quinta-feira, 22 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Migalheiros

de 2/11/2008 a 8/11/2008

"Juazeiro do Norte – fundação e romaria-

Correu o boato primeiro

No Vilarejo ignorado

No Cariri instalado

Do Ceará, o Juazeiro:

Um padre piedoso,

Acolhedor de peregrino,

No sertão nordestino,

De coração bondoso,

Instrutor do povo,

Desprovido e miserável.

A seca da terra arável,

O arado para o novo

De pedintes, aos sertanejos.

De penitentes à instrução,

Do trabalho a oração,

A sábia pregação,

No púlpito, chegou primeiro.

Assim nasce juazeiro

Do sertanejo, - A missão.

Qual era o penitente

Que não encontrava conforto

Na casinha lá do horto?

O patriarca presente,

As minas do Coxá

Para a futura messe,

A base que engrandece

A sua missão popular,

A Santa Cruz presente

No cruzeiro itinerante.

Não tem povo ignorante

Quando se planta a semente

Qual o raiar sem hino

Da harmonia ritmada.

Do Araripe - a chapada

De um povo peregrino,

O Sonho de Canaã

Jorrando leite e Mel

Nem a princesa Isabel,

Conseguiu àquela manhã.

Cícero Romão Batista, instalou

Uma nova realidade,

Juazeiro uma cidade

Que com o povo criou

Nasceu da fé popular,

No nordeste ganhou vida,

Do sertanejo a acolhida.

O Rezador estava lá,

A Ordem Organizada,

A Cruz que simbolizou

O patriarca aceitou

Esta grande empreitada.

Adjetivo se coloca,

Mas não se sabe a bonança.

Um povo com esperança.

Quando a cruz se desloca,

O cruzeiro vai à frente

Abrindo um novo destino

Do santo nordestino

Popular – Orador, Consciente.

Renovações cantadas,

Romarias em direção

Do sertanejo ao sertão.

Juazeiro – Em baladas

Cantai no alto da noite

O hino da Ladainha

Ao caminho, logo vinha.

Em busca de juazeiro."

Luiz Domingos de Luna - 3/11/2008

"Quem avisa, amigo é! Sempre que estiver envolvido em um acidente de trânsito com um motoqueiro, registre o BO (Boletim de Ocorrência), independente de culpa. Têm ocorrido fatos em que o motoqueiro é o culpado e tenta fazer um acordo no local. Diz que está bem e não necessita de socorro médico, mas depois, ele vai a um distrito policial, registra o BO e alega que o veículo fugiu sem prestar socorro, cobrando, depois, na justiça, os dias que ficou sem trabalhar (lucros cessantes), conserto da moto e etc..."

Conrado de Paulo - 3/11/2008

"Realmente, para quem é migalheiro pingo é letra. E para quem é brasileiro é sempre recomendável desconto a ser dado às informações aparentemente insuspeitas. Abraços,"

Kleber Borges de Moura - 4/11/2008

"A participação nos salões da Bienal de São Paulo de um artista que se apresenta nu, afronta e desrespeita a família brasileira, a qual, sem pedir, contempla tal irreverência por parte de um tresloucado que nada mais quer do que se promover. Arte é a expressão do belo e como tal não pode ser confundida com vulgaridade. Nosso povo tem sede de cultura e não de espetáculos desairosos e humilhantes como este. Infelizmente esta Bienal renunciou ao mérito e aos esforços dos bons artistas, além de expor-se ao ridículo!"

Pedro Paulo Penna Trindade - OAB/SP 37.292 - 6/11/2008

"Prezado Migalhas, estou sabendo hoje pelo dono de uma Galeria que fica na cidade Embu das Artes, que para os artesãos ocuparem a sua galeria precisam de uma licença da Prefeitura que custa R$600,00, para cada expositor. Aqui vem a melhor, sabe o nome dessa licença? Licença para artesãos ambulantes. Por conta disso a Galeria do Macrina que tem 3 andares, sendo o térreo para os artesões, o primeiro andar para exposições de arte, e o terceiro para cursos de desenho, pintura e artesanato, não vai poder inaugurar e com isso o dono está pensando em alugar o prédio. Eu já estava procurando um fotografo para tirar fotos dos meus quadros para o catalogo da minha exposição, que seria nesta galeria de arte. Veja você como um mau governo que só pensa em arrancar dinheiro de quem trabalha como é nocivo. Ao mesmo tempo que inviabiliza a atividade artística, (o dono da galeria, os artesãos, quem fabrica a matéria prima para eles, o fotografo, a gráfica, o correio, o fabricante de molduras, de tintas, etc.) cria a loteria cultural, as OS, a Virada cultural, o Revelando são Paulo, o Mapa Cultural Paulista, e mil e outros projetos para justificar o gasto público. Agradeço sua atenção e sua paciência. Um grande abraço,

Post - Esse assunto não interessa a imprensa, por quê?

Maria Gilka Bastos da Cunha - 7/11/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram