou medicamentos que possam reverter um processo mental como o apresentado por fanatismos, tipo do petismo em discussão. São fixações e ideações irracionais em que a realidade é submetida a processos de conversão mitómana com a eclosão de delírios verbais - e escritos -desconexos. O paciente (o fanático) verbaliza suas fantasias com um fluxo e encadeamento de palavras que parecem construir processos lógicos. Falta-lhes, entretanto o contato com a realidade. Antigamente havia nos hospícios um personagem-padrão desta patologia, o conhecidíssimo e anedótico 'Napoleão de Hospício'. Se V. prestar atenção no petismo exacerbado e histérico e nas charlas de seus furibundos líderes encontrará as características. Nos seguidores tifosi a coisa, então, é frequentíssima. Tenha a paciência de ver e ouvir o Lula num palanque qualquer. Preste atenção ao seu gestual, às expressões faciais, ao seu ballet corporal, ao olhar perdido sem fixar ninguém. Tente, se possível, seguir a lógica e encadeamento do raciocínio. Analise o significado do exposto. O que encontra? Nada. Ou melhor, sons vazios de significado.Pois até estão citando o homem, junto com Marx! Como informam que o dito foi proferido na Europa terá conseguido ler o que lhe foi entregue pelo politburo do Palácio do Planalto.Que na realidade comanda o país.Veja o que está sendo feito na Receita Federal. Então o que foi citado como um 'pensamento do Presidente MaoLula' é da autoria de uma porção de gente, do Franflin Martins ao Marco Aurélio Garcia. Ou qualquer outro marxista cucaracho verde-amarelo. Caro dr. Wilson, o processo que várias vezes se manifesta no espaço migalheiro, é irreversível; e os paciente não são abordáveis pelas intervenções psicoterapêuticas clássicas.Se achar que estou sendo severo pode optar por acreditar num processo de neurose. E, como Freud, tentar identificar em que momento da maturação psicológica se deu o trauma que está se manifestando como neurose petista. Pois, como se sabe, a neurose é uma religião particular.Assim, suas bem colocadas considerações terão o destino das 'margaritas vestras ante porcos'. Um abraço."

Alexandre de Macedo Marques - 31/10/2008

"O Ministério da Fazenda não deixará por menos. Quer porque quer criar o subprime brasileiro. Imaginem os recebíveis podres dessas construtoras, fabricantes de tendas, ou os das COHABs e dos CDHUs da vida, descontados a mercado. A Viúva, leia-se o seu, o meu, o nosso, avalizará a maquiagem pela fiança do Tesouro. Papéis sem valor, passam num passe de mágica a serem considerados grau de investimento. Enquanto isso, a garantia real, o imóvel, não vale um patacão sequer, seja porque não construídos os tais VGVs, seja porque os equipamentos sociais nada significam, pois absolutamente deteriorados, inclusive pela ocupação dos respectivos territórios por facções criminosas. Há, sim, um golpe em andamento. Quem for amigo do rei, sairá fortalecido. Aos inimigos, restará como sempre a lei."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier e Advogados - 31/10/2008

"Já que estamos em época de indicação de amigos, sugiro ao migalheiro Ramalho Ortigão (Migalhas 2.017 - 31/10/08 - "Migalhas dos leitores - Onde está ?") que se não quiser ficar suscetível aos humores do amado diretor, cadastre-se no blog do Thiollier, e poderá receber diariamente, no conforto do seu e-mail e sem censura (perdão amantíssimo diretor, mas é verdade), os comentários do Alexandre Thiollier."

Zuleika Loureiro Giotto - 31/10/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram