sábado, 24 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Operação Satiagraha

de 16/11/2008 a 22/11/2008

"Sobre as notas "Satiagraha" e "Diamantífero" no Migalhas (2.028 – 17/11/08), atualíssimo escrito de Fernando Pessoa: 'A leitura dos jornais, sempre penosa do ponto de ver estético, é-o freqüentemente também do moral, ainda para quem tenha poucas preocupações morais'."

Armando Silva do Prado - 18/11/2008

"Passou em um silêncio acabrunhante a declaração do ex-ministro Fernando Lyra à imprensa: 'O STF parece advogar em favor de Daniel Dantas'. O que esta frase denuncia? Traduzindo aos menos atentos: membros do STF parecem estar orientando os advogados de Daniel Dantas em como proceder para obter ágeis e melhores vantagens no STF. Será que os ministros do Supremo e seu rápido presidente Gilmar Mendes vão deixar ficar por isso mesmo?"

José Renato M. de Almeida - Salvador/BA - 18/11/2008

"Aos valorosos advogados e estudiosos do Direito que acompanham diariamente Migalhas - que me lembre, nos bons tempos da PUC/PR, havia algo chamado 'materialidade' em matéria de Direito Penal. Pois bem - vimos (e ouvimos) na TV o grampo de um 'sócio' do Sr. Daniel Dantas afirmando que este tinha 'facilidades' no STF, que seu problema era a 'Primeira Instância'. No entanto... Cadê o áudio do suposto grampo feito no STF? A revista Veja (aquela que 'denunciou' Ibsen Pinheiro, nos idos da década de 90) divulgou um trecho de um diálogo que teria sido 'grampeado' pela Abin (e afirmou isso com convicção - foi a Abin quem grampeou). Diante disto, pergunto aos nobres colegas: cadê a materialidade? Alguém ouviu esse grampo? Instalou-se uma CPI (que tem por relator o Itagiba, que tem entre seus contribuintes de campanha - declarado ao TSE - um dos sócios de Dantas?), promove-se outra investigação da própria PF, afastou-se a diretoria da ABIN, enfim, fizeram o escarcéu - mas ninguém ouviu o tal grampo do STF. Como diz o jornalista Paulo Henrique Amorim, esta é uma contribuição brasileira à tecnologia ocidental - o primeiro grampo sem áudio da história! E quando o Delegado Protógenes disse, na gravação desde ontem exibida na mídia, que devido a um trabalho de inteligência da PF tomou conhecimento de que havia um HC em 'gestação' no STF a favor de Dantas, logo a mídia - sempre ela - tratou de divulgar a declaração como confissão irretratável, irrevogável e que constitui prova irrefutável de que houve grampo ilegal no STF. Seria engraçado, se não fosse trágico. Pelo menos (teoria da metade cheia do copo), hoje se discute o uso de algemas (ainda que, por enquanto, apenas em banqueiros), o tratamento dado a pessoas sob custódia do estado, garantismo, etc. Enfim, coisas 'daquele pessoal dos direitos humanos' que antes se restringiam àqueles desafortunados que não tinham 'facilidades' nas Cortes Superiores."

João Luiz Martins de Mello - escritório Pamplona & Braz Advogados Associados - 18/11/2008

"Atento as notícias matinais, ouvi um comentário no rádio acerca da decisão do TRF3 sobre a exceção levantada contra o Magistrado. Com a imprecisão técnica de sempre, dizia o locutor que os advogados de Daniel Dantas haviam denunciado ao Tribunal a imparcialidade do Juiz e contra a mesma se rebelado (Migalhas 2.029 - 18/11/08 - "Despacho saneador" - clique aqui). Mal me refiz do susto e, quando ia clamar a Deus complacência para com o redator, me dei conta de que, afinal, a nota não era assim tão despropositada. Tratar-se-ia, sem dúvida, de um ato falho, e técnico, dos advogados se houvessem argüido a exceção na forma da notícia. Mas faria sentido. Ou não?"

Carlos Rigó - 18/11/2008

"Suspeito não é aquele que decide contra interesses suspeitos, mas sim, aquele que tenta tornar suspeito o sujeito que enfrenta, com coragem, as vicissitudes do honroso cargo que ocupa (Migalhas 2.029 - 18/11/08 - "Despacho saneador" - clique aqui)."

Leonardo Henrique Ferreira da Silva - 18/11/2008

"De Sanctis permanece Juiz (Migalhas 2.029 - 18/11/08 - "Despacho saneador" - clique aqui). Tem gente que não vai dormir a partir de hoje. Será que os Três Patetas estão bem tranqüilos?"

Armando Silva do Prado - 19/11/2008

"Ao Direito repulsa a idéia de uma parte se locupletar mediante sua própria astúcia (Migalhas 2.029 - 18/11/08 - "Despacho saneador" - clique aqui). Ora, salvo engano, parece-me que à própria defesa do Daniel Dantas, com substancial contribuição da mídia, deve-se creditar a criação dessa rede de intrigas e de desentendidos a por em saia justa o magistrado. Não se mostra razoável, agora, vir falar em destemperamento do juiz."

Diogo Montalvão - 19/11/2008

"Não pude me furtar de escrever algumas linhas. O Excelentíssimo Juiz Gilmar Mendes e demais 'Amicus Curiae' que irresponsavelmente o absolveu são um símbolo da falta de moral em julgar as coisas, da forma como são apresentadas, um mar de Leis onde o barco da verdade navega sem saber aonde chegará. Estamos, como brasileiros, com a justiça colocada na mão de quem pagar, esses Senhores deveriam pedir licença do carga por falta de capacidade moral. Senhores juízes, Magistrados, representantes do que é legal, moral e correto, ponham cada um de V. Excs. um saco de papel pardo na cabeça com a vergonha do que acabamos de ver e coexistir. O Sr Juiz De Sanctis sozinho não faz verão."

Gilvan Silva Batista - 19/11/2008

"Antecipo aos migalheiros que nos próximos dias será protocolado um feito 'em face' do banqueiro Daniel Dantas. Para acompanhar andamento, basta se cadastrar no sistema push da comarca do Vaticano, foro competente para conhecer do processo de beatificação. É, pelo menos, a única coisa que falta nessa história toda."

Fernanda P. da Silva - 20/11/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram