Porandubas políticas

12/11/2008
João Luiz Martins de Mello

"Prezado Gaudêncio, acompanho sua coluna já faz um tempo, e notei um certo padrão nas suas recomendações a este ou àquele político  - ou partido político (Porandubas Políticas 166 – 12/11/2008 – clique aqui). Acredito que seria muito mais honesto, consigo mesmo e com seus leitores, se simplesmente expusesse seu apoio a um certo grupo político, liderado por um governador que é tratado com reverência até constrangedora por esta coluna. Em países mais 'avançados', é normal, e ético, que meios de comunicação expressem seu apoio a este ou àquele político ou partido - até para alertar seus leitores: 'Não espere, aqui, imparcialidade’, que, assim, não são obrigados a ler 'reportagens' editorializadas impostas como mero relato dos fatos. Não há nada de errado em apoiar este ou aquele político (aliás, errado é não ser politizado); feio é vender aos outros a imagem de 'imparcial', quando, sabidamente, não o é. Isto até pode passar batido em meios de comunicação em massa, como jornais de grande circulação e redes de TV (o que é feito com freqüência), mas quando se dirige a um público específico, certamente mais instruído do que o 'Homer Simpson' padrão a que se referiu, outrora, conhecido apresentador de telejornal, acredito que a maioria leia até com desconfiança, percebendo a diferença de tratamento dado a esta ou aquela corrente política, maculando a suposta imparcialidade - o que afeta, certamente, a credibilidade do colunista. Virtude esta, aliás, que tanto exalta nos outros. Saudações de um migalheiro."

Envie sua Migalha