segunda-feira, 25 de janeiro de 2021

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Idoneidade moral

Banco não pode exigir comprovante de não restrição de crédito para dar posse a escriturária

Mera inscrição nos cadastros de inadimplentes não torna pessoa inapta para exercício do cargo público

terça-feira, 18 de novembro de 2014

A 3ª turma do TJ/DF manteve decisão de 1º grau e excluiu exigência de declaração de inexistência de pendências nos órgãos de proteção ao crédito para tomar posse em cargo de escriturária no Banco do Brasil.

A autora, aprovada em concurso público, ajuizou MS com o intuito de obter seu direito de posse, sem ter que apresentar o documento que, segundo o edital, era condição para que pudesse exercer o cargo.

Em 1º grau, o juízo concedeu a segurança sob o argumento de que não há proporcionalidade nem razoabilidade em se exigir a declaração de inexistência de pendências nos órgãos de proteção ao crédito como condição de idoneidade moral.

"Em resumo, a mera inscrição nos cadastros de inadimplentes não significa que a pessoa esteja inapta para o exercício do cargo público, já que todos estão sujeitos a situações de dificuldade financeira no decorrer da vida."

O processo foi ao Tribunal em sede de reexame necessário, e os desembargadores decidiram, por unanimidade, manter a sentença.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 18/11/2014 08:50

LEIA MAIS