quinta-feira, 26 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Administração do TJ/RJ reúne diretores para discutir estratégias para os próximos anos

O desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, presidente do TJ/RJ, o desembargador Antonio José Azevedo Pinto, corregedor-geral da Justiça, e desembargador Nascimento Antonio Póvoas Vaz, o 2º vice-presidente, abriram na última sexta-feira, 8, o IV Encontro de Gestores do Poder Judiciário do Rio de Janeiro.

segunda-feira, 11 de abril de 2011


Encontro

Administração do TJ/RJ reúne diretores para discutir estratégias para os próximos anos

O desembargador Manoel Alberto Rebêlo dos Santos, presidente do TJ/RJ, o desembargador Antonio José Azevedo Pinto, corregedor-geral da Justiça, e desembargador Nascimento Antonio Póvoas Vaz, o 2º vice-presidente, abriram na última sexta-feira, 8, o IV Encontro de Gestores do Poder Judiciário do Rio de Janeiro.

O evento reuniu 130 diretores do TJ e juízes auxiliares no Hotel Guanabara, no centro do Rio de Janeiro, onde foram apresentados projetos, metas e o planejamento estratégico, que define todas as ações da administração da Justiça fluminense para os próximos anos.

"A importância deste encontro é exatamente que, a partir daqui, nós vamos definir quais são os pontos realmente estratégicos e quais são aqueles que nós vamos desenvolver de acordo com as condições financeiras do Tribunal", explicou o presidente do TJ ao dar boas-vindas aos presentes.

O juiz auxiliar da presidência, Gilberto de Mello Nogueira Abdelhay Jr., fez a primeira palestra do dia. Ele apresentou pesquisas que tratam da imagem do Judiciário no Brasil e no Rio e disse que a população espera uma resposta rápida para os seus conflitos. Segundo ele, em dezembro de 2010 e nos três primeiros meses deste ano, o TJ/RJ registrou mais de oito milhões de processos em andamento e, deste total, 50% são execuções fiscais. Há cerca de um milhão de ações nas varas Cíveis, 790 mil nos Juizados Especiais Cíveis e cerca de 600 mil nas varas da Fazenda Pública. Para o juiz, a demanda está crescendo.

"Não basta decidir o processo, a gente deve decidir o processo rapidamente. A sentença precisa ser executada. Não adianta ganhar e não levar", ressaltou o juiz. Ele lembrou ainda que o Judiciário do Rio quer obter o reconhecimento da sociedade sobre a sua contribuição para o exercício democrático da cidadania. "Isso é a nossa visão, é onde nós queremos chegar. A gente quer que a população veja isso no Poder Judiciário", ressaltou.

O magistrado destacou também que um dos objetivos do encontro é promover o alinhamento estratégico. "Estamos iniciando hoje um processo contínuo de revisão da estratégia institucional. A estratégia de uma instituição não é única, não é imutável. Ela pode mudar ao longo do tempo à medida que há mudanças de ambiente ou quando a gente vê que os resultados esperados não foram alcançados", esclareceu o juiz.

Em seguida, os diretores gerais e gestores deram início à apresentação de seus indicadores e projetos estratégicos, justificando seu desenvolvimento, as metas, as principais ações, custos e os resultados já alcançados. Ao longo do dia fizeram explanações os gestores da DGDIN - Diretora Geral de Desenvolvimento Institucional, da DGPES - Diretoria Geral de Gestão de Pessoas, da ESAJ - Escola de Administração Judiciária, do DGTEC - Departamento de Saúde, da Diretoria Geral de Tecnologia da Informação, da DGSEI - Diretoria Geral de Segurança Institucional, da DGENG - Diretoria Geral de Engenharia, da Emerj - Escola da Magistratura do Estado do Rio, da DGPCF - Diretoria Geral de Planejamento, Controle e Finanças, da DGJUR -Diretoria Geral de Apoio aos Órgãos Jurisdicionais, da CGJ - Corregedoria Geral da Justiça, da DGLOG - Diretoria Geral de Logística, do Deape - Departamento de Avaliação e Acompanhamento de Projetos Especiais, da DGCON - Diretoria Geral do Conhecimento e do GABPRES - Gabinete da Presidência.

________________
_________

Fonte: TJ/RJ

_________
________________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 11/4/2011 09:55