Leitores

Artigo - A Exequibilidade da Cédula de Crédito Bancário - Representativa de Operação de Crédito Rotativo

26/10/2018
Derlei Finger Bernardes Filho - escritório Contini & Cerbaro Advogados Associados

"Excelente explicação (Migalhas de peso – 29/3/17 – clique aqui)!"

Artigo - A palavra da vítima e a metodologia de análise da prova: um assunto argumentativo-epistemológico pendente

23/10/2018
Milton Gurgel Filho

"O estudo da prova em seus múltiplos, poliédricos e variados aspectos enriquece a todos aqueles que sobre ele se debruçam (Migalhas de peso - 23/10/18 - clique aqui). Parabéns ao subscritor."

24/10/2018
Lucas Brito de Oliveira

"Dr. Tiago Gagliano, parabéns por sua lucidez e compromisso (Migalhas de peso - 23/10/18 - clique aqui). O texto está impecável e evidentemente desapaixonado (o que atualmente é difícil em matéria processual penal). Fico extremamente feliz em saber que o sr., além de pesquisador, é juiz de Direito e que trata com seriedade a questão turva do valor probatório da palavra da vítima nos crimes contra a dignidade sexual, quando praticados na surdina (como é a regra). Forte abraço e me dê licença para vasculhar seus trabalhos acadêmicos."

Artigo - Cirurgia preventiva de câncer é um direito da mulher

27/10/2018
Cícero Pereira

"Parabéns dra. Adriana pelos esclarecimentos e fundamentos (Migalhas 4.470 - 26/10/18 - "Cirurgia preventiva – Direito da mulher" - clique aqui)."

Artigo - Conciliar é bom. Conciliar bem é melhor ainda

23/10/2018
Luciano Marins Minharro

"Li esse texto hoje 23/10/2018 e apesar de 11 anos após escrito e o novo CPC estar em vigor ele aborda algo muito importante, o tempo para conciliar (Migalhas de peso - 21/5/07 - clique aqui)! Como dito pelo autor as pessoas querem atenção serem ouvidas, o que demanda tempo, o que atualmente o Judiciário não tem, tempo; querem ser ouvidas as vezes mais de uma vez antes de entrarem em um acordo, mudarem suas vidas, resolverem seus problemas. Como fazer-se ouvir em uma audiência corrida, muitas das vezes atrasadas e com pessoas cansadas? Excelente texto, ótimo para refletir se queremos resolver os problemas ou acumular demandas."

Artigo - E por falar em eleições...

25/10/2018
Acélio Jacob Roehrs

"Não parece adequado, no contexto, falar em democracia no âmbito dos órgãos do Poder Judiciário (Migalhas de peso - 25/10/18 - clique aqui). Democracia haverá, sim, se todos os cidadãos elegerem a cúpula do Judiciário. Afinal, o poder do povo e pelo povo, que caracteriza a democracia, pressupõe a participação efetiva do destinatário do poder (o povo). A defesa da eleição nos moldes propostos pela ilustre juíza (com a participação dos juízes de primeira instância) configura, na verdade, luta corporativa interna no Poder Judiciário, não democracia."

Artigo - Nuvens sombrias de autoritarismo sobre o Estado Democrático de Direito: a defesa das regras do jogo democrático

26/10/2018
Shirlei Cruz

"Mais do mesmo: 'risco à democracia', 'autoritarismo', 'fascismo', 'golpe às instituições', que preguiça (Migalhas 4.470 - 26/10/18 - "Brasil, eleições 2018" - clique aqui)! A 'bipolaridade política não é saudável para o Brasil'? Pois eu acho que é sim! Mais saudável do que a hegemonia hipnótica do pensamento de esquerda que o país tem vivido nesses anos todos. Obrigada Senhor pelo despertar da população! Que domingo possamos fazer uma bela faxina e mandar um recado claro ao 'establishment': basta de corrupção, incompetência e cinismo!"

Artigo - O Data Protection Officer – DPO

24/10/2018
Daniel Luis Zani

"Excelente dra. Jaqueline (Migalhas de peso - 25/5/18 - clique aqui). Claro e objetivo. Muito didático. Como a lei 13.709 foi sancionada, fica a sugestão de uma atualização e enriquecimento. Parabéns."

Artigo - Pós verdade, fake news, propostas e realidade

23/10/2018
Deborah Fanhoni

"Cara Angela, seu texto reflete a mais absoluta verdade do momento de nosso país (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Fake news" - clique aqui). Espero que tenhamos o êxito pretendido para urgente mudança política e governamental que tanto precisamos. Parabéns pela mensagem."

Assédio sexual

26/10/2018
Almir Uchoa Junior

"Lamentável que isso continue a acontecer (Migalhas quentes - 7/12/17 - clique aqui). Francamente, é necessário que haja uma lei Federal obrigando os sistemas de transporte coletivo a transportar os passageiros de forma segregada, mulheres em vagão ou carro exclusivo para elas e, da mesma forma, para os homens; ou seja, que haja carros exclusivos para as mulheres e que haja carros exclusivos para os homens. Ponto."

Atos - universidades

27/10/2018
Antônio Duarte Guedes Neto

"Ridícula essa ótica com catarata, que nubla, e glaucoma, que estreita até cegar a visão: torna ilegal a campanha por ideias no único ambiente brasileiro onde ainda existe competência e coragem para produzi-las, mas promove a ex/imposição de aberrações ideológicas de entes, 'movimentos' e partidos, de 2013 às eleições, nas ruas e nas redes, plantando violência, agressões e mortes (Migalhas quentes - 27/10/18 - clique aqui). As invasões em universidades, contrárias à CRFB - democracia, liberdade de pensamento, autonomia universitária já mostram a aberração e a barbárie que incluiem a degradação da universidade pública e gratuita, único centro, no Brasil, de pensamento crítico, libertário e independente."

Benefícios

21/10/2018
Célio Oliveira de Souza Júnior

"Lamentável ouvir esse tipo de manobra imoral de uma pessoa que deveria ser exemplo (Migalhas 4.461 - 15/10/18 - "Ai, ai, ai...." - clique aqui)."

Coluna - CPC na prática

26/10/2018
Christina Cordeiro dos Santos - escritório Cheim Jorge & Abelha Rodrigues – Advogados Associados

"O texto do nobre colaborador é bem apropriado (Colunas - CPC na prática – clique aqui). De fato, tem-se visto decisões do STJ inadmitindo recurso por não ter sido comprovado o feriado de carnaval. Apesar de ser um feriado notório, até mesmo porque se desconhece um único TJ que tenha expediente antes da quarta-feira de cinzas, recentes decisões têm demonstrado que a Corte envidará todos os esforços para não julgar o mérito, infelizmente."

Coluna - Decifra$

26/10/2018
Wagner Costa
Belíssimo texto! Com sua verve, Francisco Petros mostra as complexidades e contradições subjacentes ao programa do candidato do PSL. Que Deus (acima de todos) nos acuda!
26/10/2018
Felipe Teixeira Cancela

"Não sou analista, especialista ou qualquer coisa assim. Sou Brasileiro! E como brasileiro cabe perguntá-lo: Não é tendenciosa sua tese contra o candidato majoritário nas pesquisas (Decifra$ - 25/10/18 – clique aqui)? Você aprova tudo o que está aí por mais de 12 anos? O outro candidato não representa a continuidade do que está aí?"

Coluna - Migalhas Edilícias

26/10/2018
Jose Antonio Ortega Ruiz

"...Quem o respira, vive como um clínico geral, exortado pelo desafio permanente de conseguir". Esse é o meu sentimento há anos, mas não conseguia exprimir isso em palavras, e o Senhor e o dr. Alexandre o fizeram não como clínicos gerais, mas como verdadeiros 'cirurgiões' (Migalhas Edilícias – 6/7/18 – clique aqui). Sensacional. Abraços."

Decifra$

22/10/2018
Mário Márcio Ferreira

"Leio um tanto espantado as afirmações do emérito professor Francisco Petros, no artigo intitulado 'Expectativas e riscos sob Bolsonaro' (Decifra$ - 18/10/18 - clique aqui). Isso porque ali está posto que: 'e se formaram claques que aplaudem os candidatos sem que se saiba claramente o que estes estão a dizer e propor. A política virou, por assim dizer, um espetáculo que diverte ou emociona, mas que não se propaga para a formação de expectativas e novas perspectivas'. Causou-me espanto, sim, pois acho que, no caso, houve uma equivocada apreensão do tipo de voto que o leitor está dando (ainda que possa esse voto não ser o melhor, mas é o que nos resta). Com efeito, a mim me parece que o recado é no sentido de que, com esse voto, estamos tentando dar início a uma faxina no país, começando uma limpeza moral, ética e tentando resgatar valores e princípios que nós, das gerações cinquentona e sessentona, recebemos de nossos pais; ou mesmo as dos anos setenta e oitenta (como meus filhos) que tentam repassar aos seus filhos (nossos netos), em termos de educação, respeito e fé. Data venia penso que, muito ao contrário, nós, os eleitores, estamos atentos aos discursos dos candidatos a presidente, sim, e muito atentos, tanto aos falados e escritos, quanto àqueles não pronunciados por suas bocas, mas ditos por seus mandatários em outras épocas. E pelos discursos decidimos por aquele que mais nos representava: não deixar que nosso país, o lugar que amamos e aprendemos a respeitar, fosse conduzido por alguém que pensa em desconstruir valores morais, políticos, éticos, valores esses com que fomos criados, impondo outros como os de Cuba ou Venezuela, v.g.; a escolha foi no sentido de colocar como dirigente alguém que pensa como nós, que nos representa, nós, a esmagadora maioria dos brasileiros. Quanto a mim, fiz uma pequena enquete entre os mais jovens, indagando: você é capaz de cantar o Hino Nacional completo? Você já ouviu o Hino à Bandeira? Para ambas a resposta foi um sonoro não, algumas vezes acompanhado da pergunta: que importância isso tem? Realmente, hoje isso não tem importância nenhuma, e até mesmo muitos adultos pensam assim. A existência da lei 5.700/71 é solenemente ignorada por todos, e os símbolos nacionais, que em países de primeiro mundo são amplamente reverenciados, aqui chegam até a ser reprimidos. Em questão de educação, em minha época um professor tinha a mesma autoridade de um familiar: só não podia bater no aluno, mas tinha o direito de corrigir. Hoje, apanham em sala de aulas e ninguém fala nada, ninguém acha isso errado. O governo, além de não se pronunciar, nada faz em contrário. Isso tudo nos revolta. Em termos de saúde, um marginal que chega a um posto de saúde não aguarda para ser atendido, e se precisar ser internado, toma o lugar de um paciente que está aguardando há dias uma internação. Finalizando esse longo desabafo, do articulista, penso que, diferentemente do que entendeu Vossa Senhoria ao afirmar que claques foram formadas apenas para aplaudir, sem se importarem com as propostas dos candidatos, as propostas postas a público pelos candidatos foram bem e suficientemente compreendidas, e dentro do cenário vivido pelo país que amamos, foram as que mais nos atraíram (ou nos causaram repulsa, dependendo da análise). Por isso essas manifestações de apoio (ou de repúdio) cada vez mais fragorosas."

25/10/2018
José Wander Marinho Coelho

"Essa análise é típica de pessoa que não viveu ainda o sucesso (Decifra$ - 25/10/18 - clique aqui). Analogia pessimista."

25/10/2018
Shirlei Cruz

"Já vimos aqui em Migalhas muitos manifestos, artigos e editoriais cheios de abstrações e especulações usadas para defender o não voto em Bolsonaro (Decifra$ - 25/10/18 - clique aqui). Gostaria agora de ler um artigo com apoio explícito e fundamentado ao candidato Haddad. Tenho muita curiosidade por saber o que pensam as 'cabeças pensantes' a respeito dos 13 anos de governo do PT e o que, para vocês, justifica mais um voto de confiança em um partido que, pela via da corrupção e por incompetência, arrasou o país. Mas vamos combinar uma coisa: não vale usar abstrações como 'defesa da democracia', 'contra a ditadura e tortura', 'ele é homofóbico, machista e fascista', 'foi golpe', 'de que tipo de queijo é feita a lua?'."

Dívida

24/10/2018
Alline Arend

"Com todo respeito, mas essa decisão é um desserviço à Justiça brasileira, aos contribuintes e à Fazenda Pública (Migalhas quentes - 24/10/18 - clique aqui).". No curso natural das execuções fiscais, havendo o parcelamento, o processo ficará suspenso, diante da própria suspensão de exigibilidade do crédito tributário, e estando a EF suspensa, obviamente o crédito tributário não está sendo exigido, portanto, não se fala em requisitos da CDA nesse momento. Mesmo porque uma coisa é o crédito tributário constituído na CDA, que é o objeto da execução fiscal, e outro é a própria execução fiscal, que serve de suporte processual à essa CDA. Suspenso o processo por parcelamento, ele ficará arquivado, não havendo que se falar em movimentação desnecessária da máquina judiciária, exceto para manifestações de constatação de pagamento regular do parcelamento. Eventualmente, acaso rescindido o parcelamento, basta que a Fazenda impulsione os autos, visando diligências constritivas para o recebimento do crédito. Agora, extinta a EF, diante do princípio da causalidade, a executada pagará as custas processuais incidentes, além de honorários advocatícios. Então, se esse crédito gera uma primeira execução fiscal, e após o parcelamento, a ação é extinta por perda do objeto, ainda assim haverá condenação do executado nos ônus de sucumbência. E se a Fazenda julgar necessária a instauração de novo executivo, e lá na frente haja o pagamento, novamente o executado se verá sujeito ao pagamento de custas e honorários? Então, perguntamos, qual a vantagem na extinção nessa hipótese? Nenhuma! Ademais, o assunto é tão certo de reversão no tribunal que causa até estranheza que um causídico experiente e especialista venha a comemorar tal vitória ainda em primeira instância."

Editorial Migalhas - Eleições

23/10/2018
Eduardo W. de V. Barros

"Lamento os termos desse editorial (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Na minha já longa vivência da política nacional, sempre como simples cidadão, não me recordo de ter visto um pleito em níveis tão baixos e acho que as bobagens que vem sendo ditas por todos os lados já enchem um Festival de Besteiras tamanho que não há necessidade do concurso de Migalhas, que, até agora, vinha mantendo um nível razoavelmente elevado de comunicação (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Juízo, por favor!"

23/10/2018
José Fernandes da Silva

"Como pode o Migalhas afirmar que 'todos que ingressam na vida política fazem-no com os mais elevados propósitos' (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe)? Quem fez essa afirmação absurda? Só pode estar bêbado ou é um dos 'fanáticos lulopetistas' que viscejam no Brasil. Outra afirmação igualmente inaceitável; 'quando Judiciário e parquet, com ajuda da imprensa fácil, passam a fazer do combate à corrupção uma guerra sectária'. Não foi e não é guerra sectária, o Poder Judiciário, ajudado pelo parquet, pela PF e pelo MP, apenas e tão somente cumpriram sua obrigação legal. O sectarismo é o que Migalhas pratica, sabemos nós com que interesse!"

23/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"O momento é difícil e a escolha que nos é dada trafica (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Por isso, a contra gosto, dia 28 serei obrigado a cravar "99 confirma"!"

23/10/2018
Marcos Augusto Almeida Nunes

"Editorial covarde, cheio de reticências e conclamações inúteis (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Não há como harmonizar 'Boçalnato' com democracia. Todos os cidadãos com um mínimo de capacidade reflexiva tem o dever de a ele se opor. E não se tratam os arroubos do infeliz de mera retórica demagógica, para ganhar simpatia das massas ignaras. Ele é o que é há muitos anos, tem péssimas intenções e nenhum preparo político. E seu vice, ex-general Mourão, o mesmo, apesar da mais uma vez covarde avaliação de vocês, que tiveram a coragem de cotejá-lo enquanto 'homem preparado'. Tomem vergonha, se coloquem ao lado da democracia, pois sem ela não há Direito, e não haverá Migalhas."

23/10/2018
José Mafra

"Editorial inoportuno (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe)! O povo brasileiro saberá escolher o futuro presidente independente de editoriais parciais!"

23/10/2018
Fabiana Cancella

"A propaganda eleitoral da empresa é hipócrita ao não mencionar as aberrações jurídicas que assistimos diariamente (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Bem como não citar a repulsa ao partido comunista que tenta implantar sua ideologia. Lamentável. Não utilizo esta plataforma de trabalho porque estou estudando fora do Brasil este ano, mas retornando não a utilizarei, definitivamente! Fora podridão Petista do nosso Brasil. Esta mensagem será compartilhada com os colegas advogados e trato de bloquear o Migalhas em meu correio eletrônico. Tentativa política patética."

23/10/2018
Fernando Benevides

"Com todo respeito, mas o povo conservador, ordeiro, de bem, jamais, em tempo algum, esquecerá os atos de ignomínia, mentira e covardia que a esquerda praticou e pratica no país. Jamais esqueceremos (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Covardes, corruptos e mentirosos! Não adianta amaciar, vamos arruinar a esquerda, defenestrá-la, perseguí-la, até não sobrar resquício desta ideologia maldita, que impõe ao país interesses e ideários espúrios e subalternos à verdade, deletérios mesmo ao bem comum. Isso será feito no plano das ideias, em ambiente sempre republicano e democrático, mas faremos e combateremos o bom combate. E nada vai nos demover deste ideal, até o fim."

23/10/2018
Eduardo Tavares dos Reis

"Em relação ao Editorial, se a intenção era espalhar uma mensagem de conciliação, não foi muito feliz (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Atribuir ao Judiciário a culpa por ter (corretamente na minha ótica) combatido fortemente a corrupção é equivocado, seja porque o Judiciário fez o seu trabalho, de forma eficaz, seja porque é fazer pouco da inteligência do povo, que não teria como decidir sobre as opções propostas, ou seja por abrandar a nefasta administração que instalou a corrupção como forma de governo. O Judiciário é um dos menores problemas deste país, Sr. Editor."

23/10/2018
Silvia Szakács

"Qual a reação de vocês quando se ouve do outro candidato que Bolsonaro é o anticristo, "Ele é anti ser humano. É tudo que precisa ser varrido da face da terra" (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe)? Nenhuma. O Editorial de hoje, como boa parte dos artigos que tratam do cenário político, publicados pelo Migalhas nesses últimos tempos, vêm sofrendo da devida falta de isenção e não representam a nossa classe. Temo que o Migalhas tenha se tornado como a velha imprensa. Friso que essa opinião não é só minha e sim da boa parte de seus eleitores, basta conferir os comentários nas próprias matérias, no Facebook. Vocês estão perdendo a credibilidade, infelizmente."

23/10/2018
Luiz Antônio Rodrigues

"Comentários para serem isentos devem analisar as falas de todos os que poderiam chegar à presidência da República e o oponente daquele que o migalheiro trata no artigo propôs 'varrer do mapa' seus inimigos (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). Se isso é uma qualidade democrática estamos no bom caminho para a guerra entre irmãos!"

23/10/2018
Jussara Ferreira da Silva

"Parabéns pelo texto (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe)! Serenidade e equilíbrio sempre! É o que nos falta em momentos como este e que nos faz tão bem!"

24/10/2018
Cezar Romero

"O consenso jurídico e o consenso político estão longe de ter afinidades (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "Editorial" - compartilhe). O movimento eleitoral para presidência da república, antes de tudo, é um ato de democracia, garantida pelo direito e aproveitado pelos políticos. A isenção é única conduta que o editorialista deve manter para lavrar sobre qualquer tema, especialmente o político. Ora, são dois candidatos, postados na direção do eleitorado o qual tem a propriedade única de escolher o que julgar melhor. Difícil fica, fuzilar um candidato, citando seu nome e omitir o do outro candidato, que passa ileso pela ponto escolhido do editorialista. E mais.  Ninguém pode negar que certos grupos de comunicação tem grande interesse nestas eleições, podendo até ter preferências. A história política administrativa dos últimos 16 anos mostra claramente quem colocou o Brasil no atual quadro. Então, caro editorialista, com todo o respeito que tenho pelos colegas, vamos dar nome aos bois. Cada um conforme a cangalha que carrega. Afinal, cada candidato criou uma trajetória dentro de um pensamento, de uma plataforma ou um alento de esperança. Se é bom falar do que é para um, seria interessante fazer o mesmo em relação ao outro. Democracia é igualdade de direitos. Especialmente na hora de votar."

Eleições 2018

21/10/2018
Maria Alice Bolognesi

"Manifesto em favor do Bolsonaro (Migalhas 4.464 - 18/10/18 - "Eleições 2018" - clique aqui)."

21/10/2018
Gilson Mendes de Assis

"Interessante. O incrível é que não tive notícias de um manifesto deste quando do caixa 2 do PT e demais partidos (Migalhas 4.464 - 18/10/18 - "Eleições 2018" - clique aqui). Não tive notícias também de um manifesto desde quando João Santana e Mônica Moura declararam ter recebido via caixa 2 do PT, pasmem, R$ 10.000.000,00 de dinheiro do exterior o que vedado por lei. Deveriam ter feito um manifesto cobrando o que a lei determina a extinção do PT. No entanto, nada, apenas o silêncio destes mesmos juristas. Lembrem-se a lei vale para todos!"

22/10/2018
Tereza Andrade

"Frases que os 'juristas' e jornaleiros desconhecem por ignorancia: 'Ter-me-iam bastado um cabo e dois soldados para fechar o Congresso' - Jânio Quadros (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Espanta-me o desconhecimento histórico dos brasileiros! Autoridades, juristas e advogados de hoje em dia. Eduardo Bolsonaro cita Jânio Quadros mudando o órgão de uma frase histórica e o mundo vem abaixo no movimento contra Bolsonaro! Analfabetos de plantão! Isto é História, não ameaça."

22/10/2018
Ricardo Alves de Souza

"Parece expressar um sentimento cada vez mais latente da população, em face das demonstrações de uma pseudodemocracia a serviço de si mesma (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)."

22/10/2018
Luciana Leal

"Eu achei que Rosa Weber se curvou para Bolsonaro e teria ter tido como ameaça que é o que foi (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Só acho."

22/10/2018
Shirlei Cruz

"Alguém faz uma pergunta ridícula e o entrevistado dá uma resposta idiota e... pronto (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)! Fez-se o caos! Ora, ninguém em sã consciência levaria a sério uma asneira dessa. Tanto é assim que há dezenas de exemplos de falas esdrúxulas como a de Eduardo Bolsonaro proclamadas pela esquerda. Aliás, pelo alto escalão da esquerda! Em vídeo publicado no YouTube, o deputado petista Wadih Damous fala a mesmíssima coisa, ou seja, 'fechar o STF'. E por que a mídia e a classe jurídica não manifestaram a mesma indignação? Basta de hipocrisia e cinismo!"

22/10/2018
Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior

"A questão do WhatsApp é puro desespero do PT e da esquerda, pois ambos sempre se valeram dos chamados blogs sujos para manter-se no poder, com fake news todos os dias, sem qualquer posicionamento das Cortes ou do TSE. Por outro lado, mensalão, petrolão, a prisão de Lula com base em provas nos autos, e até mesmo o fato de que, se não fosse por Bolsonaro, haveria sim a distribuição de um kit gay, tudo isso não são fake news, são true news. Observem que o discurso do PT não especifica quais notícias seriam fake news, mas diz que tudo o que a chamada direita envia por WhatsApp é falso. Ora, puro desespero demagógico. A Dilma recebeu o impeachment com base em devido processo legal e constitucional, testemunhado por todos os brasileiros, inclusive em redes de cadeia nacional. Bolsonaro não é Messias, como o nome diz, mas ninguém aguenta mais as mentiras diárias da esquerda e sua histórica manipulação da interpretação dos fatos, enganando os jovens incautos. Bolsonaro, sem a presença nos debates, tem votos espontâneos originados há muitos meses antes das eleições, e não por força de mensagens de WhatsApp. Infelizmente, é possível que a Folha de São Paulo tenha veiculado uma reportagem de fake news, caso não prove onde estão os contratos feitos entre a campanha de Bolsonaro e as empresas ditas impulsionadoras de mensagens virtuais. De resto, a alegação da esquerda quanto à existência de 'abuso de poder econômico' é claramente uma vingança, por ter sido a Dilma expulsa justamente em razão de 'abuso do poder econômico', ou em razão de ter sido levantado esse argumento sobre a vitória da chapa Dilma-Temer. O crescimento das redes sociais livres é que possibilitou que as pessoas pudessem investigar por elas mesmas toda a podridão da corrupção que envolve o PT e a esquerda. E é exatamente por isso que o PT, em seu plano de governo, fala em controle social da mídia. Porque, onde já se viu as pessoas descobrirem que há corrupção no PT, ou que as pessoas saibam que o Lula ainda está sendo processado por outros crimes?"

22/10/2018
Mara Dayany Almeida Brasil

"Deviam divulgar a informação como aconteceu (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Antes dele falar ele diz 'até brincar dizendo'. Saibam se colocar e ser imparcial."

22/10/2018
Miguel Martins Fernandes

"O esquema PTFolha está totalmente desacreditado (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Eleições 2018 - Whats - PSL" - clique aqui). Pode ficar no ar à vontade. Em nada desequilibrará a decisão da maioria absolta dos eleitores brasileiros, que certamente reforçará o percentual da vitória, em segundo turno."

22/10/2018
José Aranda Gabilan

"A toda evidência, não passa de um déspota esclarecido (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)!"

22/10/2018
Joaquim do Amaral Schmidt

"Para tentar denegrir a imagem de um filho do candidato, a mídia que trabalha para o concorrente - Globo e Folha da Manhã - é acompanhada por Migalhas (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). A infeliz frase do deputado não tem a menor importância, e o idoso FHC nem deve ser inquirido sobre este tipo de coisa. Lamentável!"

22/10/2018
Fernanda Teodora Carvalho

"Acerca da migalha, o ilustre cantor Renato Russo nunca esteve tão certo quando cantou: 'Ninguém respeita a Constituição, mas todos acreditam no futuro da nação' (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)."

22/10/2018
Eneida Schiavon

"'Tem que fechar o Supremo Tribunal Federal', Wadih Damous (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). 'Primeiro, deveria tirar todos os poderes do Supremo e ser só Corte Constitucional', José Dirceu. Aguardo matéria sobre isso."

22/10/2018
Luiz Antônio Rodrigues

"Não me lembro de comentários migalhenses favoráveis ou contrários desse porte quando o 'cumpanheiru' Wadih Damus (advogado e supostamente conhecedor da constituição brasileira) 'sugeriu' o fechamento do STF (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)! Foi falha técnica ou coerência da linha editorial do fabuloso rotativo?"

22/10/2018
Lourival Pinho

"Quando Wadih Damous falou em fechar o STF em abril deste ano, não lembro de tanto estardalhaço, aliás, não lembro de qualquer comentário, assim como quando o 'Zé Dirceu' falou em entrevista recente que precisava retirar os poderes do STF e de investigação do MPF, nenhum comentário, porém, agora, um vídeo de junho deste ano, do filho do Bolsonaro, tem valor legal (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)? Infelizmente, cada dia me convenço que os apoios e fomentos das grandes bancas de advocacia, abastecidas pelos milhões do nosso dinheiro, surrupiados pelos PeTralhas, continuam influenciando este, um dia isento, informativo jurídico! Triste, muito triste!"

22/10/2018
Eduardo W. de V. Barros

"Um jovem deputado dizer bobagem, não é novidade, já uma plêiade de ministros do STF dizer o que Migalhas está divulgando, é algo preocupante (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). O jovem se deixou levar por uma provocação, questionando o que deveria ser feito se o STF desse um 'golpe' e cassasse a candidatura do pai, inventando uma artificialidade qualquer (uma coisa que supomos inimaginável, todos os que conhecemos nossos tribunais), e o jovem respondeu que isto seria um golpe e que haveria possivelmente uma confrontação. Sem dúvida, nesse caso hipotético, quem estaria despindo a magistratura de sua grandeza seria o próprio STF, ao prevaricar no exercício de seus poderes, como estão fazendo, agora, com essa série de disparates que estão sendo proferidos em nome dos ministros."

22/10/2018
Aparecido Luiz Carlos Cremonezi

"Impressionante como qualquer coisa serve para tentar abalar a candidatura de Bolsonaro (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Como li em um artigo muito feliz o voto em Bolsonaro é o voto em nós mesmos, como se pudêssemos, com as próprias mãos, buscar os valores morais e materiais que perdemos. Não pode um presidiário passar por preso político; preso político tem que ter ideologia e o analfabeto sequer deve saber o que é isso. Lula é um pau mandado de Maduro, e Haddad, o infeliz, pau mandado de Lula. Chega, a democracia exige cultura acima de tudo."

22/10/2018
Aparecido Gonçalves Ferreira

"Choro de perdedor (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Eleições 2018 - Whats - PDT" - clique aqui). Cada uma."

22/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"Pois é, e pensar que 1,8 milhão de imbecis deram seu valioso voto a ele (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Era melhor ter votado no Tiririca, que pelo menos é palhaço de profissão e tem mais educação. Compartilho da frase do escritor peruano Mário Vargas Llosa, Prêmio Nobel de Literatura, em recente entrevista à revista VEJA: 'os brasileiros estão entre padecer de aids ou de câncer terminal', referindo-se às opções que temos para a eleição presidencial."

23/10/2018
Marcus Coelho

"É muito mimimi (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)! Muitos já falaram coisas piores e nada aconteceu. O deputado tem imunidade para expressar suas opiniões. E o STF para julgar tem que ser provocado. Que ação foi ajuizada para haver manifestação dos ministros sobre o tema? Ministros deveriam ser eleitos por tempo limitado e não serem vitalícios. Gostam de aparecer!"

23/10/2018
João Machado

"Com o devido respeito que merece a matéria publicada referente a fala do filho do Bolsonaro quando se refere ao Supremo, entendo ser tendenciosa a forma que foi publicada a matéria por este respeitado meio de comunicação que é o Migalhas (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). É lamentável a forma que o filho do Bolsonaro se dirige ao Supremo. Mas o ex-presidente Lula já falou coisas muito piores sobre a Suprema Corte e isso não foi levado em consideração na matéria publicada. A título de exemplo em 17/3/2016, o ministro do STF Celso de Mello teve que se pronunciar a respeito da fala do ex-presidente Lula, que chamou a Suprema Corte de 'covardes'. Portanto, temendo a parcialidade e zelando pela isonomia, que deve prevalecer neste importante meio de comunicação, entendo que a matéria deveria ser sob a imagem que se paira sob o Supremo Tribunal onde qualquer pessoa,  qualquer bandido ou político ou político bandido, zomba da Suprema Corte Maior, sem qualquer resposta efetiva. Será que a moral do Supremo está abalada ou porque a liberdade de expressão não tem limites? Independente da resposta da pergunta acima, o Migalhas apresentou matéria tendenciosa, assim como está fazendo claramente algumas emissoras de TV. Não voto no Bolsonaro, mas a matéria ficaria melhor apresentada e apreciada em sendo publicada constando a fala ridícula do filho do Bolsonaro sobre o Supremo bem como, pelo menos, com  uma das várias vezes que o ex-presidente Lula desqualificou a Suprema Corte. Mostrando assim as duas faces da moeda e questionando a imagem e o papel do Supremo."

23/10/2018
Elías Sérgio Ribeiro de Barros

"Cadê a declaração do ministro do STJ (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui)?"

23/10/2018
Shirlei Cruz

"Migalhas representava, até algum tempo atrás, um oásis para mim. Porque fazia um jornalismo correto do ponto de vista técnico e intelectualmente honesto. Nem sempre a análise inserida na informação trazida por Migalhas coincidia com a minha avaliação do fato, mas, gostando ou não, concordando ou não, havia verdade na informação e coerência na análise. Sempre que surgia um fato jurídico ou político controverso na mídia, eu esperava o informativo sair do forno para só então formar minha própria opinião. Por isso, esse segundo turno das eleições tem sido desolador para mim. Tenho percebido uma parcialidade excessiva, que beira a má-fé intelectual, por parte de Migalhas. Após a cobertura tendenciosa realizada ontem acerca da baboseira dita pelo deputado Eduardo Bolsonaro, hoje me deparei com um Editorial novamente parcial em Migalhas, além das notas que vieram logo abaixo; e isso tudo apesar das dezenas de 'migalhas dos leitores' cobrando isenção deste rotativo e alertando para o duplo padrão moral que vem sendo empregado na cobertura das eleições. Apenas para citar mais um exemplo recente, Migalhas não deu uma notinha sequer sobre as manifestações pró-Bolsonaro que aconteceram no último domingo, que possivelmente traduziram o maior movimento popular da nossa história; mostrando uma total desconexão com seus leitores migalheiros e com a própria sociedade. Como é possível um informativo do nível de Migalhas, a pretexto de defender os ideais democráticos e a liberdade, apoiar (ainda que indiretamente) o candidato de um partido como o PT, que enquanto esteve no poder agrediu de todas as formas possíveis a nossa democracia e liberdade de pensamento, e não só na teoria (como fez o deputado Eduardo Bolsonaro), mas na prática, usando como armas a fraude eleitoral, o controle de parte da mídia via financiamento público e a corrupção do parlamento. Migalhas e a mídia em geral estão perdendo a preciosa oportunidade de fazer uma cobertura digna e uma análise sincera de um momento histórico do nosso país. Enquanto vocês continuam no seu fantástico mundo da 'revolução contra a ditadura', a sociedade está buscando informação nos blogs independentes e usando as mídias sociais para fazer a necessária transformação que a autointitulada 'elite intelectual', por incompetência ou conivência, não promoveu. E vejam: não se trata aqui de gostar ou concordar com o candidato Jair Bolsonaro. Seria possível fazer uma cobertura dos fatos de forma verdadeira e uma análise honesta, ainda que crítica. Ou então assumir de uma vez por todas um lado. Goste-se ou não da revista 'Carta Capital', ninguém pode acusá-la de enganar seus leitores, fingindo ser uma coisa para 'vender' outra."

23/10/2018
Max Abrão

"É triste que o STF se preste ao papel de cabo eleitoral do PT (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Levando em conta que o próprio plano de governo do PT, diga-se, registrado no TSE, inclui a criação de um órgão completamente externo para controle do Judiciário. A OAB ataca diuturnamente a independência dos magistrados, deputados do PT falam abertamente em fechar e remodelação do STF, porém, nada é dito! Lamentávelmente vemos instituições brasileiras flertando com a esquerda. Aonde vamos parar?"

23/10/2018
Fernanda Fernandes Conceição

"Deixem Oxalá fora disto (Migalhas 4.467 - 23/10/18 - "1")!"

23/10/2018
José Renato Almeida

"O vídeo de Eduardo Bolsonaro respondendo questão esdrúxula em cursinho de vestibular, causou declarações indignadas em defesa do STF, da democracia e da Constituição. A rede Globo deu ampla repercussão ao vídeo e abriu espaço para comentários de todos que criticaram o autor. O ministro Alexandre de Moraes quer que ele seja condenado por incitação das Forças Armadas às instituições!  FHC, fundador do Foro de São Paulo, juntamente com Lula, Fidel Castro, chefe das FARCS, que quer implantar o comunismo nas Américas, considerou-o como fascista. Raul Jungmann e Lulahaddad fazem declarações contra o vídeo, apesar dos esclarecimentos do autor sobre o ambiente em que foi feito, sem qualquer intenção de provocar o fechamento do STF, por um cabo e um soldado da conhecida chiste popular. Tudo isso soa exagerado, quando nos perguntamos onde estavam os defensores do STF, da democracia e da Constituição, quando Lewandowski, presidente do Tribunal do impeachment de Dilma Rousseff, desvirtuou o texto constitucional, em decisão monocrática, não submetida ao plenário, e manteve os direitos políticos de Dilma? Onde estavam os indignado, quando o então PGR Geraldo Brindeiro engavetava pedidos de investigação contra os ilícitos de FHC, como a compra de votos para aprovar sua reeleição? Ou quando o TSE, presidido por Gilmar Mendes, engendrou a farsa do julgamento da chapa Dilma-Temer por crime eleitoral, desconsiderando provas pedidas por ele mesmo? Ou quando Gilmar Mendes liberta condenados em segunda instância a torto e a direito, afrontando decisão contrária existente na Corte? Cadê o CNJ? O que faziam quando o militante do PCdoB, Urias Rocha, convoca seu grupo para 'estourar as cabeças dos juízes'? Ou Zé Dirceu, ao defender a redução dos poderes do MP e que o STF que não tem razão de existir? Quando o deputado Wadih Damous (PT) em vídeo planejado, ataca Moro, acusa Raquel Dodge e diz que 'tem que fechar o STF', e tudo fica por isso mesmo? Quando Lularápio (PT) diz que: o STF se acovardou; que tem votos contados dos ministros; que o impeachment foi 'golpe'; que a Justiça persegue a ele e ao PT; que ele é um preso político; é inocente e foi 'condenado sem provas' e divulga isso ao mundo e nada acontece? Onde estavam esses indignados? O presidente do Supremo, Dias Toffoli, disse que não viu no vídeo qualquer intenção de ameaça."

24/10/2018
Shirlei Cruz

"Caro migalheiro José Renato Almeida, compreendo sua irresignação e compartilho dela. O duplo padrão moral empregado não só por Migalhas, mas pela mídia e parte da classe jurídica, é insuportável para aqueles que têm vergonha na cara. Mas felizmente não são mais donos da informação e, com o advento da internet, o jornal de ontem não serve só para embrulhar peixe na feira. A 'elite intelectual' está 'mordida' com isso. A entrevista do dr. Miguel Reale (que merece todo o respeito e admiração) é um exemplo. Tudo que não advém do pensamento da esquerda é fascista e antidemocrático. A esquerda têm licença institucional para falar as maiores barbaridades. A questão é que ninguém aguenta mais essa falácia de golpe, fascismo e ditadura! Não vi tanque de guerra nas ruas. O que temos visto é uma manifestação popular, espontânea, legítima, democrática, que vai eleger nas urnas o próximo presidente."

26/10/2018
Greg Marinho Passos

"Ainda é tempo de acolher cidadania.

Ainda é tempo de pensar no bem do amor.

Ainda é tempo de impedir-se tanta dor.

Ainda é tempo de opor-se à covardia.

Ainda é tempo de evitar tanta fobia.

Ainda é tempo de querer a liberdade.

Ainda é tempo de lembrar-se da amizade.

Ainda é tempo de salvar o seu irmão.

Ainda é tempo de amar esta nação.

Ainda é tempo de votar Manu/Haddad."

26/10/2018
Shirlei Cruz

"Valeu a tentativa, mas meu voto ainda é contra a corrupção que saqueou os cofres públicos, contra ditadores disfarçados de democratas, contra a incompetência criminosa que destruiu o país, contra a hegemonia da esquerda, contra a doutrinação ideológica nas universidades públicas e privadas, contra a invasão e destruição da propriedade privada, contra a sindicalização do serviço público, contra a extorsão praticada pelos sindicatos em face dos empresários, contra o aparelhamento do Estado, da mídia, das universidades e da imprensa, contra o crime organizado. Meu voto é a favor da democracia, da ordem, do direito à independência de pensamento, da valorização da livre iniciativa e da meritocracia e de um governo que esteja mais preocupado com o meu emprego, segurança, educação e saúde do que com minha orientação sexual. Meu voto é #17!"

26/10/2018
Milton Córdova Junior

"Ministros do STF acompanhados por uma legião de vivandeiras manifestaram perplexidade por uma suposta frase que o deputado Eduardo Bolsonaro teria dito (e não disse!), no sentido de que 'para fechar o STF basta um soldado e um cabo'. Ocorre que essa falácia jamais foi pronunciada pelo parlamentar que, na verdade, apenas fez uma citação do que ele teria ouvido - mesmo assim em tom de brincadeira -, exatamente nestes termos: 'O pessoal até brinca lá, cara, se quiser fechar o STF você sabe o que você faz? Não manda nem um jipe, manda um soldado e um cabo'. Intencionalmente foi suprimida a primeira parte da frase ('o pessoal até brinca lá, cara'), sendo divulgado apenas a segunda parte ('se quiser fechar o STF...') para deturpar a frase. É de se estranhar que o próprio STF se preste a criar 'fake news' para atender a meros caprichos pessoais de seus integrantes que, por outro lado, se omitem em ações e condutas graves provocados por seus próprios pares. Algumas dessas condutas são passíveis, inclusive, de processo por crime de responsabilidade."

Eleições OAB 2018

26/10/2018
Atinoel Luiz Cardoso

"Raquel representa o anseio dos advogados e o modo de alcançá-los com honestidade, competência e determinação (Migalhas 4.469 - 25/10/18 - " Candidata – OAB/MS" - clique aqui)!"."

26/10/2018
Elenice Pereira Carille

"Apoio à candidatura da grande advogada Raque Magrini em busca de uma OAB/MS mais transparente e que efetivamente trate a todos advogados de maneira igualitária (Migalhas 4.469 – 25/10/18 – " Candidata – OAB/MS" – clique aqui)."

26/10/2018
Ary Candido Dias Filho

"Parabéns Dra. (Migalhas 4.469 – 25/10/18 – " Candidata – OAB/MS" – clique aqui)! A proposta inovadora comunga corretamente aos anseios da classe."

 

26/10/2018
Rita Maria de Paula

"Em 2019 a OAB vai estar diferente, porque a chapa33 vai estar lá com certeza (Migalhas 4.469 – 25/10/18 – " Candidata – OAB/MS" – clique aqui)!"

27/10/2018
Sérgio Furquim

"OAB é uma instituição que foi muito respeitada. Agora ela está desacreditada devida alguns dirigentes achar que são os verdadeiros donos da instituição. OAB e para representar os advogados brasileiros e toda sociedade civil, principalmente os mais necessitados de Justiça. Queremos nossa OAB de volta, uma OAB sem bandeira política, uma OAB sem discórdia, uma OAB que lute pela classe e pela sociedade. OAB é nossa e não dos dirigentes que acham serem donos. OAB somos nós advogados."

Feriado

23/10/2018
Luiz Antonio de Almeida

"Ministro Raul Araújo acertou no alvo (Migalhas 4.465 - 19/10/18 - "Feriado...sqn" - clique aqui). Qual TJ abre suas portas na segunda-feira de carnaval?"

Gramatigalhas

23/10/2018
José Carlos Silva Souza

"Perfeita explicação (Gramatigalhas - 18/5/11 - "Supra-relatado – Suprarrelatado – Supra relatado?" - clique aqui). Muito obrigado."

Indenização

26/10/2018
Milton Cordova Junior

"Esse é o grande problema dos erros do Judiciário e do Ministério Público (Migalhas quentes – 24/10/18 – clique aqui). O que restou dessa falha gravíssima será uma mera indenização? E quanto à punição - aliás, uma dura punição - que juiz e promotor de justiça deveriam receber por falha tão grave, grotesca e inaceitável? Depois reclamam do projeto de lei sobre o abuso de poder."

Isenção de IR

21/10/2018
José Carlos Rodrigues

"Parabéns senhora PGR (Migalhas quentes - 19/10/18 - clique aqui)! Enfim uma luz. Seria bastante louvável que essas pessoas com doenças graves tivesse também o direito de isenção de IPI ,ICMS E IOF como as com PCD."

21/10/2018
Diovani Castoldi Lencina

"E o que ela tem a falar sobre os aposentados que, isentos de IR no Brasil, ao residirem no exterior passam a descontar 25% de IR sem isenções e progressividade na tabela (Migalhas quentes - 19/10/18 - clique aqui)?"

23/10/2018
Iara Dutra

"Deveria se estender aos portadores de doenças ativos também, tendo em vista a falência do sistema de saúde e as dificuldades de tratamento público (Migalhas quentes - 19/10/18 - clique aqui)."

Liberdade de informação

25/10/2018
Rubens Tavares Aidar

"Liberdade de imprensa é a cereja do bolo para demonstrar que os evoluídos membros da Corte Suprema são politicamente corretos (Migalhas 4.469 - 25/10/18 - "Liberdade de informação" - clique aqui). É o direito divino da mídia. O direito à privacidade da família e da imagem de um cidadão que, como os demais, foi abandonado pelos deveres de Estado, não tem relevância. Não é o valor, pois, um real seria suficiente para que se impusesse o respeito à pessoa humana e sua família. Se fosse amigo do Rei..."

Lista tríplice

26/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"Só parentes de membros dos TJs (Migalhas quentes – 24/10/18 – clique aqui)? E os TRFs e o compadrio cruzado?

Lula

22/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"Nenhum dos presos entrevistados pelo Fantástico é orientador de candidato à presidência (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Sobriedade" - clique aqui). O presidiário 'famoso' de Curitiba só falaria de política, por isso querem entrevistá-lo antes das eleições e não após."

22/10/2018
Jarlene do Nascimento Wanderley

"Excelente o posicionamento da procuradora, pois esse excesso de notoriedade que a impresa insiste em dar a um preso que responde por crimes de corrupção pode comprometer os valores sociais que estamos querendo resgatar (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Sobriedade" - clique aqui)."

24/10/2018
Eldo Dias de Meira

"O Lula quer se passar por preso político. O assunto da entrevista naturalmente circularia sobre a política e sua prisão. Ocorre que ele não é um preso político, mas um político preso."

Mães em prisão domiciliar

26/10/2018
Jorge Rickli

"Em eventual governo bolsonariano, esse STF tem que ser refeito, reestruturado profundamente (Migalhas 4.470 - 26/10/18 - "Mães em prisão domiciliar" - clique aqui)."

26/10/2018
Mirna Cianci

"Filho virou salvo conduto (Migalhas 4.470 - 26/10/18 - "Mães em prisão domiciliar" - clique aqui)! Imagine que agora, ao invés de transferir para os menores, o alvo serão as mulheres mães. Outras irão engravidar apenas para se verem livres. E esse ministro jamais visitou um presídio feminino. Ao contrário do masculino, por ser muito menor a população, têm boas condições, com berçário, cabelereiro, aulas de inglês, educação, etc. Na ânsia de fomentar a prisão apenas após decisão transitada em julgado, o ministro está criando um verdadeiro absurdo."

Número de ministros

22/10/2018
Ricardo Alves de Souza Souza

"O que se deve acabar é com o sistema de indicações de não magistrados e a vitaliciedade e limitando os cargos no tempo por mandato, como nas Agências e na PGR (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "De família" - clique aqui). Deveria aumentar também a fiscalização e a punição desses servidores quando cometerem crimes, bem como criar mecanismos populares de acesso a denúncias."

23/10/2018
Cleanto Farina Weidlich

"Para início dos trabalhos, o STF precisa passar por reforma em sua estrutura com a nomeação de mais 10 ministros e criação de mais duas turmas (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "De família" - clique aqui). Penso que a escolha deveria ser submetida a critérios de análise de currículo - entre os de notório saber jurídico - mas sujeito a estágio probatório de três anos, para depois adquirirem a vitaliciedade, e para confirmar a transição deveria ser no voto popular. As escolhas nesse momento histórico, além do nome do juiz Sérgio Moro - acho que deveria ser aproveitado como ministro da Justiça - devem recair em nomes da mesma força de caráter e intelectualidade, procurando de preferência dentro dos que compõe a Lava Jato, o dr. Deltan Dallagnol, é outro nome que merece o mesmo prestígio e assim por diante. Está nascendo do eco que vem das urnas um Brasil novo, uma nova Nação, uma nova relação do povo com o Poder do Estado, oxalá esse momento histórico seja bem aproveitado e compreendido. Uma providência urgente para o novo governo e para a força tarefa da Lava Jato e Polícia Federal, será investigar as atividades ilícitas dos Partidos Políticos, Fundações, Ongs, essas verdadeiras quadrilhas que se encontram aquarteladas nessas agremiações. Um viva ao despertar das consciências que não se deixaram alugar e no próximo domingo pavimentarão os rumos da reconstrução nacional e do resgate aos valores patrióticos."

23/10/2018
Dávio Antonio Prado Zarzana Júnior

"Um ministro do Supremo Tribunal Federal não poderia ser aceito sem, no mínimo, um doutorado em instituição jurídica de renome."

Ocupação indevida de bem público

25/10/2018
Girolamo Domenico Treccani

"Esta decisão é de fundamental importância pois pode prevenir fraudes e munir o Poder Executivo de um importante instrumento de combate à grilagem (Migalhas quentes - 24/10/18 - clique aqui). Precisa, porém, aparelhar os órgãos fundiários (INCRA, Terra Legal e Institutos Estaduais de Terras), bem como de fiscalização e controle (AGU, PGEs, MPF e MPE), com estruturas eficientes de intervenção. Seria importante um cadastro confiável das terras públicas incorporadas ao patrimônio público (áreas arrecadadas, desapropriadas, etc.) e das áreas destinadas (terras indígenas, quilombolas, Unidades de Conservação, Particulares)."

Peruada 2018

21/10/2018
Luiza Serrano

"Me perdoem o sincericídio, e entendam que nada a favor de Bolsonaro (Migalhas 4.465 - 19/10/18 - "Vai, vai, vai começar a brincadeira" - clique aqui). Mas se as pessoas tivessem acesso, como eu tive, as imagens do ocorrido na sexta. Eu jamais iria a favor a esse protesto. Foi horrível estar num trânsito de retorno para casa depois de um dia de trabalho e deparar com sexo explícito, muita droga, bebida e pessoas em coma alcoólico. Isso não desconsiderando a sujeira que os coitados dos garis tiveram que recolher às pressas para não deixar seres humanos se machucar. Um The Walking Dead ao vivo. Foi uma cena horrível e inadmissível. Triste."

Porandubas políticas

25/10/2018
Andre Simon

"A respeito do manifesto do candidato Bolsonaro sobre a Folha, cabe revelar o que disse Eleonora de Lucena, comandante da Folha de São Paulo sobre o candidato - e por tabela, aos seus eleitores: 'É ditadura, é tortura, é eliminação física de qualquer oposição, é entrega do país, é domínio estrangeiro, é reino do grande capital, é esmagamento do povo. É censura, é fim de direitos, é licença para sair matando. As palavras são ditas de forma crua, sem tergiversação – com brutalidade, com boçalidade, com uma agressividade do tempo das cavernas (Porandubas políticas - 24/10/18 - clique aqui). Não há um mísero traço de civilidade. É tacape, é esgoto, é fuzil. Para o candidato-nojo, é preciso extinguir qualquer legado do iluminismo, da Revolução Francesa, da abolição da escravatura, da Constituição de 1988. Envolta em ódios e mentiras, a eleição encontra o país à beira do abismo. Estratégico para o poder dos Estados Unidos, o Brasil está sendo golpeado. As primeiras evidências apareceram com a descoberta do pré-sal e a espionagem escancarada dos EUA. Veio a Quarta Frota, 2013. O impeachment, o processo contra Lula e sua prisão são fases do mesmo processo demolidor das instituições nacionais'. Diante disto, acho válido que o candidato se manifeste com o  destempero demonstrado. Tal repulsa manifestada no jornal mais lido me parece ter peso ainda maior que o manifesto do candidato, pelo desrespeito demonstrado através da linguagem e dos adjetivos, direcionados também aos 50 milhões de pessoas que votaram nele no primeiro turno. No mínimo, alguém com tal posição no jornal mais lido deveria ter a polidez e o entendimento que não está falando ao candidato apenas, mas também aos seus leitores. Aliás, por tal viés ideológico e falta de espaço para pensamentos diferentes, acabo de cancelar minha assinatura na Folha e no Uol, após mais de 20 anos. A Folha já vinha perdendo espaço para o contraditório e me parece que chegou ao limite e não instiga mais o pensamento - simplesmente descarrega suas ideias como se fossem verdades. Uma pena."

Reclamação

25/10/2018
Humberto Santarosa de Oliveira

"Mando essa mensagem para fazer uma denúncia/reclamação. Sou advogado no Rio de Janeiro e estou em Vitória da Conquista para uma audiência de conciliação (marcada para às 14h). Ao chegar ao Fórum Dr. Sérgio Murilo Napoli Lamêgo, TJ/BA (cheguei exatamente às 11h55), descubro que, apesar de registrado no hall de entrada do prédio a existência de sala da OAB, que estaria localizada no seu térreo, fui informado de que não há sala alguma (a informação foi confirmada pela própria administradora da OAB de Vitória da Conquista, com quem conversei por telefone). Por sorte, o novo fórum da Justiça estadual fica ao lado da Justiça Federal, para onde me dirigi na esperança de encontrar uma sala da OAB que pudesse dar o suporte esperado. Ledo engano. Apesar de existir a sala no referido prédio, ela fica fechada para o almoço da funcionária entre 12h e 14h. O curioso é que essa informação diverge daquela que me foi dada pela atendente com quem conversei antes da administradora, que me disse que a sala é fechada entre 11h30 e 14h30, pois a funcionária tem 2h de almoço, mas ela precisa sair antes e voltar depois em razão do horário da Van da OAB. Mas, mero detalhe essa questão de 1h a mais ou a menos de fechamento - a disparidade das informações está dentro da margem de erro das pesquisas eleitorais, tsc tsc. O absurdo, todavia, é que segundo informações da administradora da OAB, a sala fica fechada porque há apenas um funcionário contratado. Sinceramente não sei o que é pior, um fórum sem sala da OAB ou a existência de sala que fica fechada porque a OAB não contrata outro funcionário, seja para substituir o horário de almoço do colega, seja para trabalhar em horário diferente, permitindo assim que os advogados possam utilizar a sala enquanto o fórum estiver aberto. Em época de eleição, sempre bom deixar os advogados cientes das 'proezas' das administrações locais."

STF - Ofensas

23/10/2018
Luciana Leal

"Gostei, falou tudo (Migalhas quentes - 23/10/18 - clique aqui). "

25/10/2018
Cleanto Farina Weidlich

"Assim como o ministro é obrigado a fundamentar as suas decisões, com apoio na prova e na lei, para no passo seguinte no dispositivo da sentença expressar o seu convencimento e julgar; enquanto continuarem a conceder esses habeas corpus em favor dos ricos e famosos, quem não consegue se convencer é a população brasileira, de que estejam os ministros e o próprio Tribunal em situação de exigir que o povo tenha em relação à Corte um julgamento favorável (Migalhas quentes - 23/10/18 - clique aqui). Simples assim!"

25/10/2018
Luiz Guilherme Winther de Castro

"Concordo que o STF precisa ser respeitado (Migalhas quentes - 23/10/18 - clique aqui). Agora, quando o tal de 'Lula', para mim, sapão, desafiou os ministros chamando-os de covardes, por que nenhum ministro o chamou às falas? Ele não deveria ao menos ser questionado, já que nenhum ministro teve coragem de processá-lo? Um ou outro ministro se manifestou e assim mesmo tentando minimizar o fato. Acabaram dando razão a ele. Parece que vestiram a carapuça. De qualquer forma, o coronel não se intimidou e vamos ver no que acaba isso. Pessoalmente, eu acredito que esse militar não esteja sozinho e pode colocar fogo no paiol. Assim como brincam que apenas um soldado e um cabo podem fechar o STF, algo atribuído a Jânio Quadros, não tenho certeza, uma meia dúzia de ânimos inflamados e preparados pode causar sérios estragos. Sei não, como diz o mineiro!"

26/10/2018
Eldo Dias de Meira
Não é de hoje que há desrespeito com o Judiciário. O Luiz Inácio - Lula -, do alto de sua arrogância e fanfarronice, afirmou que nós temos um STF totalmente acovardado. E quem recebeu um puxão de orelha por ter divulgado aquele telefonema para a presidenta Dilma na época, me parece que foi o Dr. Moro. Eldo Dias de Meira - 25/10/2018 -

Trabalho externo

27/10/2018
Claudio B. Marques

"Como poderemos sonhar com um Brasil melhor se a Justiça maior permite que um representante do povo, sentenciado por haver cometido ilegalidade(s), mesmo que a sentença não tenha chegado ao tal trânsito em julgado - jabuticaba tupiniquim -, continue recebendo salário aviltante mais penduricalhos mil mais carro mais outras tantas benesses, continue a representar o povo? E nós, povo, continuemos a pagar por tudo isto (Migalhas 4.469 - 25/10/18 - "De dia é congressista, de noite é prisão" - clique aqui)? E depois perguntam porque o Bolsonaro está quase eleito presidente do Brasil. Este sr. como todo político e muitos apresentadores nas TVs falam o que o povo quer por estar cansado e desiludido."

Envie sua Migalha