sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Esquerda e direita

de 16/11/2008 a 22/11/2008

"Prezado migalheiro Alexandre de Macedo Marques, não atribua a 'Canhotinho e Pipi' o que não é de 'Canhotinho e Pipi' (famosa ala esquerda do ataque da S. E. Palmeiras, nas priscas eras do Palestra Itália). Pois bem, não foi nenhum dos integrantes da nova versão daquela dupla, que o chamou de Ibrahim Sued. Fui eu, diante de um comentário seu, que considerei hostil, feito a texto onde elogiei, se assim podia ser entendido, a política econômica do Governo Lula, o que, certamente, deve tê-lo deixado furioso. Não sou 'lulista', nunca fui e, provavelmente, nunca serei, o que, todavia, não me impede de ver nele e/ou no seu governo algumas qualidades. Quando os meus filhos estudavam em tradicional colégio marista da cidade de São Paulo e a então 'rosada' diretoria da APM pretendeu patrocinar, no anfiteatro da escola, uma 'apresentação' de Lula, na época apenas um líder sindical, fui o único pai de aluno que protestou e se empenhou em obstar, com sucesso, tal realização. Não sou da esquerda, da direita e nem mesmo do centro. De igual forma que tenho aversão a Fidel Castro, em quem, nada obstante, vejo pelo menos uma qualidade, tenho aversão a Bush, em quem, nada obstante, não vejo nenhuma qualidade. Há muito devo estar treinando para ser um anarquista, porém, a réstia de legalidade, que sobrou em mim, tolhe-me o ímpeto de chutar de vez o pau da barraca."

Romeu A. L. Prisco - 17/11/2008

"Meu estimadíssimo dr. Prisco. Está isento de culpa pois reconheço que o meu estilo é, ás vezes, agressivo, às vezes algo incômodo. Não fiquei aborrecido, mas intrigado. O 'turco' morreu há 20 anos, ou mais, foi um dos melhores personagens do Rio de Janeiro de seu tempo. Uma trajetória de vida, e talento peculiar, que o levou a ser cronista social de dois dos mais influentes jornais do país e das mais lidas revistas da época pré-TV em rede. Fiquei intrigado pela atemporalidade e a razão do elo. O Ibrahim foi uma figura admirável, de um tempo de sonho. Da geração dele, e da alta sociedade que freqüentava, poucos sobrevivem. Pergunte ao Pitangui quem era o Ibrahim. Quanto ao Canhotinho e Pipi, gostei dos apelidos. Para eles invoco os ancestrais do Ibrahim. Eu posso não saber por que estou batendo; eles sabem por que estão apanhando, o Chutãozinho&Goró-ró."

Alexandre de Macedo Marques - 17/11/2008

"Eu também, caro Prisco, vinha tentando ser anarquista há algum tempo, estudando Bakunin, Kropotkin etc, e até gostando. Mas, daí cheguei a Proudhon (Qu'est-ce que la propriété?) e dei com a afirmação 'La propriété c'est le vol' ( a propriedade é o roubo), com a qual não deu para concordar. Então, deixei de lado a idéia anarquista."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 18/11/2008

"Prezado dr. Macedo: 'touché!' Prezado dr. Wilson: então, caro amigo, continuemos, acima de tudo, sendo, respectiva e simplesmente, porém com o maior orgulho, 'silveirista' e 'prisquista'. Ou você prefere ser 'wilsista'?"

Romeu A. L. Prisco - 18/11/2008

"Caríssimo dr. Wilson Silveira. Data venia do pitaco, mas recomendo-lhe a 'História das Doutrinas Econômicas' de Paul Hugon, um dos franceses que deram élan à gloriosa FFCL, da Universidade de S. Paulo, fase da Rua Maria Antônia. Aí ,no capítulo 'Socialismo espiritualista chamado utópico' (pré Marx e seu socialismo científico) poderá deliciar-se com a irrracionalidade exuberante, do tipo que pavimenta o caminho do Inferno. Fourier e seus falanstérios, Louis Blanc e suas oficinas sociais, Saint Simon, o messianismo autoritário, Proudhon e o socialismo de trocas. É por isso que é difícil conter o riso diante das bobagens com que nos divertem os 'órfãos' - menos de Marx e mais de um socialismo utópico. No fim são almas penadas em busca de uma fé. E, por que rimos, somos chamados de 'humoristas'. Na vida severina do 'cadê o meu?' viram, Zé Dirceus, Paulinhos, Genoínos, Tarsos - Genro e Dutra, maleteiros, cuequeiros, mensaleiros, etcs mil, ou milhões...até Protógenes e De Santis, os novos messiânicos, já cooptados pelos 'quimeras' de baixo estrato."

Alexandre de Macedo Marques - 18/11/2008

"Extrema-direita: unidos lotam uma Kombi. Interessante como se divertem sozinhos. 'Disso não sabem, mas continuam fazendo' (definição de ideologia, por Marx)." 

Armando Silva do Prado - 19/11/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram