domingo, 25 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Governo Lula

de 21/12/2008 a 27/12/2008

"Os lulistas, em sua maioria, persistem em tratar-nos como se fôssemos débeis mentais. O bravateiro-mor, Lula, garante que juros caem no início de 2009 e que 'Meirelles é um homem inteligente e sabe fazer'. Ninguém duvida de que quem manda efetivamente é o Meirelles, ex-presidente do Bank of Boston a quem os vitoriosos nas eleições presidenciais em 2003 entregaram surpreendente, o leme da condução de nossa política macro-econômica. Mas, Lula quer transformar fracasso em sucesso, o que afronta nossas inteligências. A verdade é que a altíssima taxa básica de juro 'neste país' tornou-se insustentável, por mais que haja esmero na aplicação de má-fé na sua calibragem. É conseqüência de mazelas crônicas como por exemplo: custos altos de produção, carga tributária excessiva, despesas do governo, falta de poupança interna. Vamos ao que Lula tentou classificar como 'marolinhas' da crise mundial: retração do crédito, queda do consumo e das importações globais e a derrubada dos preços das commodities. Acrescente-se ainda a esses fatos a farsa praticada pela Petrobrás que nos impõe ainda preço da gasolina com base no petróleo a US$ 120 o barril mesmo diante da queda desta cotação que vem acontecendo já faz vários meses, hoje em torno de US$ 35. Assim procedendo, a empresa constitui-se em óbice para que a inflação tenha uma diminuição maior e conseqüentemente os juros caiam mais rapidamente. Risco de aumento da inflação é argumento usado para fixação de juros imorais. Contudo, esse governo é obrigado a curvar-se à queda da inflação medida pelo IPCA-15 e que não é consectário da alta taxa de juro básico, mas, sim, do aumento de oferta de mercadorias no mercado interno porque as exportações caíram e o consumidor percebe que a recessão é uma realidade mesmo que Lula diga o contrário, seu emprego está em risco e o volume de crédito foi reduzido. Esse governo ficou sem ter mais o que inventar para manter o juro nas alturas, é compelido pelas circunstâncias a reduzí-lo e mesmo assim quer faturar dividendos políticos com a mudança. Afinal, a quem interessa essa nossa taxa de juro absurda? Certamente não beneficia os legítimos interesses do povo brasileiro. Assento que a colocação dos fatos econômicos que fundamentam essa Migalha são uma síntese apertada do que preleciona o sempre Douto Celso Ming, publicação diária no Estadão. Saudações."

Aderbal Bacchi Bergo - magistrado aposentado - 22/12/2008

"É tempo de festa. Então, se não vamos chorar, só nos resta rir. Como na velha Revista Seleções, 'Rir é o melhor remédio': Lula dircursava para dezenas de milhares de pessoas no Anhangabaú em São Paulo, quando, de repente, aparece Jesus Cristo baixando lentamente do céu. Quando chega ao lado de Lula, lhe diz algo ao ouvido. Então, Lula dirigindo-se à multidão diz:

- Atenção companheiros! O companheiro Jesus Cristo aqui, quer dizer algumas palavras para vocês.

Jesus pega o microfone e diz:

- Povo brasileiro, este homem que tem barba como eu, não lhes deu pão, da mesma forma que eu fiz?

O povo Responde:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Não é verdade que, assim como eu multipliquei os pães e peixes para dar de comer a todos, este homem inventou o Fome Zero para que todos pudessem se alimentar?

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim! - respondeu o povão.

- Não é verdade que ele assegurou tratamento médico e remédios para os pobres, assim como eu curei os enfermos?

O povo grita:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Não foi traído por companheiros de partido, assim como eu fui traido por Judas?

O povo gritou ainda mais forte:

- Siiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!

- Então o que vocês estão esperando para crucificar esse infeliz?"

Wilson Silveira - CRUZEIRO/NEWMARC PROPRIEDADE INTELECTUAL - 22/12/2008

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram