quinta-feira, 26 de novembro de 2020

MIGALHAS QUENTES

Publicidade

Juízes em Ação

Motivados por Moro, juízes pedem apoio na luta por justiça

Apelo foi feito por mais de mil juízes em nota de apoio ao juiz Federal, na página "Juízes em Ação", no Facebook.

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

Mais de 1.200 juízes de todo o país se associaram em prol de Sérgio Moro. Signatários de nota de apoio ao magistrado - responsável pelo julgamento dos processos da Lava Jato - os togados consignaram na página "Juízes em Ação", no Facebook, que, apesar das "invectivas incessantes e infundadas à imagem e à atuação" do juiz, não existem pessoas imunes às leis numa República, e, "quanto mais alto o cargo, maiores os deveres".

"Urge a participação popular para fazer o que é certo no cotidiano, para denunciar o que é errado e para apoiar as autoridades que estão lutando por um mundo mais justo, compassivo e ético."

Na declaração, afirma-se que a pressão e os ataques externos afetam inúmeros juízes em todo o Brasil e que a interferência do poder político e econômico é uma "realidade amarga que o Brasil precisa reconhecer e combater se quiser ser uma Democracia verdadeira".

"As decisões judiciais são fundamentadas, respaldadas na lei e públicas, sujeitas ao sistema de recurso daqueles que estão insatisfeitos. Atacar a figura do julgador ou tentar atingir a autonomia do magistrado é atitude dos que sabem que não estão amparados pela legalidade. Assim também o são as decisões do colega Sérgio Moro."

  • Confira quem são os signatários.
  • Confira a íntegra da nota abaixo.

_______________

NOTA EM APOIO AO JUIZ SÉRGIO MORO

Os juízes abaixo nominados vêm, publicamente, prestar apoio ao colega Sérgio Moro, magistrado que atua no julgamento dos processos originados da chamada Operação Lava-Jato.

A Constituição Federal assegura o devido processo legal, e, dentre as suas medidas, que o caso seja julgado por um juiz natural, isto é, não escolhido especificamente para a situação, dotado das garantias de independência que conduzem a uma decisão nos termos da lei, e não conforme os interesses particulares e pressões externas. Trata-se de uma prerrogativa em favor da população de que encontrará um magistrado imparcial e independente.

O que se vê, no entanto, são invectivas incessantes e infundadas à imagem e à atuação do juiz Sérgio Moro na tentativa de evitar que continue fazendo o seu trabalho.

A pressão e os ataques externos são reais e afetam inúmeros juízes em todo o Brasil. A interferência do poderio político e econômico é uma constante no país. É uma realidade amarga que o Brasil precisa reconhecer e combater se quiser ser uma Democracia verdadeira.

As decisões judiciais são fundamentadas, respaldadas na lei e públicas, sujeitas ao sistema de recurso daqueles que estão insatisfeitos. Atacar a figura do julgador ou tentar atingir a autonomia do magistrado é atitude dos que sabem que não estão amparados pela legalidade.

Assim também o são as decisões do colega Sérgio Moro: fundamentadas, públicas e continuamente examinadas pelos Tribunais nos recursos interpostos pelos réus, por sua vez assistidos por respeitadas bancas de advocacia. Não há indicativo de qualquer violação ao ordenamento jurídico, de forma que a tentativa de aviltar a figura do juiz, como acontece não apenas no caso da Operação Lava-Jato, é um ensaio para evitar o julgamento dos fatos e as consequências daí decorrentes.

Somente àqueles que temem a aplicação da lei interessa limitar a atuação do juiz, restringindo cada vez mais sua liberdade de decisão e a segurança de sua independência.

Não existem pessoas imunes às leis numa República, e, quanto mais alto o cargo, maiores os deveres. Urge a participação popular para fazer o que é certo no cotidiano, para denunciar o que é errado e para apoiar as autoridades que estão lutando por um mundo mais justo, compassivo e ético.

Os signatários tornam público seu apoio irrestrito e sua confiança na atuação imparcial dos membros do Poder Judiciário para a apuração e julgamento dos fatos.

Por: Redação do Migalhas

Atualizado em: 6/8/2015 09:14