terça-feira, 24 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Reminiscência - Saudoso jurista Raymundo Faoro

Dia 27 de abril de 1925, nascia em Vacaria/RS, o advogado, jurista, sociólogo e escritor Raymundo Faoro, considerado um dos grandes pensadores do Brasil.

terça-feira, 27 de abril de 2010


Raymundo Faoro

Advogado, jurista e embaixador da cidadania

Dia 27 de abril de 1925, nascia, em Vacaria/RS, o advogado, jurista, sociólogo e escritor Raymundo Faoro, considerado um dos grandes pensadores do Brasil. Filho de agricultores passou boa parte da infância e da juventude na cidade de Caçador/SC, onde fez o curso secundário, no Colégio Aurora.

Mais tarde voltou ao Rio Grande do Sul para continuar seus estudos. Em 1947, como estudante universitário foi co-fundador da revista Quixote, além de escrever para diversos jornais gaúchos. Formou-se com louvor em Direito, em 1948, pela UFRS - Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Na década de 50 transferiu-se para o Rio de Janeiro, onde advogou e prestou concurso para a Procuradoria do Estado. Na função de Procurador destacou-se como um dos mais importantes juristas deste país, especialmente reconhecido e bastante respeitado pela sua contribuição às Ciências Sociais.

Publicou importantes livros ao longo de sua vida : "Machado de Assis - A Pirâmide e o Trapézio" em 1975, "A Assembléia Constituinte - A Legitimidade Recuperada" em 1980, "Existe um Pensamento Político Brasileiro?" em 1994. Porém sua obra de maior destaque foi a primeira, em 1958 : "Os Donos do Poder", clássico livro de sociologia onde analisou a formação do patronato político e o patrimonialismo do Estado brasileiro, levando em consideração as características da colonização portuguesa. Análises imprescindíveis ao entendimento da sociedade.

OAB

De 1977 a 1979, período da ditadura militar, foi presidente da OAB. À frente da entidade, Faoro transformou a OAB em um "foco de resistência pacífica" ao regime, denunciando casos de tortura e pedindo a retomada do Estado democrático. Lutou diretamente pela redemocratização do país, defendeu o fim dos Atos Institucionais do regime militar e participou ativamente no governo João Figueiredo, na campanha pela anistia ampla, geral e irrestrita.

Política

Após a anistia e o retorno dos exilados políticos, a casa do jurista no bairro das Laranjeiras transformou-se em local de reuniões políticas. Eram frequentes as presenças de Tancredo Neves e Luís Inácio Lula da Silva.

Em 1989, após quase uma década de amizade e debates políticos, Lula propôs que Faoro fosse vice em sua chapa presidencial, mas o convite foi recusado.

ABL

Este carioca voluntário e emérito, foi eleito em 23/11/00 para a cadeira nº 6 da Academia Brasileira de Letras no lugar do jornalista Barbosa Lima Sobrinho. Recebeu o Prêmio José Veríssimo da ABL; o Prêmio Moinho Santista de Ciências Sociais e a Medalha Teixeira de Freitas, do IAB.

Despedida

Faleceu vítima de enfisema pulmonar, aos 78 anos, em 15/5/03 no Rio, velado na ABL e enterrado no Cemitério São João Batista. Ficou conhecido como "O Embaixador da Cidadania".

__________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 26/4/2010 16:08