sábado, 16 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Advogados de países de língua portuguesa iniciam congresso inédito em Lisboa

Mais de 500 advogados de Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, bem como da Associação dos Advogados de Macau, participam do dia 22 até o dia 24/3, em Lisboa, do I Congresso Internacional de Advogados de Língua Portuguesa.

domingo, 21 de março de 2010


UALP

Advogados de países de língua portuguesa iniciam congresso inédito em Lisboa

Mais de 500 advogados de Angola, Brasil, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, Cabo Verde, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, bem como da Associação dos Advogados de Macau, participam do dia 22 até o dia 24/3, em Lisboa, do I Congresso Internacional de Advogados de Língua Portuguesa.

"As Prerrogativas dos Advogados como Garantias dos Cidadãos", "O Sigilo Profissional do Advogado", "Limites Éticos da profissão" e "Função Social das Ordens" estão entre os grandes temas em debate.

Para o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, que estará no encontro, a representatividade dos advogados de língua portuguesa é essencial para auxiliar a transformar a sociedade. "Nós, advogados de língua portuguesa, somos em número expressivo no mundo. É fundamental que troquemos cada vez mais experiências a fim de aperfeiçoar os sistemas jurídicos dos diversos países". Cavalcante bate numa tecla, a de que é preciso "trabalhar mais fortemente no combate à corrupção, que já transpôs as fronteiras e está presente em todos os países do mundo".

António Marinho e Pinto, bastonário (presidente) da Ordem dos Advogados de Portugal e presidente da Comissão Executiva do Congresso, afirma que é a primeira vez que advogados dos oito países de expressão portuguesa e ainda da região administrativa de Macau se reúnem em Congresso para discutir temas da maior importância para o futuro da profissão e da administração da Justiça.

"Somos herdeiros de um patrimônio jurídico comum que temos a responsabilidade de potencializar, fazendo com que a Lei e a Justiça se convertam em instrumentos eficazes ao serviço dos cidadãos e do desenvolvimento dos nossos países". Sobre o trabalho do advogado, Marinho e Pinto destaca que "o sigilo profissional é tão importante para a boa administração da Justiça como o é a independência dos juízes, porque são garantias dos cidadãos e não privilégios pessoais".

Entre os convidados ao Congresso estão os presidentes dos Supremos Tribunais e os procuradores-gerais dos países representados. A sessão solene de boas-vindas, nesta segunda à noite, terá como oradores os presidentes das OABs de Portugal e Angola, o ex-presidente português Jorge Sampaio e o professor Diogo Freitas do Amaral, ex-ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros. Alberto Martins, ministro da Justiça de Portugal, preside na terça-feira a Sessão de Abertura no Centro de Congressos de Lisboa.

O Congresso tem por lema "Os Desafios da Advocacia de Língua Portuguesa no Mundo Sem Fronteiras". Em cada uma das três sessões plenárias será elaborada uma proposta de conclusões, a fim de ser apresentada e votada na sessão plenária final do Congresso, na quarta-feira. As conclusões, uma vez aprovadas, assumirão a natureza de recomendações a cada uma das Associações ou Ordens de Advogados membros da UALP.

Inscrições e mais informações no site: https://www.oa.pt.

_______________
____________

Leia mais

  • 12/1/2010 - UALP promoverá em março Congresso de Advogados de Língua Portuguesa - clique aqui.

_______________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 19/3/2010 15:31