quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Escravidão

MPT denuncia M. Officer por utilização de trabalho escravo

Ação conjunta resgatou seis trabalhadores bolivianos em condições análogas à escravidão em oficina clandestina de costura.

segunda-feira, 19 de maio de 2014

O MPT informou que ajuizará uma ação civil pública contra a M. Officer após a descoberta de trabalhadores em condição análoga à escravidão em oficina que produzia peças para a grife. O parquet vai pleitear a responsabilização da marca pela degradação das condições de trabalho de todos os trabalhadores inseridos em sua cadeia produtiva.

Esta é a segunda vez que a o MPT flagra peças e acessórios, como etiquetas, botões e placas de metal que identificam a marca sendo costuradas em uma oficina clandestina por trabalhadores em condições degradantes.

O caso

Ação conjunta entre MPT, MTE, DPU e Receita Federal resgatou, em 6/5, seis trabalhadores bolivianos em condições análogas à escravidão em uma oficina clandestina de costura. No local foram encontradas diversas peças de roupa com etiquetas da marca M.Officer, algumas prontas, outra em produção.

Ao chegar ao local, a força tarefa descobriu fiação exposta, botijões de gás no ambiente de produção, materiais inflamáveis espalhados pelo local. Os trabalhadores bolivianos, que moravam com suas famílias no mesmo local de produção, eram obrigados a cumprir jornadas exaustivas de trabalho, que chegavam a 15 horas diárias. Por cada peça costurada, recebiam de três a seis reais. A oficina foi interditada e os trabalhadores continuam morando no local.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 19/5/2014 09:00

LEIA MAIS