quinta-feira, 26 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Conscientização

TJ/SP reduz sessões do Órgão Especial devido à crise hídrica

Órgão Especial deliberou realização de suas sessões a cada 15 dias, em vez de semanalmente.

segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

A crise hídrica em SP, que possivelmente irá se materializar como racionamento de água, terá forte impacto sobre a continuidade de serviços públicos.

Neste sentido, em atenção ao consumo consciente de água e energia elétrica, o desembargador José Renato Nalini, presidente do TJ/SP, emitiu comunicado na última sexta-feira, 30, pedindo a conscientização de servidores e magistrados e a adoção de novas medidas para redução de gastos.

Entre as orientações está a "intensificação das pautas virtuais e o aumento da periodicidade das sessões de julgamento". "O Órgão Especial já deliberou realização de suas sessões a cada 15 dias."

Confira a íntegra do comunicado abaixo.

____________

COMUNICADO N° 244/2015

No momento em que se enfrenta grave crise hídrica e posteriormente energética, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo empreende intenso esforço para reduzir o consumo de água e energia elétrica.

Têm sido adotadas providências de uso racional da água como instalação de anéis redutores de vazão de torneiras, intensificação de vistorias para localizar e sanar eventuais vazamentos em todos os prédios, lançamento de campanha de comunicação interna sobre a importância do consumo consciente e implementação de programa interno de sustentabilidade.

Contando com a mobilização e colaboração de todos - imprescindíveis para resultados satisfatórios - o TJSP também conclama seus Magistrados para adoção e intensificação das pautas virtuais e o aumento da periodicidade das sessões de julgamento. Exorta ainda seus dignos Servidores para que colaborem com sugestões e novas iniciativas, a fim de caminharmos juntos nessa fase difícil. O Órgão Especial já deliberou realização de suas sessões a cada 15 dias.

A dificuldade pode também servir para uma profunda reflexão em torno ao uso irracional de bens finitos e escassos e para estimular a solidariedade e a cooperação de quantos se encontram premidos pelas contingências e precisam reaprender a cultivar uma consciência efetivamente ecológica.

Desembargador José Renato Nalini
Presidente do Tribunal de Justiça

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 2/2/2015 07:38