Leitores

Artigo - Até que enfim: ação penal pública incondicionada para os crimes sexuais

30/10/2018
Maristela Mitsuko Ono

"Avanço jurídico da maior relevância (Migalhas de peso – 2/10/18 – clique aqui)! Parabéns a todos que por ele se empenharam!"

Atos - universidades

30/10/2018
Milton Córdova Junior

"Na referida decisão, que suspendeu decisões da Justiça Eleitoral em universidades, a ministra Cármen Lúcia ressaltou a importância da 'liberdade de expressão' e do 'pluralismo de ideias' em uma democracia (Migalhas quentes - 27/10/18 - clique aqui). Ocorre que a ministra foi omissa - intencionalmente ou não - na referida decisão, ao silenciar sobre o significado de 'pluralismo de ideias' e que a decisão se aplica a todas as correntes de pensamento, obrigando a todos (inclusive alunos e professores) o cumprimento de sua decisão. Até as pedras dos rios sabem que as universidades transformaram-se num - com a devida licença da frase - antro de esquerdopatas, radicais que apelam para a histeria e violência quando são contrariados em suas ideias. É exatamente o que ocorreu na UnB - Universidade de Brasília, nesta segunda, 29, quando manifestantes favoráveis ao presidente eleito foram expulsos pelos 'democráticos alunos universitários esquerdistas' da UnB. Essa é mais uma daquelas decisões omissas do Judiciário, momento em que se questiona a parcialidade desse Poder em determinadas questões - como essa. Lamentável."

31/10/2018
José Carlos Thomaz

"É muita pena que só quando lhes interessam pensam assim (Migalhas 4.474 – 1/11/18 – "Pluralidade de ideias" – clique aqui). Por que rasgaram a Constituição quando Lewandowski e Renan não cassaram os direitos da Dilma? Lamentável nosso STF."

1/11/2018
Shirlei Cruz

"Desculpem, mas convém colocar os pingos nos is: o que a decisão do STF reafirmou e legitimou foi o direito à exclusividade da esquerda de programar suas teorias e ideologias (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Falar que os debates nas Universidades são livres e plurais é, na melhor das hipóteses, alienação total quanto ao que ocorre na prática. E, na pior das hipóteses, fraude intelectual."

1/11/2018
Sidnei Pepinelli

"Pluralismo de ideias e liberdade de cátedra, sim; uso ilegal do campus para propaganda politico-partidária em período eleitoral, não (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui)! Sejamos justos e realistas."

1/11/2018
Luiz Carlos Tozzato

"Ótimo o STF garantir a liberdade de expressão e repudiar a censura (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). A propósito já foi resolvido o imbróglio Fernando Sarney x Estadão?"

1/11/2018
Luiz Guilherme Winther de Castro

"Livre manifestação de ideias é o permitido e concordo (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Imposição de ideias, com argumentos falsos e mentiras como fazem os professores esquerdistas se aproveitando de jovens universitários que ainda estão descobrindo o mundo, não é livre manifestação de ideias, é atentado também à Constituição."

1/11/2018
Helvio Tarcísio

"O STF tem que garantir também o direito do estudante usar a 'camisa verde amarela', ao invés de somente 'camisa vermelha' (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). É preciso punir com rigor as intimidações e agressões sofridas por aqueles que ousam vestir o 'verde e amarelo'. São muitos casos nas universidades e escolas públicas!"

1/11/2018
José Fernandes da Silva

"Nesse episódio das ações da polícia e dos juízes eleitorais nas universidades, há um equívoco monumental na decisão do STF, por unanimidade (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui). Os agentes policiais e os juízes eleitorais, obviamente, perceberam desde logo nas denúncias que os 'universitários' estavam, na verdade, fazendo campanha eleitoral no recinto das faculdades, em benefício de um dos candidatos que participaram (no dia seguinte!) da eleição presidencial. Basta ler o banner colocado na fachada de uma das faculdades ('Contra o Fascismo') para saber a quem beneficiavam! Para ter essa percepção, basta ter um mínimo de conhecimento político. ou melhor, um certo 'faro de cachorro policial' que os ministros parece não ter. Ninguém é contra os caudalosos argumentos utilizados na votação para realçar a importância e a supremacia da liberdade de expressão, do direito à cátreda, esbanjados a não mais poder pelos ínclitos ministros. Mas 'esqueceram-se' ou 'não atentaram' para a hipocrisia de camuflar os atos como se fossem 'discussão doutrinária de temas ligados à liberdade de expressão'. Foi, na verdade, um 'passa moleque' que os esquerdopatas que infestam nossas universidades passaram nos 11 ministros aparentamente ingênuos que estão na Suprema Corte. Ou não foi?"

1/11/2018
Renan de Barros Alves

"Desde quando fumar maconha, depredar patrimônio público e não estudar é liberdade de expressão (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Pluralidade de ideias" - clique aqui)? E a liberdade daqueles que querem estudar, isto é, ter aulas, ao invés de de serem obrigados a assistir propaganda político-partidária, não é um direito constitucional?"

Bolsonaro

29/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"Não vai ter nomeação porque ele vai fechar o STF 'com um cabo e um soldado' (Migalhas quentes - 29/10/18 - clique aqui). E vai legislar por decreto-lei."

30/10/2018
Carlos Augusto Moreira Filho

"Com a devida vênia, não me parece que o novo presidente da República vá agir dessa maneira. Aliás, ele jurou respeitar a Constituição. Não precisa ser um especialista, basta que saiba escolher bem os seus ministros."

1/11/2018
Bassim Chakur Filho

"Gostaria de parabenizar Migalhas pela nota (Migalhas 4.473 - 31/10/18 - "Esperança"). É tempo de pacificação. 'Deixa o homem trabalhar', como se dizia no 1º mandato de Lula."

Canal de denúncias

1/11/2018
Thiago Batista Araújo

"Tendo em vista que a fiscalização da atividade do servidor público cabe a toda a sociedade, e que a família tem direito de escolher a forma como as crianças são educadas, o MP mandou muito mal (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Por falar na liberdade de cátedra..." - clique aqui). Esse viés ideológico vai acabar desmoralizando algumas instituições."

1/11/2018
Josué Severo

"Quando a docência aplica teorias que não condizem com a República, dando ênfase a ideologia de gênero contrárias aquelas da maioria da população, oprime psicologicamente os alunos com seus gostos nada ortodoxos (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Por falar na liberdade de cátedra..." - clique aqui). Deixa os estudantes sem chance de defesa pois o detentor das notas é quem tem poder na sala de aula, como é sabido. Concordo com o MP que o canal é inapropriado, mas as denúncias devem ser analisadas pois são legítimas."

1/11/2018
Mariza Justus

"Esta senhora deveria propor ideias e meios para melhoras da educação e o salário vergonhoso dos professores (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Por falar na liberdade de cátedra..." - clique aqui). Com certeza teria apoio. Fica a dica, filme os conchavos políticos e publique!"

2/11/2018
Luiz Guilherme Winther de Castro

"Tenho um neto com 19 anos de idade fazendo cursinho para entrar na faculdade, já que em vestibular passado não quis aceitar o curso que lhe ofereceram em outra cidade (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Por falar na liberdade de cátedra..." - clique aqui). O seu atual professor de História enfiou na cabeça dele que a presidente deposta foi golpeada, sem provas, por motivo de pedaladas que outros também praticaram. Não seria o caso do tal professor esquerdista apenas contar a história e todos os lados do assunto, os que foram a favor e os que foram contra, com os motivos apresentados por todos? Não, o tal comunista quis enfiar na cabeça dos jovens que houve golpe, etc. Dizem admirar um tal de Paulo Freire, outro comunista tergiversador, sofismador, que pregava a capacidade do aluno ser crítico, mas, na prática tentam induzir, com suas afirmativas mentirosas e caluniosas. Um professor honesto simplesmente contaria a história da deposição da presidente e os motivos alegados, os prós e os contras e ao aluno restaria tirar suas conclusões. Não entendo como existe sujeito adepto de um regime que apenas escraviza as pessoas. Não entendo como bispos e padres da Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana pertençam à ala esquerda da Igreja, um bando de comunistas. Ainda ficam com essa conversa fiada de opção pelos pobres. Jesus Cristo não veio para salvar pobres, mas, sim para salvar pecadores. Mas, nem por existir essa gente na Igreja, deixarei de ser católico. Por outro lado, por que tais pessoas com ideologia comunista não mudam para Cuba, Venezuela, China, Coreia do Norte e outros países mais?"

Cenário

1/11/2018
Hélder Gonçalves Dias Rodrigues

"Quanto ao Regime Geral da Previdência, ao que me consta, esses números não correspondem a verdade, pois não parece incluir as contribuições indiretas que são as importantes fontes de custeio da Previdência que a torna superavitária (Cenário - 31/10/18 - clique aqui). Além do mais, a tributação indireta é a maior causa estatal de exclusão social dos mais pobres, pelo aviltamento do poder de compra deles. Já com relação aos servidores, especialmente dos Poderes Públicos e Militares, toda a sua arrecadação também é feita por parte da nossa Tributação Direta e Indireta (inclusive no tocante aos seus salários, como é óbvio). Além da tributação que nos retira o poder de compra, também é um fator que nos distingue do primeiro mundo é a alta diferença entre o maior e o menor salário público, seguido dos benefícios e privilégios absolutamente indevido aos membros do poder que, para exercê-los, deveria fazê-lo por interesse em servir (que é o oposto de se servir do cargo, de forma a ter 'privilégios odiosos' como podem ser considerados todos aqueles que não são extensíveis ao povo que os remunera, com sua exclusão social). Nesse sentido, ao que penso, o Estado deve ser reestruturado para que possa, efetivamente, passar às mãos do povo, das quais não pode sair. Boa sorte ao novo governo."

Conversa Constitucional

31/10/2018
Edivan Sousa

"Um dos melhores texto que já li acerca da importância da Constituição e suas implicações nas relações de poder (Conversa Constitucional - 29/10/18 - clique aqui)."

Decifra$

29/10/2018
Vanessa Alves Avelar

"Boa análise, mas não existe conciliação com o comunismo/socialismo (Decifra$ - 29/10/18 - clique aqui). O país se encontra em novos rumos, se Deus quiser para o bem!"

Do Judiciário para política

29/10/2018
Felipe Amorim Reis

"Trata-se de efeito fenomenológico político-jurídico da operação Lava Jato aliada ao descrédito da classe política (Migalhas 4.471 - 29/10/18 - "Do Judiciário para política"). Este importante rotativo esqueceu de citar a juíza Selma Arruda, senadora eleita do PSL mais votada pelo Estado de Mato Grosso, que por 22 anos combateu duramente o crime o organizado na capital mato-grossense."

Eleições 2018

29/10/2018
Aderval Pires

"Caros amigos muito bom dia mesmo: desde 2006 quando comecei na internet vinha lutando junto com muitos amigos para tirar esses petralhas do poder; hoje estou de alma lavada com o objetivo concluído graças a Deus. Brasil acima de tudo, Deus acima de todos."

30/10/2018
Eldo Dias de Meira

"Migalheiro Aderval. Devo te responder com uma cordial e alvissareira boa tarde. Não somente pelo avançado da hora, mas que já vai tarde esse desembarque dessa turma que não queria largar o osso. Nós vivemos tempos nunca dantes vistos no Brasil, nunca antes vimos tantos corruptos graúdos serem acusados e presos, como agora, nessa quadra da vida; foi a primeira vez que vi um presidente eleito pelo voto direto da direita. Tempos estranhos esses. Parece que acordamos noutro país ou noutra época. Os nossos velhos olhos nunca viram isso. Os tempos sofridos de país sul-americano com governos alinhados com a esquerda ficaram para traz, que fiquem no passado pelo bem do porvir. Mas buenas, não preciso dizer que sou da direita, talvez seja um extremista de centro, mas não da esquerda tupiniquim. Como diz o gaúcho: Buenas tardes Tche!"

31/10/2018
José Domério

"O novo CPC criou a figura da boa-fé objetiva (Migalhas 4.466 - 22/10/18 - "Um soldado e um cabo" - clique aqui). Desconheço o que isso quer dizer. Apenas pergunto, é com base nela que Migalhas analisa o pronunciamento do Bolsonaro-filho? Independentemente do contexto da pergunta? O vernáculo que nos une é o mesmo, acredito. Obrigado pela oportunidade desta minha manifestação."

1/11/2018
André Luís Santos de Almeida

"Tenho absoluta certeza que o Migalhas tem um alto grau de viés esquerdista. Será que um quarto governo Petista faria bem para o Brasil? Faço minhas as palavras do grande jornalista Nêumanne Pinto, respondendo ao ministro Marco Aurélio no Roda Viva. Não acredito (no Migalhas) na Suprema Corte."

1/11/2018
Juarez R. Venites

"E aí, prezado Migalhas. Até hoje, nem um 'votinho' de futura boa governança para o nosso amado Brasil? Só 'notinhas' para picar como 'borrachudo' o eleito pelo povo, a exemplo dessa ironia contra o Moro? A campanha eleitoral terminou, Migalhas. Não devemos ser contra as críticas, porém, que contenham o mínimo de razoabilidade. Queira-se ou não, Jair Bolsonaro é o futuro presidente de todos nós brasileiros. O adversário dele perdeu. Portanto, vamos remar o barco e pedir a Deus que nos ajude. A propósito, lembre-se o 'amado Diretor' que, pela primeira vez na História da República, uma eleição foi comemorada, em pleno século XXI, com uma comovente oração. Embora, claro, com desagrado e crítica de uma jornalista da Globonews, que não atem noção do real significado do conceito de 'Estado laico'."

Eleições OAB 2018

30/10/2018
Raquel do Valle Pereira

"Grande Jully (Migalhas 4.472 – 30/10/18 – "Candidato – OAB/MS" – clique aqui)!A esperança de resgate da advocacia sul-mato-grossense!"

31/10/2018
Pedro Boretti

"Embora não mais ativo lamento sua saída, mas concordo com você, o corporativismo na OAB é um caso sério (Migalhas 4.471 – 29/10/18 – "Desistência" – clique aqui). Meus cumprimentos."

Fatos confidenciais

1/11/2018
Carlos Alberto Alvares Rodrigues Chaves

"Ora, não entendi (Migalhas quentes - 31/10/18 - clique aqui). A OAB/SP não pode interferir na vontade de terceiros, ou seja, se o cliente autorizou o advogado a falar sobre tal coisa, e esta autorização está formalizada, entendo que não cabe a OAB dizer se pode ou não. Este direito está sendo outorgado pelo cliente ao advogado. Não havendo prejuízo para a parte pois esta consentiu. OAB, dando palpites onde, a meu ver, não deveria. Daqui há pouco, a OAB vai dizer também o que o advogado pode colocar em petição ou não, e o que o advogado pode conversar com o cliente. Surreal e lamentável."

Federalismo à brasileira

31/10/2018
Bruno Sampaio de Ramos

"Perdoe-me, mas o texto pareceu sim uma narrativa contra o Estatuto do desarmamento (Federalismo à brasileira- 31/10/18 - clique aqui). Se me permite, farei um contra-ponto no que tange a referência dos Estados Unidos, que conquistou sua independência por meio da população armada que se virou contra os colonizadores ingleses. Logo, o direito à ter uma arma tem ligação com o direito de revolução e instiga nos americanos certo espírito patriótico. Entretanto, cabe olhar para um dado interessante no país do Tio Sam, observado por especialistas, a cada uma morte por arma de fogo legal por legítima defesa, 39 pessoas inocentes morrem. Sabe-se que o brasileiro procura ter uma arma para que possa se proteger e se valer de uma eventual legítima defesa. No entanto, acompanhamos as notícias e o que se vê em sua maioria, infelizmente, não é um resultato feliz para quem reage a assaltos, embora exista alguns casos isolados. Por fim, cabe ressaltar o caráter preventivo da Lei do Desarmamento, o que acho que não ficou claro no texto. Se o legislador quis desarmar a população foi por questões alheias ao direito de legítima defesa, como por exemplo morte por acidentes, embriaguez, desavenças. Tudo que o ser humano está sujeito. Mas há quem diga que se todos estiverem armados desavenças serão evitadas. Entretanto, esse estado alerta abre caminho para confusão, ora se duas pessoas que sabem que, tanto uma quanto a outra, estao armadas discutem por uma vaga ou lugar na fila, uma mao no bolso para tirar uma carteira de cigarro pode ocasionar uma morte. Embora eu seja advogado criminalista e a favor do porte de arma para o advogado, por uma questão de equiparação com o MP e Judiciário, afinal lidamos com os mesmos perigos, sou totalmente contra a revogação do Estatuto do Desarmamente. Perdoe-me mais uma vez, mas nao achei a narrativa isenta e nem equilibrado no que tange ao debate do estatuto do desarmamento."

31/10/2018
Paulo Silva

"Gostaria de saber dos doutos articulistas levaram em consideração as alterações nos contextos sociológico, político e fático (Federalismo à brasileira- 31/10/18 - clique aqui).. A dinamicidade do Direito no viés tridimensional de Miguel Reale não permitiria, após 13 anos, a rediscussão da matéria sem ofender a soberania popular do referendum lançado durante outra época da história recente?"

Gramatigalhas

30/10/2018
Leandro De Melo Oliveira

"Professor dr. José Maria da Costa, poderia me explicar se o uso da expressão 'salvo melhor engano' é correto, ainda que na forma de uma concessão do discurso jurídico."
  

31/10/2018
Timóteo Riva

"Prezado José Maria, sou escrivão de cartório e tenho uma dúvida que me motiva a escrever-lhe para buscar consigo uma orientação. Na lavratura de documentos oficiais é preciso sempre qualificar as partes intervenientes com o máximo possível de dados, conforme determinam os princípios notariais. Assim, ao falar do João, digo que é de nacionalidade portuguesa, angolana ou italiana, conforme convier, de estado civil casado. Quando devo qualificar a Maria, digo que é de nacionalidade grega, estado civil viúvo... Estimo que sim, pois há concordância do sujeito com o qualificativo [o estado é viúvo]. No entanto, meus colegas dizem que não, que há um equívoco, embora não me saibam explicar por qual razão não caberia dizer que o João é de nacionalidade turca; mas estão convictos de que a Joana não poderia ser de estado civil solteiro. Por gentileza, o que me diz sobre esta questão?"

31/10/2018
Dirceu JAacob de Souza

"Professor: faria grande diferença se os meses do ano tivessem: 7 meses x 30 dias e 5 meses x 31 dias ou 6 meses x 30 dias 6 meses x 31 dias (ano bissexto)? Assim acabaria com os 28 dias de fevereiro. Cientificamente faria alguma diferença na vida das pessoas?"

Justa causa

2/11/2018
Ana Maria do Amaral Marinho

"Cuido ser a decisão em epígrafe, dermatológica, vez que se baseou na tese sustentada pela empresa, desprezando os demais elementos probantes (Migalhas quentes - 1/11/18 - clique aqui)."

2/11/2018
Nabi Gouveia

"Estão ficando no passado os juízes que passavam a mão na cabeça de todos os reclamantes só pelo fato de ser a parte economicamente mais fraca (Migalhas quentes - 1/11/18 - clique aqui). Estava muito fácil reclamar e inventar um monte. Era certeza de causa ganha. Parabéns à juíza substituta!"

2/11/2018
Paulo César Rebello

"Desculpem os que pensam o contrário, mas o princípio da proteção ao trabalhador foi desastrosamente esquecido (Migalhas quentes - 1/11/18 - clique aqui). Se pela própria empregadora chegaram a conclusão que o funcionário foi o causador do acidente, creio que caberia pedido de 'perícia' antes da sentença. Ou não? Cabe recurso."

Justiça da BA

3/11/2018
Marcio Antonio Francisco Dearo

"Alegria em ver que ainda existem juízes que se colocam no lugar do próximo e fazem seu trabalho da melhor forma, ao contrário de uma grande parcela que só pensam em ganhos e subsídios estratosféricos e outras coisas mais as quais todos sabemos, porém não podemos citar aqui (Migalhas quentes - 3/11/18 - clique aqui). Que Deus o abençoe por ser diferenciado nesse sentido!"

Moro - Propostas

30/10/2018
Nilda Nascimento Dórea

"Tenho muita admiração por Vossa Excelência e deixe seu coração tomar essa decisão (Migalhas quentes - 30/10/18 - clique aqui). Fique atento. Deus abençoe e ilumine sempre."

Multa por protelação

1/11/2018
Hélder Gonçalves Dias Rodrigues

"Me parece evidente que os limites da lei sempre devem ser seguidos pela função judicante (arts. 1º, parágrafo único; 2º; 5º, II, XXXV e § 1º; e, 64, § 3º, III e IV, CF), quando se atua no exercício voltado a efetivar o presente Estado Democrático de Direito (Migalhas 4.473 – 31/10/18 – "Multa por protelação" – clique aqui). Nesse sentido, tomara que a decisão não 'empodere' ainda mais a negativa da necessidade de julgar, com o conteúdo mínimo, repetidamente exigido pela legislação em vigor (arts. 11, 489, § 1; 927, § 1; 1.022, II, parágrafo único, I e II; e, 1.064, CPC c.c. o art. 93, IX, CF), embora ainda esteja longe de ser satisfeito, mesmo na presença de farta Legislação responsabilizando a ausência da sua observação (art. 5º, XLI, CF. Art. 143, II, CPC. Arts. 186 e 187, CC). Não é possível imaginar o desenvolvimento do presente Estado Democrático de Direito, sem antes respeitar os Direitos Postos que, segundo penso, só poderia ser imaginável mediante a alteração da Estrutura de funcionamento do Poder Judiciário, inclusive para por fim (a meu ver) à vitaliciedade e ao excesso de poder dado aos juízos, pelos próprios juízos que, não raramente, parecem revelar a 'sua cabeça' como a única fonte de instituição, alteração e correção do direito posto, ao caso concreto."

Plano de saúde - Faixa etária

30/10/2018
José Aranda Gabilan

"Sim, convenhamos que a decisão até faz sentido (Migalhas 4.472 – 30/10/18 – "Plano de saúde - Faixa etária" – clique aqui). O 'combinado' não é caro. Apenas sinto impulsos eméticos incontroláveis quando me ponho a pensar nos planos de saúde que nós, os contribuintes, pagamos para (praticamente toda a vida, mais seis meses, incluindo família) presidentes da República, seus vices, senadores, deputados Federais e estaduais, vereadores. Faz mal à saúde dormir com um barulho desses!"

Porandubas políticas

1/11/2018
Aparecida de Fatima Cavicchioli

"Gaudêncio, pelo amor de Deus, pare de ser tão pessimista e espalhar incerteza e desconfiança ao novo governo (Porandubas políticas - 31/10/18 - clique aqui). Sou advogada, embora o presidente eleito não tenha sido minha primeira escolha, o dr. há de convir que é função do jornalismo investigar; aos comentaristas comentar o fato e não tornar as coisas mais piores que estão (sou fã do Jornal da Cultura e vi ontem uma péssima colocação sua a meu ver). Obrigada, lamento, pois sou fã das Porandubas."

Processo e procedimento

30/10/2018
Raphael Moro Cavalcante Lemos

"Que obra (Processo e procedimento - 31/10/17 - clique aqui)!"

Ranking de nomeações à Corte

30/10/2018
José Fernando Azevedo Minhoto

"Duvido que o Moro troque a segurança da magistratura pelo MJ, cargo este subalterno e altamente instável e que lhe acarretaria enorme desgaste de imagem (Migalhas 4.472 – 30/10/18 – "STF da República" – clique aqui). Já a vaguinha no STF, tão certo como amanhã é quarta-feira ele aceitará de pronto (e quem não aceitaria?)."

30/10/2018
Marco Antônio Zanfra Saraiva

"A respeito das nomeações para a Corte Suprema, atente a redação deste periódico eletrônico para entrevista recente do presidente eleito na qual ele admitiu ser uma ideia equivocada a qual já está no passado aumentar o número de juízes daquela Corte (Migalhas 4.472 – 30/10/18 – "STF da República" – clique aqui)."

30/10/2018
Francisco Carlos Chemello Faviero

"Concordo com o excelentíssimo sr. Jair Messias Bolsonaro, vencedor da eleição de 2018 para presidência da República (Migalhas 4.472 – 30/10/18 – "STF da República" – clique aqui)."

Sérgio Moro - Ministro da Justiça

1/11/2018
Ana Maria do Nascimento Costa Lauretti

"O prêmio por ter livrado o vencedor do certame, do concorrente que ganharia ainda em primeiro turno (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui)! Lamentável. Estamos no Brasil, a eterna República de bananas!"

1/11/2018
Shirlei Cruz

"Politicamente, Bolsonaro marca um golaço (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui)! Juridicamente, dizer que há suspeição beira o ridículo."

1/11/2018
Jeová Aparecido Nascimento Nunes

"O magistrado estará querendo ou não subordinado ao presidente, portanto não terá carta branca, como se apregoa, pois entre o querer de qualquer subordinado e a vontade do Congresso e principalmente da base aliada, os subordinados deverão submeter-se a vontade do superior, ser exonerado ou pedir exoneração (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui). O certo é que a largada para 2022, esta iniciada, e quanto a futura indicação para o STF, o juiz começa com um grande desgaste entre os que darão a palavra final."

1/11/2018
Eneida Schiavon

"Acho engraçado o PT nomear Eugênio Aragão, como ministro da Justiça e não merecer única letra sobre isso (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui). Interessante sua 'imparcialidade' ao noticiar isso."

1/11/2018
Rosmelia C. Kehl

"Lamento, decepcionada (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui). Pois será um cargo de quatro ou máximo oito anos se nao for dispensado antes. E sabemos que na prática um ministro pouca autonomia tem. Para assumir o cargo deve ser exonerdo como juiz, ou seja, mais um que pelo poder abandona a missão de lutar contra o crime. Foi assim com Pedro Taques, Selma Arruda e agora Sérgio Moro. 'Ofereça um cargo e acabe com o incômodo'."

1/11/2018
Renan de Barros Alves

"Será que se fosse o Lula o ministro indicado, haveria esse sarcasmo todo (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui)? A imprensa já inicia o patrulhamento. Eu, cidadão sem rabo preso, não tenho medo do Moro nem em Curitiba, nem em Brasília."

1/11/2018
Saul Simões

"Sobre o comentário se vai sair de férias. Quem é decente vive de seu salário, portanto como só será ministro em janeiro como vai pagar as despesas de novembro e dezembro (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui)? Advogando para gente implicada na Lava Jato?"

3/11/2018
Luiz Gustavo Cordeiro Galvão

"Não entendi bem, é a favor da meritocracia e do notório saber no Executivo ou prefere apenas políticos com suas mazelas conhecidas (Migalhas 4.474 - 1/11/18 - "Moro ministro" - clique aqui)?"

STF - Ofensas

28/10/2018
Juliano Claudino

"Com a devida venia, imundo tem sido a atuação de ministros desta Suprema Corte - STF, que envergonha desde o mais leigos, até os maiores conhecedores do Direito (Migalhas quentes - 23/10/18 - clique aqui). A pior composição do STF de todos os tempos. Judiciário falido, infelizmente virou refúgio para os refugos da iniciativa privada."

TJ/BA - Sem agendamento

29/10/2018
Milton Córdova Júnior

"Para reflexão: e o advogado é obrigado a receber o seu cliente, sem agendamento, a qualquer momento, quando este o procurar (Migalhas quentes - 29/10/18 - clique aqui)?"

Envie sua Migalha