terça-feira, 20 de outubro de 2020

ISSN 1983-392X

OAB

de 13/2/2005 a 19/2/2005

"O ilustre professor cearense, Adriano Pinto, em recente manifestação, nestas migalhas, demonstrou que a OAB não está perseguindo o governo atual na posição que assumiu contra a MP 232 (Migalhas 1.103 - 4.2.05). A luta obstinada contra a ilegalidade sempre constituiu tema permanente da entidade, cujos presidentes disseram aos destinatários de suas censuras aquilo que pretendiam falar, sem mandar recados, não se valendo de subterfúgios. Foi o que ocorreu com o presidente Approbato na posse do Min. Marco Aurélio Mello, no STF, em relação às medidas provisórias. Foi o que fez o presidente Roberto Busato, na posse do presidente Nelson Jobim, no STF, em relação à flagrante inconstitucionalidade do salário mínimo. O presidente Lula não pode estranhar esse comportamento, pois às vésperas de sua posse esteve na Conferência Nacional da OAB, em Salvador, sendo festivamente recebido e ouvindo dos julgadores reiteradas críticas à política governamental do presidente Fernando Henrique. A entidade não tem compromisso com qualquer governo e continua tão livre hoje como ontem para dizer o que lhe parece razoável e justo."

Aristoteles Atheniense- vice-presidente do Conselho Federal da OAB - 14/2/2005

Comente

Cadastre-se para receber o informativo gratuitamente

WhatsApp Telegram