sábado, 28 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Desafio - Qual argumento ?

quarta-feira, 30 de novembro de 2005


Desafio - Qual argumento ?

Migalhas aceitou na última sexta-feira, 25/11, o desafio proposto pelo leitor Ramalho Ortigão (Migalhas 1.300) que dando uma espicaçada sugeria uma disputa para saber "Qual será o argumento ad populum usado para o ministro da Justiça - Márcio Thomaz Bastos - para sair do governo ?"

Para incentivar ainda mais seus doutos leitores a adivinharem (ou quem sabe até ajudá-lo), criou a promoção "Qual argumento?". Para tanto, está oferecendo a dois migalheiros um exemplar do monumental "Código de Processo Civil e legislação processual em vigor" (ed. Saraiva, 37ª edição, 2.267 p.), de Theotonio Negrão - José Roberto F. Gouvêa.

O primeiro - ao que acertar os motivos, ou passar mais perto (se forem dois, o que primeiro tiver enviado carta à Redação);

O segundo - ao que enviar a mais criativa justificativa, definida pela comissão julgadora sempre isenta desta Casa.

Veja abaixo algumas peruadas e no final o resultado da promoção.
____________

Migalhas dos leitores - Desafio - Qual argumento ?

*

"Este periódico bandarilhando os que merecem, observando e atentamente apontando os principais aspectos da vida social brasileira, é o que podemos chamar de a 'Literatura de Hoje''. Com essa independência, ganhou a merecida credibilidade. Dias atrás os redatores vaticinavam a saída do ministro da Justiça : 'Papai Noel não o pega ministro' (Migalhas 1.294 - 17/11/05). Com as credenciais acima elencadas, não duvido. Fico apenas pensando qual será o fundamento que o saudoso pai do tefe-tefe usará. Nos últimos dias, é fácil perceber que Migalhas parece ter razão, pois o ministro já está na banguela. Como é o móbil do governo, principalmente nos momentos em que é necessário um criminalista de alto gabarito (e quantos foram), não poderá sair à francesa. De outro lado, também não vai soltar o klaxon. Então, qual será o argumento ad populum usado para o ministro para sair do governo ? Dando uma espicaçada, proponho aos Migalheiros um desafio. Vejamos quem acerta o argumento a ser usado pelo ministro para a providencial evasiva. Para tanto, já envio o meu esfarpado.

'Lastreando-se nas lições do Conselheiro Rui, alegará que o tratamento entre os ministros não é isonômico. Enquanto ele, advogado, está impedido - em virtude do cargo - de exercer a profissão nos pretórios, o outro, médico - também em virtude do cargo - continua enfiando a faca nos outros.'

Alea jacta est. Do migalheiro," Ramalho Ortigão

*

"Prezados Senhores: Sobre a Nota da Redação, minha sugestão não poderia ser outra. Dirá o presidente que de Márcio Thomas 'Basta'...Abraços," Fernando Paulo da Silva Filho - advogado em SP

*

"Prezados Redatores, escrevendo para participar do desafio - Qual argumento? - lançado nas 'Migalhas dos Leitores', congratulo-os pelo site. Segue o argumento para análise da comissão: 'Dizendo poder se equiparar a Themis, cega ou vendada, o nobre ministro comunicará ter, após exaustiva reunião, convencendo o seu chefe ser totalmente prescindível sua presença no Planalto. Sim, pois como aquele nega tudo quando lhe perguntam, e queda mouco quando lhe falam, teriam concluído: 'E se também é para não ver nada, deixa comigo que eu me viro, não precisa dessa moça'." Marcos Sávio Zanella

*

"Resignado com a acachapante vitória do 'Não' naquele dispendioso referendo, Dr. Bastos sairá do Governo para se credenciar em algum clube de tiro, comprar uma precisa pistola semi-automática e, em seguida, de arma em punho, sair à caça do seu Ômega e dos seus atuais detentores. Restou esta solução, visto que à frente da segurança pública nacional ele (nem ninguém) nada conseguiu para a elucidação e punição do furto do veículo, nem de nenhum outro crime. Aproveitará a oportunidade para advogar para aqueles injustamente importunados pelos seus ex-subordinados, valendo-se da sua ampliada influência (essa é a parte não criativa da minha contribuição à aposta migalheira)." João Guilherme Duda

*

"Olha, não tenho a mesma criatividade - eu diria até a mesma verve - que o nosso querido Ramalho Ortigão, mas como o desafio está lançado, 'da rinha eu não corro'. Creio que o ilustre ministro não vai nos brindar com nenhuma justificativa inusitada. Vai dizer, com sua indefectível dicção de quem labutou anos no júri: 'Sentindo ter cumprido com meu dever para com a Nação e o presidente Lula, que me prestigiou com o desafio do cargo de ministro, é hora de seguir outros rumos e abrir espaço para que outros - que certamente se mostrarão mais capazes do que eu - possam também dar sua contribuição'. Palmas. Pano Rápido. 'O que eu tinha a dizer, já disse', diz o Ministro saindo da sala de Imprensa." Antonio Minhoto - escritório Baeta Minhoto e Oliveira Advocacia

*

"Prezados Redatores, Estou certo de que o Min. Márcio Thomaz Bastos sairá do governo para contribuir, com seus 'modestos' vencimentos ministeriais, para a produção do superávit fiscal de seu (ex-)colega Antonio Palocci. Saudações," Pythagoras Carvalho - escritório Pinheiro Neto Advogados

*

"Vai dizer ao Presidente Lula que está saindo porque não concorda com a invasão do Ministério da Justiça pela Polícia Federal." Dario Abrahão Rabay - advogado

*

"Vendo a barca furada em que se meteu ao aceitar o Ministério da Justiça, o Dr. Márcio irá começar uma onda de campanhas visando o controle da violência, do tipo 'Não ao rebaixamento dos times de futebol da Série A', 'Não ao cocô dos cães nas vias públicas', 'Não aos programas de fofoca da tarde', deixando o governo mais constrangido do que a derrota no plebiscito da proibição do comércio de armas, o que não deixará recurso para o Presidente que seja a exoneração de nosso querido ministro. Finalizando, meus parabéns a equipe pelo Migalhas, informativo indispensável." Geovanni de Souza Procópio

*

"Prezados Senhores, escrevendo para participar do desafio - 'Qual argumento?'. Com certeza, o maior e correto argumento é que o ministro como um Tricolor fanático irá a todos os jogos do São Paulo F.C. e participará de todas as festas pelo título do Mundial... Pois sabe nada é mais importante que um título Mundial..." Rogerio Ribeiro de Carvalho

*

"Lancei há algum tempo o mote 'Basta de Bastos', mas não creio seja este o enredo para o 'bye-bye' do Ministro da (in)Justiça. Fico no dia do 'não fico' com a seguinte resposta para o Desafio proposto por Migalhas: com a quebra do sigilo da Dusseldorf e da descoberta da fonte do PTvalério-duto no MTB Bank, New York, é melhor correr ... ou nas palavras de Ovídio, 'a causa má torna-se pior se a queremos defender'." Alexandre Thiollier - escritório Thiollier Advogados

*

"Sr. Diretor. Ouvi dizer que o nosso Ministro, religioso como ele só, já teria mandado fazer a 'Oração dos Resignados'. O teor da referida prece assim teria sido feita, para que, na presença de S. Magnificência, apresente sua desdita :

'Senhor Todo Poderoso.

Do muito que não fiz,

Do muito que desfiz,

Dói-me muito o por fazer.

Do muito que não apurei.

Do muito que não parei.

Dói-me muito passivo saber-me.

Quando o Natal se aproxima,

Quando Papai Noel se avizinha,

Quero a Todos mimosear.

Enviei-me um Mandado de Busca.

que a Federal Milícia cumpriu.

Descobri-me, assim, NU.

Não ouvi qualquer protesto,

Não ouvi qualquer lamento.

Descobri-me, pois sozinho.

Estive andante, surdo e mudo,

Não vi, ouvi ou falei.

Preferi com o Poder o silêncio!

Rogo, pois, a V. Magnificência, conceder-me um breve Adeus,

Pra que o Ano Novo chegante,

Desprenda-me dos vis rumores.

Faça-me olhar num espelho,

Faça-me com coragem enfrentar-me,

Faça-me rogar por mim,

Perdoe-me dos meus pecados.'

Copiador do texto:" Pedro José F. Alves - advogado

*

"Caríssimos Editores, Essa é muito fácil. O argumento do Ministro será o de que precisa de mais tempo para procurar o seu Ômega australiano que fora roubado. Os afazeres ministeriais lhe roubam todo o tempo, impedindo que se engaje nas buscas. Um Grande Abraço," Alcimor A. Rocha Neto

*

"O argumento é simples: 'Como o Dr. Bastos é advogado criminalista e em 2007 não teremos esses ocupantes da Administração Federal, o argumento é de que o Dr. Bastos precisa sair para ir se preparando pois terá muito trabalho pela frente'." Demis Ricardo Guedes de Moura

*

"Caro Editor e caros confrades migalheiros, Ao sair, o Dr. Bastos, que não é besta, poderia dizer: 'Basta! Deixo essa joça...'. Não rima muito, mas diz tudo, diante da crise político-institucional que os recentes dias nos têm trazido (Vide STF, Congresso e, não nos esqueçamos, a atuação do Palácio da Alvorada, nem sempre à sorrelfa). Mas, sendo o homem educado e, originalmente, alguém do lado de cá (mundo dos que laboram no Direito) por certo o será o leitmotiv de seu, digamos, desligamento passará necessariamente pela seguinte frase ou quejanda: 'O governo Lula precisou de mim numa hora difícil e eu, como um patriota, não poderia dizer não. Já dei minha contribuição e é hora de se voltar a outros lugares em que possa também servir. Até logo...'. É o que palpito. Abraços." Robson do Boa Morte Garcez - São Paulo/SP

*

"Prezados Senhores, Ante à ambigüidade do Presidente, no que se refere a posicionamento de ministros, o Ministro da Justiça pensou em dizer para o mandatário: Qvovsqve tandem abvtere, Presidente, patientia nostra? Eis que, não podendo verbalizar tal pensamento, dirá: 'Oh tempos, oh costumes, o momento exige o meu retorno à minha origem'! Migalheiramente," Alvacir Nascimento

*

"Argumento: não se adaptou ao clima de Brasília; muito seco e quente. O presidente dirá que é uma imensurável perda, mas que Mato Grosso e adjacências têm reclamado para que o nobre ministro contemple os problemas de seu povo de modo a acabar com as injustiças dessa terra, causadas principalmente pelas elites deste país." Sandro Cezar dos Santos

*

"Ó vaidade me pegaste pela unha pensei que seria de verdade o emprego que propunha. Senti-me o 'tal' é fato porém, tal qual o boato que corre pela terra, parei pra pensar, pensei... sou a Rainha D'Inglaterra... Mando não obedecem, ordeno e ignoram, aconselho não escutam, Acho melhor ir-me embora... Vou atrás de meu Ômega desafio de valer, bem melhor que este outro que só me fez sofrer... Assim eu me retiro, e me coloco a disposição, daqueles que não largam o osso, e de um advogado vão precisar só que deixo bem claro, honorários de caixa dois, receber, não vou querer... Assim sr. Presidente, aceite minha renúncia, vou voltar pro meu batente, À vaidade mando as favas, afinal... no meu quintal, eu, sou o Presidente... Magnífico redator...afirmo que, se motivo não houver, a razão da renúncia é o fim do efeito da picada da mosca azul.... Saudações migalheiras," Reginaldo Vitullo

*

"Como é para o bem de todos e a felicidade geral da nação, diga ao povo que eu saio." Horacio Alfredo Comes

*

"Srs., Dirá o Ministro Bastos: 'Saio porque cansei de ser ministro, agora vou me dedicar à Justiça'. Congratulações pelo excelente informativo, tenho orgulho de fazer parte do nobre clube dos migalheiros. Abraços," Regina Bezerra

*

"Acredito que o Ministro, diante da inoperância da Polícia Federal, irá deixar o Governo para, no ano de 2006, ele mesmo investigar para encontrar seu Ômega roubado e acabar com as 'fofocas' de Migalhas... Abraços," Edú Eder de Carvalho - advogado, Osasco/SP

*

"Já antevejo o diálogo (se for depois das 18 horas, noitálogo). O Presidente da República, confiando na barba, dirá em voz baixa, como quem só surra, naquele despejar de símiles e nãomiles que o caracteriza: 'Como divia o Rui Barbovo, não há márfio que fempre dure. Fendo afim, reconhefendo, embora, of teuf préftitof, tenho a diver-te, meu caro miniftro, que Dora Avante, a pafta da Juftifa estará fendo pofta em outra efcova. Depoif do magnífico efeito do Grêmio de Porto Alegre, fuperando of maif Íngrides e Bergmans obiftáculof, penfo que um gremifta no teu lugar ferá pau, ferá pedra e me acompanhará até o fim do caminho, fem perder o tom.' Sou Adalon, the international migalhas man." Mário Henrique Rolim

*

"Um saci-pererê conseguiu descobrir as razões pelas quais o advogado criminalista, em exercício no PT, resolveu pedir o boné. Sua Excelência, de repente, não mais que de repente, sentiu imperiosa necessidade de reciclar-se em algumas áreas, a saber: Direito Constitucional, Filosofia do Direito, Ética Advocatícia, Ética Cristã, Psicopatologia Forense. E, at last but not least, Noções básicas da Alfabetização de Adultos. Que seja bem sucedido são os votos deste humilde migalheiro." Alexandre de Macedo Marques

*

"O H. Ministro deixará o Governo com a seguinte justificativa: 'Deixo minha missão neste Ministério para ir em busca do meu Ômega perdido (furtado), 'Basta' de insegurança, alguém deve fazer algo'. Concorro para o segundo argumento. Atenciosamente," Marcello Gonçalves Freire - escritório Carlos de Souza Advogados

*

 

"Os colegas não estão ligando os últimos fatos. A recente operação América, que prendeu vários 'auxiliares' para emigração informal aos EUA, sinaliza na verdade a brusca mudança das relações do Ministro com a Polícia Federal e indica a verdade dos fatos a seguir narrados. Desiludido da carreira jurídica, S. Exa. adquiriu uma grande área de terras no Texas e irá dedicar-se à criação de gado. Como todo imigrante radical - radical porque foi movido pela desilusão - tornar-se-á, ele também, um xenófobo e trabalhará incessantemente pela hermética vedação das fronteiras americanas, sua nova pátria. A busca de seu Ômega - que, ademais, é australiano, não despertando maior interesse - será substituída pela caça a imigrantes clandestinos e a promoção de rodeios." Fernão Franco

 

*

 

"O ministro dirá: 'quando se sente bater no peito heróica pancada', é hora de deixar o Ministério. Dei a minha contribuição e chega a hora de dizer que se há glórias, que sejam partilhadas, se há ônus, devem ser suportados com firmeza por idealistas. Estou deixando o governo para me dedicar a minha família. Não tenho nenhuma pretensão política, nem nada que possa desviar minha atenção dos meus, já tão queixosos da minha ausência... Dei a minha contribuição, da melhor maneira que pude..." Cristina Gonçalves Castro Pereira

 

*

"Márcio T. Bastos deixará sim o MJ para assumir a vaga do STF deixada pelo Mineiro Carlos Veloso." Josino Fernandes de Sousa

 

*

 

"Ok, eu mereço ser açoitada! Por motivo de viagem, deixei de acompanhar tão palpitante desafio. Mas deixo assim mesmo minha colaboração, ainda que tardia: na realidade, o nosso Ministro Bastos se unirá à já famosa dupla de Taubaté, formando assim uma nova versão do Trio Parada Dura. Como Paladinos da Justiça, farão justiça a todos, contra tudo! Tremei, Brasil! Cordialmente," Simone Rosa dos Santos - advogada

 

*

 

"Dizem os humoristas, que se perde o amigo, mas não se perde a piada; portanto, o Ministro Márcio T. Bastos ao deixar o Ministério da Justiça em coletiva à imprensa tupiniquim dirá: - Tive uma crise mental; agora estou bom, perfeitamente bom. Peço-lhe que me ponha fora daqui. Creio que o Presidente não se oporá. Entretanto, quero deixar algumas lembranças à gente que me tem servido e, também, me ajudado na procura do Ômega. Em um quadro exibirá o Ministro a foto do lendário Ômega, em um desmanche! Sem excitação prosseguirá o Ministro parafraseando Rubião: - Agora que nasceu meu neto, e devido à expertise adquirida nesses anos de ministério: 'Ao Ministro, as fraldas!'." Augusto Teizen - advogado, São Carlos/SP

 

*

 

"Acho que alegará o justo receio de que, em alguma solenidade, alguém atire um veado contra ele, algo tão grave quanto à galinha atirada contra uma ex-prefeita, de triste memória." Paulo Magalhães

___________

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 30/11/2005 07:36