quinta-feira, 22 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Só para cinéfilos

de 2/11/2008 a 8/11/2008

"Ontem, reassistindo pela enésima vez ao filme 'Casablanca', desta feita para testar a conversão da fita VHS em DVD, acabei fazendo uma descoberta sensacional, que, para mim, pôs fim ao mistério de 50 anos sobre a frase 'Play it again, Sam', realmente dita no curso da película. Porém, só revelo, se houver interesse de algum migalheiro, caso contrário, levarei o segredo para o túmulo!"

Romeu A. L. Prisco - 4/11/2008

"Eu não achei a famosa frase no filme, embora também o tenha assistido várias vezes. Por isso, candidato-me a receber as informações do Mestre Prisco. E como se vê, ninguém acredita.

No site onde estão as 100 frases mais famosas do cinema, 'Frankly, my dear, I don’t give a damn' do filme 'E Tudo o Vento Levou', de 1939, ocupa o primeiro lugar, seguida de 'I’m going to make him an offer he can’t refuse' (pessoalmente é a minha favorita) do filme 'O Padrinho'. Mas há uma, igualmente famosa, que não é possível encontrar: 'Play it again, Sam'… No entanto seis das frases que lá estão pertencem a 'Casablanca', mas não 'Play it again, Sam'. É sem dúvida uma das frases mais conhecidas do mundo do cinema e atribuída, como seria de esperar, ao filme 'Casablanca'…O problema é que nunca foi pronunciada durante o filme. É atribuída a Ilsa (Ingrid Bergman) quando ela pede ao pianista Sam (Dooley Wilson) para tocar a música que para ela representa o romance vivido com Rick (Humphrey Bogart) em Paris; o que Ilsa de facto diz é 'Play it, Sam. Play 'As Time Goes By'.' Quando Rick faz o mesmo pedido a Sam diz, de uma forma pouco simpática diga-se, 'You played it for her, you can play it for me.' No entanto, a maior parte das pessoas, e podem ter visto o filme várias vezes, irá garantir que Ilsa ou Rick disseram 'Play it again, Sam'… A frase viria a ser pronunciada, mais tarde, no filme 'Uma Noite em Casablanca' dos irmãos Marx em 1946. É também o nome de um filme de Woody Allen, de 1972, onde Allen após o divórcio, tanta voltar à vida social ajudado pelo fantasma de Humphrey Bogart…É um outro filme a ver… Mas Sam tocou, para Ilsa e Rick, 'As Time Goes By', e como deve ser; a preto e branco…

- 'Play it again, Sam'

Nem Rick Blaine (Humphrey Bogart), nem Ilsa Lund (Ingrid Bergman). O diálogo mais famoso de Casablanca, clássico dirigido por Michael Curtiz em 1942, não é falado no filme. Ao solicitar ao pianista Sam (Dooley Wilson) para que toque a música que marcou seu romance com Rick, Ilsa na realidade diz:

- Play it, Sam. Play 'As Time Goes By'.

O personagem de Bogart foi bem mais ríspido ao fazer o mesmo pedido a Sam:

- You played it for her, you can play it for me!

A fala 'Play it again, Sam' na verdade foi pronunciada pela primeira vez em Uma Noite em Casablanca, filme estrelado pelos irmãos Marx em 1946. E no entanto, nove entre dez cinéfilos não pestanejariam em jurar que ouviram tal diálogo da boca de Bogart ou Bergman. Coisas da magia do cinema, que fazem, por exemplo, com que a gente veja Rick e o Capitão Renault (Claude Rains) falarem sobre o começo de uma bela amizade na cena final do filme sem que fiquemos incomodados com o fato de uma cidade localizada no meio do deserto, como Casablanca, subitamente ser encoberta por uma misteriosa neblina. Em tempo: Play it again, Sam é o título original de Sonhos de um Sedutor, comédia dirigida por Herbert Ross em 1972 e estrelada por Woody Allen. No filme, Allen interpreta um crítico de cinema que, abandonado pela mulher, busca conselhos amorosos com ninguém menos que o espírito de Humphrey Bogart, encarnado na pele de seu personagem em Casablanca. E, para provar, os dois trechos, em que nas duas vezes pedem a Sam que toque 'As times goes by', mas nunca dizendo 'Play it again, Sam'.

(Clique aqui)

(Clique aqui)

Com a palavra, pois, o Migalheiro Prisco."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 4/11/2008

"Obrigado, amigo Wilson, pelo seu sempre culto e ilustrado (no sentido literal) aparte, mormente neste tema onde você se mostra imbatível. Aliás, quase imbatível, porque, desta vez, acho que o peguei. Parte do que você ora trouxe à baila, já constou do debate anterior, quando, corrigindo minha informação prévia, reproduzi a seguinte fala de Ilsa Lund: 'Play it once, Sam. For old times' sake'. Agora, é preciso ficar bem atento aos detalhes, mais, muito mais que o dr. Watson ficou quando foi acampar com Sherlock Holmes e este, no meio da noite, acordou-o e lhe perguntou: 'olhando para o céu, Watson, o que você vê?'. Mais ou menos no início da segunda metade do filme 'Casablanca', Ilsa Lund e seu marido, Victor Laszlo, vão ao cabaré de Rick, que os recepciona. Cientes de que militares alemães também se encontram naquele local, Ilsa e Victor pedem uma mesa distante dos inimigos, pelo que Rick se propõe a atendê-los, alojando-os próximos ao piano de Sam, a quem pretende solicitar que toque 'As time goes by'. Enquanto o maitre acomoda Ilsa e Victor em sua mesa, Rick, passando ao lado de Sam, pára e, neste exato momento, debruçando-se no ouvido do pianista, cochicha: 'Play it again, Sam'. Logo em seguida, sob o comando de Victor Laszlo, ocorre a épica cena da corajosa interpretação da 'Marselhesa' pelos freqüentadores do cabaré, simpáticos à resistência francesa, em represália à cantoria dos militares alemães. Isto posto, desafio a quem quer que seja, inclusive o autor, o roteirista e o diretor do filme, se vivos ainda estivessem, que me provem o contrário, ou seja, que Rick não sussurrou no ouvido de Sam a frase que se tornou famosa e que, doravante, deixa de ser controvertida!"

Romeu A. L. Prisco - 5/11/2008

"Frase por frase, que tal estas? 'Frankly, my dear, I don't give a damn' (Clark Gable - Gone With the Wind); 'Rosebud' (Orson Welles - Citizen Kane); 'Steeeeella!' (Marlon Brando - A StreetCar Named Desire); 'You can act like a man!' (Marlon Brando - The Godfather); 'Wherever there's a fight so hungry people can eat, I'll be there' (Henry Fonda, Grapes of Wrath); 'I'm your father!' (Darth Vader - The Empire Strikes Back); 'Time to die!' (Rutger Hauer - Blade Runner); 'Look up, Hannah!' (Charles Chaplin - The Great Dictator); 'Are you trying to seduce me, Mrs. Robinson?' (Dustin Hoffman - The Graduate); 'It's alive!' (Colin Clive - Frankestein); apenas para citar algumas."

Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior - 6/11/2008

"Prezado migalheiro Dávio, bem interesssante e bem a propósito as frases cinematográficas por você aduzidas neste tópico. Muito obrigado pela valiosa colaboração. Todavia, nenhuma delas causou tanto impacto e polêmica como aquela do filme 'Casablanca', que é o fulcro do debate."

Romeu A. L. Prisco - 6/11/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram