segunda-feira, 1 de março de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Comemoração

120 anos de Victor Brecheret

Neste sábado um dos maiores referenciais do movimento modernista no Brasil completaria 120 anos.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Neste sábado, 22, um dos maiores referenciais do movimento modernista no Brasil completaria 120 anos. Ítalo-brasileiro, Victor Brecheret é o criador de um dos memoráveis cartões-postais da capital paulista, o "Monumento às Bandeiras", além de inúmeras outras obras consagradas, como "Monumento a Caxias", "Fauno" e "Depois do Banho".

Precoce, Brecheret interessou-se pelas artes ainda na adolescência e iniciou sua formação artística em 1912, no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, onde teve contato com desenho, modelagem e entalhe em madeira. No ano seguinte, desejoso de expandir as fontes de aprendizado e aperfeiçoar suas técnicas, viajou a Roma, onde permaneceu até 1919.

Durante esta fase, tornou-se discípulo do escultor italiano Arturo Dazzi e trabalhou seu domínio na arte de esculpir : o amassar do barro, a leitura de formas em gesso, o estado da pedra e do mármore e um rigoroso estudo sobre a anatomia humana e animal. Na Europa vivenciou momentos vanguardistas do início do século XX e passou por "art déco" e "art noveau", mas manteve um estilo próprio contextualizando sua obra na linguagem contemporânea.

O período que abrangeu as décadas de 40 e 50 pode ser denominado "período brasileiro" quando o artista, fortemente impressionado com a cultura indígena do seu país, passou a retratar suas figuras e costumes por meio das suas terracotas.

Profissional e de postura rígida com relação a prazos e pagamentos, à época Brecheret teria discutido com o prefeito Prestes Maia quando o gestor foi ao barracão no Ibirapuera onde o artista trabalhava. Havia muitos empecilhos para que os pagamentos fossem realizados parafinalizar o Monumento às Bandeiras e, por fim, Brecheret acabou expulsando-o do local.

Em outra oportunidade, o artista estava em seu ateliê no Palácio das Indústrias quando recebeu a visita de Monteiro Lobato. Irritado porque o escritor paulista teria colocado um chapéu sobre uma de suas obras, Brecheret também mandou-o embora.

Devido ao seu engajamento e ideias, Brecheret viveu à frente de sua época. E isso refletia em suas produções, sempre atemporais e arrojadas. Por meio das formas, texturas e volumes, transformava materiais brutos em preciosos, lapidados por suas mãos e mente habilidosas.

Sua arte influenciou na ruptura dos padrões artísticos impostos pela sociedade tradicional, com elevado grau estético e de grande importância no contexto do processo histórico-cultural do País. Apesar disso, ele nunca deixou de ser um escultor de formação clássica e um pioneiro até sua morte, em 1955, tendo consolidando-se como um dos mais renomados artistas dos cenários brasileiro e internacional.

Na próxima segunda, dia 24, às 19h30, haverá uma sessão em homenagem aos 120 anos de Victor Brecheret na Câmara dos vereadores. A solenidade será conduzida pelo vereador Coronel Telhada e contará com a presença de Sandra Brecheret Pellegrini, filha do escultor.

"Monumento às Bandeiras"

"Depois do Banho"

"Fauno"

"Monumento a Caxias"

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 21/2/2014 16:44

LEIA MAIS