sábado, 23 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Ditadura

OAB/RJ: Campanha pela memória e verdade tem novos projetos

Nova fase prevê criação de Comissão da Verdade, transformação de locais de tortura em centros de memória e criação de eventos para debater o tema.

sexta-feira, 29 de junho de 2012

A Campanha pela Memória e pela Verdade, lançada em abril de 2010 pela OAB/RJ, entra em nova fase e prevê a criação de sua própria Comissão da Verdade. Outros projetos estudam ainda a transformação de locais de tortura em centros de memória e a criação de uma série de eventos para debater o tema. A campanha já conta com mais de 45 mil assinaturas em favor da abertura dos arquivos da ditadura militar.

Sem a pretensão de construir um acervo para uso próprio ou de se sobrepor à Comissão da Verdade criada pelo governo federal, a seccional carioca da Ordem pretende ouvir relatos voltados ao papel de juízes e promotores da Justiça Militar nos julgamentos de presos políticos durante a ditadura. De acordo com o presidente da OAB/RJ, Wadih Damous, mais do que querer saber o que realmente aconteceu nos porões da ditadura, a sociedade "precisa saber dos fatos para que eles não se repitam".

As informações e relatos coletados serão repassadas à Brasília. "Vamos listar, no âmbito do Estado do Rio, os casos mais marcantes de abusos da Justiça Militar e organizar entrevistas para nos informarmos detalhadamente a respeito", explicou o vice-presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/RJ, Marcelo Chalréo.

Também nos planos da campanha, o tombamento dos centros de tortura, que seriam transformados em centros da memória, teriam ações prioritárias no DOI-Codi, na sede do antigo Dops, e na Casa da Morte, em Petrópolis.

Os eventos ligados ao assunto já tiveram início neste semana com o lançamento do livro K, Bernardo Kucinski. A obra conta sobre a prisão e o desaparecimento da militante Ana Rosa Kucinski, irmã do autor.

__________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 29/6/2012 08:33

LEIA MAIS