segunda-feira, 26 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Assalto

de 7/12/2008 a 13/12/2008

"Acabo de ser assaltado. Acabo de voltar do almoço com meu irmão e sócio e perder meu relógio. Foi na Av. Nove de Julho. Mas, poderia ser em qualquer outra rua de São Paulo. Pois, basta parar o carro, no trânsito, e você é abordado, ou por um vendedor de alguma coisa, ou por um assaltante. Em qualquer lugar, em qualquer esquina, em qualquer ponto em que você pare seu carro. Parece até que há assaltantes em todos os lugares, de metro em metro, em todas as ruas, em todas as avenidas. Só a polícia não vê. Todos armados. Os 'meus', portavam armas, se de brinquedo não sei. Achei melhor não investigar a fundo. O melhor que fiz foi me agarrar ao meu relógio, presente de minha mulher, que sabe o que lhe custou comprar. Mas, a turma tem prática, com um puxão bem dado, os dedos diretamente aplicados na trava, alguns ferimentos no meu pulso e lá foi o meu 'Tecnomarine', apto a marcar a velocidade de carros de corrida. Mas, pensando bem, não dirijo carros de corrida, e nem marco a velocidade das corridas, tudo bem. Vou fazer como o Luciano Huck. Falo com minha mulher e ganho outro, oportunamente. Ou mudo de Sãp Paulo. Ou espero que a campanha do desarmamento chegue aos assaltantes. Mas, é Natal. É o 'espírito de Natal'. Melhor ficar em casa. Até passar o Natal."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 12/12/2008

"Refeito do assalto de ontem, depois de uma boa noite de sono, já com o relógio reserva no pulso, recebi de um amigo um alerta sobre os que andam, inocentemente pelas ruas com a camisa fora da calça. Isso pode ser um problemão (Clique aqui)."

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 12/12/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram