terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

Animalesco

de 17/10/2004 a 23/10/2004

"Prezados Migalheiros. Sobre a matéria "Mais uma para a história", Migalhas 1.028. Acredito que a Prefeitura, ou melhor a Prefeita, ainda guarda alguma "paura" da galinhada. E, provavelmente, não vai querer se aventurar a uma Peruada."

Luis Carlos Barbosa - advogado - 19/10/2004

"Não posso deixar de expressar meu apoio ao colega André, não apenas pelo mau gosto da brincadeira do migalheiro, mas também pela indignação diante dos gratuitos ataques que se faz à pessoa da prefeita Marta Suplicy, pelos protótipos de Macaco Simão."

Humberto Deporte - 20/10/2004

"Lamentáveis, preconceituosos e desrespeitosos a carta do leitor e os comentários do Migalhas 1.030, abaixo reproduzidos:

(...)

"Migalhas dos leitores - Animalesco 

'Prezados Migalheiros. Sobre a matéria "Mais uma para a história", Migalhas 1.028. Acredito que a Prefeitura, ou melhor a Prefeita, ainda guarda alguma "paura" da galinhada. E, provavelmente, não vai querer se aventurar a uma Peruada." Luis Carlos Barbosa, advogado 

'Clique aqui e reveja o hilário Migalhas 739, de 12/8/03, que narrava o fato lembrado pelo migalheiro".

(...)

Não creio que achariam o fato hilário se fosse com vossas mães."

Dr. André Smith de Vasconcellos Suplicy - 20/10/2004

“Doutor André Suplicy (Migalhas 1.031 - Migalhas dos leitores – Animalesco), se a minha santa mãezinha fosse prefeita de alguma localidade e num momento de calamidade pública fosse visitar os pobres desabrigados vestida em trajes supimpas, esbanjadores, iguais ao que a Marta usou em São Paulo, eu seria o primeiro a dizer: mãe,você foi ridícula! É por esse motivo que a Veja publicou em manchete: uma perua na lama. Mas aquele fato da galinhada não seria tão trágico para a Sra. Prefeita, se não fosse o desastrado comentário do Sr. Ministro da Justiça. Ele com a sua gafe tornou o fato hilário. Eu mesmo morri de rir. Portanto doutor André, quem tem bom humor deve continuar rindo de qualquer peruada ou galinhada, mesmo que o objeto carregue o pomposo nome Suplicy.”

Trajano Chacon - 21/10/2004

“Calma Dr. Suplicy (Migalhas 1.031 - Migalhas dos leitores – Animalesco). Ninguém teve a intenção de ofender a Sra. sua mãe, mas que foi hilário, foi mesmo.” 

Tarcisio Abrahão Thomaz - 21/10/2004

"Discordo do filho da prefeita Marta Suplicy, dr. André, que interpretou como 'preconceituosos' os comentários do leitor e de Migalhas sobre o incidente ocorrido em 11 de agosto de 2003 (Migalhas 1.031). Ficou claro para mim - e acredito que também para grande maioria dos leitores - que hilariante foi o informativo do dia 12/8/03 como um todo, e não o fato em si. E, para constatar que não houve qualquer tipo de preconceito por parte do editorial, basta uma olhadela na migalha intitulada Ebó, em que o evento é narrado como merecia: uma mera e boba 'estudantada'.

'(...) o episódio de ontem nas Arcadas, de um acadêmico que desejou "despachar" uma personagem política com uma oferenda de macumba, não foi senão uma "estudantada", das muitas havidas no curso da mais que sesquicentenária história da Academia. Nada mais.'

Nessa história, a única coisa capaz de ter sugerido preconceito foi a infeliz interpretação então dada pelo ministro da Justiça e não o tom bem-humorado que é peculiar do Migalhas ao abordar os mais variados assuntos."

Mariana Nogueira Lisboa - 21/10/2004

"André, meu caro migalheiro, em pese não termos nos encontrado nas "praias paulistas", leia-se os nossos botecos cotidianos, devo lembrar-lhe que a irreverência mencionada por você só ocorreu porque o ilustríssimo Ministro Bastos (aquele do ômega --- acharam?), amigo de sua mãe, e íntimo do atual Presidente, ofereceu à Nação a comparação de que, se Alcaidina de São Paulo homem fosse, um veado teria sido atirado. Concordo que nada há de hilário nessa comparação."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier Advogados - 21/10/2004

"Sugiro uma revisão por Gramatigalhas da frase do DOUTOR André Smith de Vasconcellos Suplicy ('Não creio que achariam o fato hilário se fosse com vossas mães') que mistura a 2ª com a 3ª pessoa do plural em tão poucas palavras. Seria isto um erro de concordância?"

Fernando B. Pinheiro - escritório Pinheiro e Bueno - Advogados - 21/10/2004

"Não achei preconceituosa a migalhinha (sem nenhum trocadilho) mencionada pelo migalheiro André Smith de Vasconcellos Suplicy, que pelo patronímico deve ter como progenitora a prefeita paulistana. Não há como extrair da missiva do leitor nenhum preconceito. Vi foi uma brincadeira com o acontecimento. Além disso, credito ao desgaste do pleito político o fato de que o crítico pelo visto não leu o informativo indicado, para perceber que não houve sequer menção à declaração do ministro, esta sim suspeita."

Ramalho Ortigão - 21/10/2004

“Colegas, perdoai o "Doutor" André. Não deve ser nada fácil ser filho de sexóloga e enteado de Argentino. Pior que isso, só viver preocupado com o vice alheio ou perder da Seleção da Argentina em final de Copa do Mundo.”

Marcelo Duarte - 21/10/2004

"DOUTOR André Smith de Vasconcellos Suplicy: quer dizer que eu nem posso querer enviar-lhe qualquer mensagem que, só por causa do meu nome, irei causar um desassossego familiar? Para piorar nossa relação, saiba que sou Contador do Matadouro Avícola Flamboiã Ltda."

Avelino Ignacio Garcia - 22/10/2004

"Sobre o "affaire" André Suplicy: "Galinha na mãe dos outros é bobagem"

Marcos Fontes - 22/10/2004

"O brilhante colega Fernando Pinheiro entrou na discussão galinácea criticando - de modo irrespondível - a concordância verbal na frase 'Não creio que achariam o fato hilário se fosse com vossas mães' (Migalhas 1.032). Pegando uma carona em defesa do vernáculo, quero dizer que Hilário se escreve obrigatoriamente com maiúscula, pois é nome próprio, de homem. O equivalente em Português ao Inglês "hilarious" - que o autor da frase quis usar - é 'hilariante"; já "Hilário" corresponde a "Hilary", que lá é comum de dois gêneros, como se vê com a Senadora. A propósito, bem poderíamos ter umas Gramatigalhas sobre anglicismos na linguagem jurídica, estudando "mandatório" em lugar de "obrigatório", "ativos" por "bens", "responsabilidade fiscal" em vez de "responsabilidade administrativa", "apreciar" como se fosse o antônimo de "depreciar" e outras pérolas."

Dr. Arnaldo Malheiros Filho - 22/10/2004

"O lindo da liberdade de opinião é que podemos ouvir e ler de tudo um pouco, ainda que por mera especulação. A propósito do mau gosto de uma comparação grotesca formulada pelo Ministro da Justiça, o migalheiro Humberto Deporte mostrou-se também indignado com referências à pessoa da prefeita Marta Suplicy (Migalhas 1.032). Como nunca ofendi a pessoa da prefeita Martaxa, posso calmamente esclarecer que a alcaidessa jamais poderá ser atingida em sua pessoa porque superior a todos os lúmpens mortais paulistanos. Basta ver a forma como se dirige aos eleitores, em atitude sempre superior, tal qual uma princesa medieval. Se desatendida, transforma-se em verdadeira criança manhosa e birrenta. Com todo o respeito ao citado Macaco Simão, quem é casado com Favre não precisa dos apoios de Maluf ou dos betinhos."

Alexandre Thiollier - escritório Thiollier Advogados - 22/10/2004

“Caro André Suplicy, outrora ilustre aluno, receba minha mais sincera solidariedade.”

Alexandre Slhessarenko - 22/10/2004

“Em resposta ao Dr. Trajano Chacon, caso trocássemos a figura da prefeita por um prefeito, e ele fosse visitar uma favela de terno, os jornais colocariam a manchete “Um mauricinho na lama?” Está na hora de começarmos a prestar mais atenção a tais nuances machistas que, de tão arraigadas na sociedade, não apenas passam despercebidas como também acabam por virar argumento de defesa, como foi o seu caso. Abraços,”

Flávio Kendi Hiasa – escritório Bueno de Aguiar e Wendel Advogados - 22/10/2004

“Peruadas e galinhadas! Permitam que eu meta o bico no inesquecível episódio. Só Freud explica o desatino "esperneandi" dentro das hostes martistas e alguns baluartes feministas. Ora, como diria a Gestrudes (Stein), uma galinha é apenas uma galinha. Um estudante de Direito é apenas um estudante de Direito. Então o imbróglio começa quando juntamos uma galinha, um estudante de Direito e uma senhora loura e impertinente. Por que será?”

Alexandre de Macedo Marques - 22/10/2004

"É sempre um prazer ler as (imperdíveis) migalhas do Dr. Alexandre Thiollier. Não poderia deixar de registrar que o ilustre migalheiro é uma das minhas grandes admirações."

Patricia A. Castex Spinola e Castro - 22/10/2004

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram